Guarda Popular do Inter

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Guarda Popular Colorada
Fundação 28/11/2004 (15 anos)
Página oficial

Guarda Popular é um movimento do Sport Club Internacional que segue o estilo barra brava. É atualmente a maior e mais representativa torcida do clube. Também conhecida como "Popular", tem seu lugar no Portão 7, hoje também chamado de "Curva Sul" do Estádio Beira-Rio.

História[editar | editar código-fonte]

A Guarda Popular é resultado da união de dois movimentos de torcida surgidos em 2004, alternativos ao padrão predominante das torcidas organizadas brasileiras: "Popular do Inter" e "Guarda Colorada". Esses movimentos já tinham como maior inspiração o estilo barra-brava de torcer, tendo como características marcantes a ausência de uniformização da torcida, cânticos que valorizavam o clube e um ritmo de percussão murgueiro. É importante lembrar de movimentos precursores como os Diabos Vermelhos e os primeiro comando da Coréia, surgidos no início dos anos 2000, que tinham como ideologia agrupamento e expressão mais espontâneos, populares e esteticamente menos padronizados (uma leve influência das torcidas barra-brava e do saturamento da estética das T.Os tradicionais). Outro fator primordial para o desenvolvimento da barra foi o fechamento da "Coréia" (setor mais barato do estádio) em 2004 - o que resultou em uma migração de ex-"coreanos" (entre eles, os Diabos Vermelhos e os Malditos da Coreia) para o setor Popular do Estádio Beira-Rio, localizado na curva sul.

A torcida desfrutou de grande crescimento em 2006, atingindo o ápice no ano do centenário do clube, em 2009. No entanto, sofreu com disputas internas pela chefia da torcida a partir de 2011 e chegou a dissidir-se, com a migração dos principais membros fundadores para uma nova torcida com o nome do movimento originário "Popular do Inter". A situação foi harmonizada depois do afastamento de algumas lideranças de ambos os lados, fazendo com que os membros da dissidente Popular do Inter voltem à curva sul integrando-se novamente à Guarda Popular. A lacuna de poder, porém, abriu espaço para a ascensão de um grupo mais jovem, o Comando Trem, formado por colorados da região metropolitana de Porto Alegre.

Além das disputas internas e dos impedimentos do poder público, a reforma do Beira-Rio tornou-se outro fator de dificuldade para a torcida. A modernização e o encadeiramento do estádio diminuíram o espaço e a mobilidade no setor popular, bem como os camarotes localizados atrás do setor inicialmente dificultaram a logística da torcida, principalmente na colocação dos tirantes verticais.

Desde meados de 2015, entretanto, a torcida vem aos poucos recuperando seu espaço com a retirada parcial das cadeiras no seu setor, aprimorando seus instrumentistas e tendo alguns de seus materiais liberados, no intuito de inflamar os jogadores e o restante do estádio com seu carnaval. Atualmente a Guarda Popular possui sólidos "comandos" nas zonas Norte, Sul e Leste de Porto Alegre, Canoas, Gravataí, Alvorada, demais cidades da região metropolitana e em grandes cidades do interior do estado do Rio Grande do Sul.

Em 2019, como "promessa" do atual presidente Marcelo Medeiros, a torcida Guarda Popular conseguiu a retirada das cadeiras do seu espaço, facilitando e tornando mais bonita a festa atrás do gol.

Amizades[editar | editar código-fonte]

Argentina

Brasil

Ruas de Fogo[editar | editar código-fonte]

Evento pré-jogo organizado pela Guarda Popular, recepcionando o ônibus da delegação do clube por um corredor de sinalizadores, das ruas adjacentes ao pátio do estádio, em partidas decisivas e de grande mobilização de público. Antes movimentação espontânea dos torcedores, a Guarda Popular passou a intensificar esse modo de receber o ônibus do clube desde a semifinal da Copa Libertadores da América de 2010, contra o São Paulo.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Torcida é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.