Grupo Renascença Multimédia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Grupo Renascença Multimédia
Comunicação Social
Sede Quinta do Bom Pastor, Estrada da Buraca 8 12, 1549-025 Lisboa
Proprietário(s) Patriarcado de Lisboa e Conferência Episcopal Portuguesa
Presidente D. Américo Aguiar
Marcas Rádio Renascença, RFM, Mega Hits, Intervoz e Genius Y Meios
Website oficial https://gruporenascencamultimedia.com/

O Grupo Renascença Multimédia[1] exerce a sua atividade na área da comunicação social em Portugal, através de um conjunto de três rádios a emitir em FM, onda média e online, Renascença, RFM e Mega Hits, webrádios, RFM Clubbing, 80’s RFM e Oceano Pacífico, webtvs, Renascença V+ e RFM Vi[2], aplicações móveis para os sistemas operativos IOS e Android e nos automóveis atráves de Apple carplay e Android auto.

Natureza[editar | editar código-fonte]

O Grupo Renascença Multimédia é privado e independente de quaisquer poderes políticos, económicos ou sociais, inspirando a sua atividade no Humanismo Cristão.

Propriedade[editar | editar código-fonte]

É detido em sociedade pelo Patriarcado de Lisboa e pela Conferência Episcopal Portuguesa[3].

O Conselho de Gerência é presidido por D. Américo Aguiar[4] e tem como administradores José Luís Ramos Pinheiro, Ana Braga e a Administradora da Intervoz, Renata Silva.

Outros serviços[editar | editar código-fonte]

O Grupo oferece também um conjunto alargado de serviços que incluem comercialização, através da empresa Intervoz, e marketing, eventos, entretenimento e formação e responsabilidade social, através da Genius Y Meios.

Ligações internacionais[editar | editar código-fonte]

O grupo está ligado a associações de rádio nacionais e europeias e ao longo da sua história tem ajudado na criação de emissores e na formação de técnicos em vários países dos PALOP, como Guiné, Cabo Verde, S. Tomé e Príncipe, Angola, Moçambique e Timor.

Origem do grupo[editar | editar código-fonte]

Na origem do Grupo Renascença Multimédia está a Renascença, rádio criada em 1937.[5][6] Designada como Emissora Católica Portuguesa marcou várias gerações, sendo reconhecida como escola de formação para muitos profissionais na área do jornalismo e da comunicação. Hoje a Renascença é uma referência no panorama da comunicação em Portugal, tendo sido o primeiro órgão de comunicação privado a ser condecorado, pelo Presidente da República Portuguesa, com a Ordem de Mérito[7].  

Novas instalações[editar | editar código-fonte]

As novas instalações do grupo, inauguradas, em 2016, pelo Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa, situam-se na Quinta do Bom Pastor.[8][9]

Referências

  1. «Grupo Renascença: Uma gestão próxima das pessoas.». sapo.pt. 1 de agosto de 2019. Consultado em 8 de junho de 2020 
  2. «Entidades proprietárias de órgãos de comunicação social.». ERC - Portal da Transparência dos Media. Consultado em 5 de junho de 2020 
  3. «Política de Transparência da Rádio Renascença. Capítulo II - Informações a que se refere o artigo 3º da lei 78/2015. Ponto 1. Relação dos titulares do capital social e percentagens de participação - n.º 1 e n.º 2, alínea a)». Rádio Renascença. Consultado em 5 de junho de 2020 
  4. «Padre Américo Aguiar assume presidência do Grupo Renascença Multimédia.». Tribuna da Madeira. 4 de outubro de 2016. Consultado em 8 de junho de 2020 
  5. «Rádio Renascença - Infopédia». Rádio Renascença in Infopédia. Porto: Porto Editora, 2003-2020. Disponível na Internet. Consultado em 5 de junho de 2020 
  6. Rádio Renascença faz 75 anos, na página do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura.
  7. «Entidades nacionais agraciadas com ordens Portuguesas.». Website da presidência da república Portuguesa. 
  8. «Presidente da República inaugurou novas instalações do Grupo Renascença Multimédia». Website da presidência da República. Consultado em 5 de junho de 2020 
  9. Novas instalações, na página do Clube de Imprensa.