Gua sha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gua sha

Gua Sha Massage Aftermath.jpg

Chinês: 刮痧
Significado literal "escoriações de raspagem"
Resultado de uma sessão de Gua Sha, tal como praticada em Bali, Indonésia

Gua sha (chinês: 刮痧), é um dos tratamentos presentes na medicina tradicional chinesa (MTC). Seus praticantes usam uma ferramenta para raspar a pele causando escoriações, acreditando que isto apresenta benefícios terapêuticos.[1][2]

Qualquer aparente benefício atribuído ao Gua sha se deve ao efeito efeito placebo.[3]

Eficácia[editar | editar código-fonte]

O pesquisador de medicinas alternativas Edzard Ernst afirmou que os poucos ensaios clínicos sobre o gua sha "apenas mostram como efeitos placebos podem ser formidáveis, particularmente se o tratamento é exótico, impressionante, envolve o toque físico, é levemente doloroso e cria altas expectativas."[3] Conforme uma revisão de literatura publicada no Journal of the American Academy of Dermatology, os efeitos colaterais do gua sha variam de menores – incluindo dermatite, queimaduras e hematúria – até raros efeitos colaterais graves, incluindo hematomas cerebrais e lesões graves suscitando enxertos de pele.[1]

Cạo gió[editar | editar código-fonte]

O gua sha foi passado da China para o Vietnã, presumivelmente entre os séculos V e VII, onde é bastante popular e conhecido pelo nome cạo gió. O termo se traduz aproximadamente como "raspar vento", pois um dos seus principais usos é no tratamento de resfriados, que na cultura vietnamita são chamados de trúng gió, ou "pegar vento".[4]

References[editar | editar código-fonte]

  1. a b Vashi, NA; Patzelt, N; Wirya, S; Maymone, MB; Zancanaro, P; Kundu, RV (2018). «Dermatoses caused by cultural practices: Therapeutic cultural practices.» [Dermatoses causadas por práticas culturais: Práticas terapêuticas culturais]. J Am Acad Dermatol. 79 (1): 1-16. PMID 29908818. doi:10.1016/j.jaad.2017.06.159. Consultado em 6 de julho de 2019 
  2. Crislip, Mark (20 de fevereiro de 2015). «Traditional Chinese Pseudo-Medicine Hodgepodge». Science-Based Medicine 
  3. a b Edzard, Ernst (11 de janeiro de 2013). «Gua Sha: torture or treatment?» [Gua Sha: tortura ou tratamento?]. Edzardernst.com. Consultado em 17 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 17 de fevereiro 2019. (...) the two RCTs just show how remarkable placebo-effects can be, particularly if the treatment is exotic, impressive, involves physical touch, is slightly painful and raises high expectations. 
  4. Needham, J. Celestial Lancets. Cambridge, UK: Cambridge University