Grupo Ponto de Partida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O Grupo Ponto de Partida é uma das principais companhias brasileiras de teatro.[1][2]

Sediado em Barbacena, sua formação começou em 1980[2] e desde então coleciona diversos prêmios expressivos em âmbitos estadual, como a Medalha da Inconfidência Mineira[3], e nacional[4] bem como carreira internacional.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Em 1980, Ivaneé Bertolla, Regina Bertolla, Analice Souza e Lourdes Araújo resolveram formar uma associação cultural com a pretensão de fomentar o desenvolvimento da cultura da cidade de Barbacena.[1]

Em 1984, o grupo decidiu focar seu desenvolvimento no teatro, decisão seguida pela montagem do espetáculo Contrastes baseado na obra musical de Chico Buarque de Holanda.[1]

Em 2004, começa a trajetória da Bituca-Universidade de Música Popular, uma escola de música sediada em Barbacena com cursos gratuitos e voltados para a formação e descoberta de novos talentos[5]. O nome Bituca é uma referência a Milton Nascimento, considerado padrinho da escola[5] instalada na primeira fábrica de seda do Brasil[6]. A unidade é mantida pelo Fundo Estadual de Cultura, Lei Rouanet, empresas privadas e esporadicamente pela Prefeitura de Barbacena.[7]

Em 2005, a companhia mineira lançou um DVD baseado no projeto Ser Minas tão Gerais com a participação do coro Meninos de Araçuaí.[3]

Ainda em 2005, representou o Brasil nas comemorações dos 50 anos da Unesco celebrada na Champs-Élysées.[3][8]

Atualmente, é uma companhia de repertório, itinerante, independente, com 20 profissionais em atividade e dedicação permanente, 30 espetáculos montados e centenas de apresentações no currículo, além de passagens por diversas localidades do Brasil, África, Europa e América do Sul.[2]

Estilo e recepção crítica[editar | editar código-fonte]

A montagem dos espetáculos estabelece ligação direta com autores brasileiros, como Guimarães Rosa, Carlos Drummond de Andrade, Manoel de Barros, Jorge Amado, Adélia Prado, Bartolomeu Campos de Queirós, além de compositores como Milton Nascimento, Chico Buarque e Pablo Bertolla.[9]

Segundo a revista Época, o grupo monta seus espetáculos após extensa e minuciosa pesquisa, a partir, especialmente, de investigação de peculiaridades regionais.[10]

O Jornal do Brasil classifica o espetáculo Ser Minas tão Gerais, que envolve teatro, música e dança regional[11], como um "maravilhoso retrato do Brasil mineiro".[8]

O compositor Fernando Brant defende que o grupo é formado por um "bando de gente comprometida com a vida, a arte e a humanidade".[12]

Referências

  1. a b c Lopes, Carlos Herculano. (8 de janeiro de 2001). A maioridade nos palcos. Jornal Estado de Minas
  2. a b c d O Globo. (28 de junho de 2008). 'Pra Nhá Terra' é uma ode em defesa à natureza em forma de musical, acesso em 3 de julho de 2010
  3. a b c Centro Popular de Cultura e Desenvolvimento. (29 de agosto de 2005). Grupo Ponto de Partida apresenta 'Ser Minas tão Gerais' com participação de Milton Nascimento, acesso em 3 de julho de 2010
  4. Folha Online. (10 de dezembro de 2003). Lula entrega medalha da Ordem do Mérito a Herbert Vianna e Marília Pêra, acesso em 3 de julho de 2010
  5. a b Associação Brasileira de Música Independente. Bituca: universidade de música popular, acesso em 3 de julho de 2010
  6. Folha Online. (15 de dezembro de 2008). Casarão colonial abriga Universidade de Música Popular em Barbacena (MG), acesso em 3 de julho de 2010
  7. Fontana, Mário. (20 de janeiro de 2009). Bituca. Jornal Estado de Minas
  8. a b Jornal do Brasil. (23 de abril de 2005). Estrondoso Milton, acesso em 3 de julho de 2010
  9. R7. (13 de novembro de 2009). Grupo Ponto de Partida comemora 30 anos com o espetáculo O Circulo do Ouro, acesso em 3 de julho de 2010
  10. Revista Época. (14 de novembro de 2009). A poesia do Grupo Ponto de Partida, só até amanhã, acesso em 3 de julho de 2010.
  11. Revista Época. (22 de agosto de 2005). Uma noite bem mineira, acesso em 4 de julho de 2010
  12. Brant, Fernando. (10 de setembro de 2001). O realizador de sonhos. Jornal Estado de Minas

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Página oficial

Ícone de esboço Este artigo sobre teatro (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.