Grupo Ultra-Ultrapar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Grupo Ultra (Ultrapar)
Razão social Ultrapar Participações S.A.
Tipo Empresa de capital aberto
Cotação BM&F Bovespa: UGPA3
NYSE: UGP
Indústria Conglomerado
Gênero Sociedade anônima
Fundação 30 de agosto de 1937
Fundador(es) Ernesto Igel
Sede São Paulo, SP,  Brasil
Presidente Thilo Mannhardt
Empregados 13.971 (em 2015)[1]
Produtos Combustíveis
Gás LP
Química
Logística
Postos de abastecimento
Farmácias
Subsidiárias Ipiranga
Ultragaz
Oxiteno
Ultracargo
Extrafarma
ALE Combustíveis
Acionistas Grupo Monteiro Aranha
Valor de mercado Aumento R$ 41,090 bilhões (Mai/2015)[2]
Lucro Aumento R$ 1,6 bilhões (2016)[3]
LAJIR Aumento R$ 4,2 bilhões (2016)[3]
Faturamento Aumento R$ 77,356 bilhões (2016)[1]
Website oficial www.ultra.com.br

Grupo Ultra ou Ultrapar é uma companhia brasileira que atua nos setores de distribuição de combustíveis, por meio da Ipiranga e da Ultragaz; produção de especialidades químicas, por meio da Oxiteno; serviços de armazenagem para granéis líquidos, por meio da Ultracargo; e drogarias, por meio da Extrafarma. Todas são subsidiárias integralmente controladas da holding Ultrapar.[4] A companhia tem suas ações negociadas sob o nome Ultrapar nas bolsas de valores de São Paulo (Bovespa)[5] e de Nova York (NYSE).[6]

O Ultra é a quarta maior empresa do Brasil, com receita líquida de R$ 75,6 bilhões em 2015,[1] segundo o anuário Valor 1000, do jornal Valor Econômico. No mundo, a companhia está entre as 500 maiores, segundo ranking elaborado pela revista “Fortune” em 2014.[7][8]

História[editar | editar código-fonte]

O Ultra originou-se da Empresa Brasileira de Gás a Domicílio, primeira empresa brasileira a engarrafar e distribuir gás de cozinha, fundada por Ernesto Igel em 1937.[9] A empresa começou a operar com uma frota de três caminhões e 166 clientes, mas logo se expandiu e deu origem à Ultragaz.[10]

A Ultrapar Participações S.A. (Ultra) foi constituída em dezembro de 1953 e estendeu suas operações por meio do crescimento da Ultragaz e da criação de novas empresas. Três negócios resultantes desse processo de expansão da área de atuação do Ultra fazem parte do que hoje é a companhia: a Oxiteno, empresa pioneira na produção de óxido de eteno e derivados no Brasil, criada em 1970; e a Ultracargo, nascida da união das atividades de duas empresas – a Transultra, de transporte rodoviário e armazenagem de produtos químicos e petroquímicos, criada em 1966, e o terminal químico Tequimar, no porto de Aratu (BA), que incorporou a área de armazenagem aos serviços de logística em 1978. [11]

O Ultra atuou no passado também nos segmentos de produção de fertilizantes, por meio da Ultrafértil; varejo de eletrodomésticos, por meio da Ultralar; na engenharia industrial, por meio da Ultratec; e na produção e distribuição de alimentos congelados, por meio da Ultragel. Contudo, deixou esses setores ainda na década de 1970 para se concentrar em atividades em que a companhia enxergava demanda crescente e oportunidade de liderança. As atividades de Ultralar e Ultragel foram encerradas; e Ultratec e Ultrafértil foram vendidas. As atividades de transporte rodoviário da Ultracargo também foram vendidas posteriormente, em 2010, permitindo a concentração de sua estratégia de crescimento no segmento de terminais de armazenamento.[12]

1999 a 2010[editar | editar código-fonte]

Em outubro de 1999, o Ultra abriu seu capital e passou a ter suas ações negociadas nas bolsas de valores de São Paulo[13] e Nova York.[14] Foi, na ocasião, a primeira empresa brasileira a abrir seu capital diretamente em Nova York. Essa iniciativa proporcionou uma maior capacidade de investimento para a companhia, que passou a dispor da alternativa de utilizar suas ações como moeda para aquisição de outras empresas.[15] Capitalizado, o Ultra iniciou um processo de expansão de suas atividades na década seguinte.

