Guarda-roupa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde setembro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Se procura móvel para guardar roupas, veja Guarda-roupas.
Disambig grey.svg Nota: Se procura pela planta, veja Santolina chamaecyparissus subsp. chamaecyparissus.

O título de guarda-roupa era equivalente a um cargo honorífico usado nas casas reais do Brasil e Portugal. Eram escolhidos geralmente entre a nobreza e fidalguia.

Tinham as funções áulicas de apoio e cooperação direta ao rei e sua família, sem serem serviçais, nas residências reais, em períodos alternados de tempo, e por isso eram chamados também de semanários e, genericamente, de camaristas.

Quando estavam de serviço, usavam uma farda verde, chamada de "côrte", e portavam na parte de trás da casaca, um distintivo que reproduzia uma chave dourada, insígnia que dava pleno acesso aos aposentos privados da família real ou imperial.

Ver também[editar | editar código-fonte]