Quatro anos depois, em agosto de 2003, adquiriu a Shell Gas, empresa de distribuição de GLP (gás de botijão) da Shell no Brasil, o que tornou a Ultragaz líder no mercado nacional de GLP.[15] Em dezembro do mesmo ano, a companhia iniciou suas operações no mercado internacional através da aquisição da Canamex, divisão química do grupo mexicano Berci, por meio da Oxiteno.[16]

Em 2005, iniciaram-se as operações da Ultracargo no terminal intermodal do porto de Santos.[17]

Dois anos depois, em 2007, o Ultra adquiriu a rede de distribuição de combustíveis do grupo Ipiranga nas regiões Sul e Sudeste do Brasil, bem como a marca Ipiranga. Tornou-se então a segunda maior companhia de distribuição de combustíveis líquidos do Brasil, detendo participação de 15% do mercado.[18]

O Ultra adquiriu a União Terminais, até então pertencente a União das Indústrias Petroquímicas (Unipar), em 2007, e tornou a Ultracargo a maior operadora de armazenagem de granéis líquidos do Brasil, detentora de 30% da capacidade brasileira.[19]

No ano seguinte, concluiu a compra da operação de distribuição de combustíveis da Texaco Brasil, ampliando a participação de mercado da Ipiranga em seu setor para 23% do mercado nacional de combustíveis.

2010 a atual[editar | editar código-fonte]

Variação do logotipo da empresa.

O Ultra aderiu ao Novo Mercado da BM&FBovespa em agosto de 2010, [10][15] passando a ter suas ações listadas no segmento da bolsa dedicado às companhias com padrões de governança mais altos.

No ano seguinte, a Ipiranga, em parceria com a Odebrecht Transport, criou a ConectCar, empresa que atua no segmento de pagamento eletrônico de pedágios, estacionamentos e combustíveis.[20]

Em outubro de 2013, o Ultra se associou à Extrafarma, a época a oitava maior rede de farmácias do país, de origem paraense e com presença em outros estados do Norte e do Nordeste. Com a associação o Ultra incorporou 186 lojas no Pará, Amapá, Maranhão, Ceará e Piauí. O pagamento foi realizado em ações aos donos da Extrafarma, a família Lazera, que passou a deter 2,9% do Ultra.[18]

No mês de junho de 2016 o grupo Ultra fechou a compra da empresa distribuidora de combustíveis AleSat por 2,17 bilhões de reais, com a aquisição o Grupo Ultra se consolida como a segunda maior empresa de distribuição de combustíveis do Brasil com uma participação de 30% no mercado e perdendo apenas para a BR Distribuidora.[21]

Presença Internacional[editar | editar código-fonte]

Por meio da Oxiteno, o Ultra possui unidades industriais nos Estados Unidos, México, Uruguai e Venezuela, e mantém escritórios comerciais na Argentina, Bélgica, China e Colômbia.[22]

Posição no mercado[editar | editar código-fonte]

Segundo o Sindigás, sindicato que reúne distribuidoras do produto, a Ultragaz é líder de mercado na distribuição de gás LP com 23,25% do mercado nacional.[23]

A Ipiranga é a segunda maior distribuidora de combustíveis do Brasil, com cerca de 6500 postos em todo o território nacional, e é a maior distribuidora de capital privado.[10] A Oxiteno é líder na produção de óxido de eteno e seus principais derivados na América Latina. A Ultracargo é a maior provedora de armazenagem para granéis líquidos do Brasil, com sete terminais e capacidade de armazenagem de aproximadamente 664 mil metros cúbicos. É a única em seu setor a ter presença em todos os principais portos brasileiros. A Extrafarma é uma das 10 maiores redes de farmácias do Brasil, com cerca de 200 lojas distribuídas no Norte e no Nordeste do país.[24]

Subsidiárias[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Ultrapar (31 de Dezembro de 2015). «Ultrapar Relatório de 2015». Site da Ultrapar. Consultado em 3 de Novembro de 2016 
  2. http://www.bloomberg.com/quote/UGPA3:BZ
  3. a b Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome Ultrapar2016
  4. http://ri.ultra.com.br/show.aspx?idCanal=bD7p7EsG+g87dzgJ1MRXOg==
  5. https://www.google.com/finance?cid=663627
  6. http://exame.abril.com.br/mercados/cotacoes-bovespa/acoes/UGPA3/grafico
  7. «Sete Brasileiras em lista da Fortune das 500 maiores empresas». Uol Economia. 7 de julho de 2014. Consultado em 2 de Junho de 2015 
  8. Luisa Belloni Veronesi (11 de setembro de 2012). «Duas empresas brasileiras aparecem em ranking de inovação da Forbes». InfoMoney. Consultado em 2 de Junho de 2015 
  9. http://www.bloomberg.com/research/stocks/snapshot/snapshot_article.asp?ticker=UGPA3:BZ&page=3
  10. a b c «Grupo Ultra quer ir além no negócio de combustível». Exame. 17 de fevereiro de 2014. Consultado em 2 de Junho de 2015  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "Exame" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "Exame" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  11. «Grupo Ultra». MonteiroAranha. Consultado em 2 de Junho de 2015 
  12. Pedro Paulo Galindo Morales (1 de julho de 2012). «Ultra: Uma das pioneiras no setor de grandes magazines». História de Empresas. Consultado em 2 de Junho de 2015 
  13. http://br.advfn.com/bolsa-de-valores/bovespa/ultrapar-UGPA3/cotacao
  14. «Preço de largadas pode ser superestimado». UOL. 18 de outubro de 1999. Consultado em 1 de Junho de 2015 
  15. a b c «Grupo Ultra se ajustará ao Novo Mercado». Estadão. 6 de abril de 2011. Consultado em 2 de Junho de 2015  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "Estad.C3.A3o" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "Estad.C3.A3o" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  16. «Informações sobre empresas classificadas por ramo de atividade». EconoInfo. Consultado em 2 de Junho de 2015 
  17. «Ultracargo inaugura Terminal Intermodal de Santos». Newslog. 26 de julho de 2005. Consultado em 2 de Junho de 2015 
  18. a b Juliana Rangel (19 de março de 2007). «Compra do grupo Ipiranga, de US$4 bilhões, é maior aquisição já realizada no país». O Globo. Consultado em 2 de Junho de 2015 
  19. «Ultra compra União terminais». PortoGente. 8 de julho de 2008. Consultado em 2 de Junho de 2015 
  20. «Ultrapar atuará em pagamento eletrônico no setor de transportes». Reuters. 27 de novembro de 2012. Consultado em 2 de Junho de 2015 
  21. Ale-UltraIvo Ribeiro e Fernando Torres (12 de Junho de 2016). «Ultrapar anuncia compra da Alesat pela Ipiranga por de R$ 2,17 bilhões». Valor Econômico. Consultado em 3 de Novembro de 2016 
  22. «Ultrapar em 2012» (PDF). Valor. Consultado em 2 de Junho de 2015 
  23. «Ultragaz aposta em expansão do setor». JusBrasil. Consultado em 2 de Junho de 2015 
  24. «Grupos Extrafarma e Ultra assinam fusão». ORMNews. 2 de outubro de 2013. Consultado em 2 de Junho de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]