Guatapará

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Guatapará
Bandeira de Guatapará
Brasão de Guatapará
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 5 de novembro
Fundação 9 de janeiro de 1990 (27 anos)
Gentílico guaratapaense
Prefeito(a) Juraci Costa da Silva (PR)
(2017–2020)
Localização
Localização de Guatapará
Localização de Guatapará em São Paulo
Guatapará está localizado em: Brasil
Guatapará
Localização de Guatapará no Brasil
21° 29' 49" S 48° 02' 16" O21° 29' 49" S 48° 02' 16" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Ribeirão Preto IBGE/2008 [1]
Microrregião Ribeirão Preto IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Ribeirão Preto
Municípios limítrofes Rincão, Pradópolis, Barrinha, Dumont, Ribeirão Preto, Cravinhos, Luís Antônio e Motuca
Distância até a capital
Características geográficas
Área 412,637 km² [2]
População 7 496 hab. Estimativa Populacional IBGE/2016[3]
Densidade 18,17 hab./km²
Altitude 512 m
Clima Clima tropical com estação seca
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,743 alto PNUD/2010[4]
PIB R$ Aumento175 750,000 mil IBGE/2014[5]
PIB per capita R$ 23 769,21 IBGE/2014[5]
Página oficial

Guatapará é um município brasileiro do estado de São Paulo, que faz parte da Região Metropolitana de Ribeirão Preto (RMRP). Localiza-se a uma latitude 21º29'48" sul e a uma longitude 48º02'16" oeste. Sua população estimada em 2016 era de 7.496 habitantes. Possui uma área de 412,637 km².

O município de Guatapará começou a ser concebido em 1865, quando Martinho Prado da Silva Júnior, conhecido como Martinico Prado, criou uma avançadíssima fazenda de café que levou o nome de um gracioso e pequeno mamífero que existia em abundância na região: o veado-guatapará.

A história registra que apesar dos mais de seis mil alqueires de terra, o café era cultivado em 260 alqueires. Mesmo assim, a fazenda estava inserida entre os maiores produtores do grão no Estado. 

Plantava-se também muito cereal e cana-de-açúcar. A fazenda tinha 56 empregados brasileiros e 1.610 imigrantes em 452 casas. A ideia de Martinico Prado era desenvolver a criação de uma cidade, que se chamaria Vila Albertina, o nome de sua esposa.

“A fazenda era um portento”, diz Wilson Montanheiro, 79 anos, o autor do hino do município, e grande conhecedor ds primórdios de Guatapará. Segundo ele, o nome de Vila Albertina só não pegou, em razão da existência de um porto, também chamado Guatapará, único meio de acesso à região.

Fazenda produzia café e era uma “cidade”; tinha cinema, dentista, médico e um palacete (Foto: Arquivo)

Em 1901, quando a Companhia Paulista assentou trilhos na vila – a Paulista ligava Barretos a São Paulo, com baldeação em Araraquara – sacramentou-se o nome de Guatapará. 

Segundo Montanheiro, é provável que naquele ano a vila já reunisse mais de dois mil habitantes.

Progressista

Em um dos sites sobre a história de Guatapará (assinado por Eduardo Vieira), consta que, no começo, a vila tinha uma farmácia com remédios, alguns importados da Itália, e antissépticos. O responsável era Joaquim Miranda Alves. O único médico era o dr. Guizzo, italiano formado em Nápoles.

Havia também uma escola ítalo-brasileira, um comércio de alimento, mercearia, leiteria, hotel, igreja e o cemitério. A população era de 2.074 almas, 1.162 de nacionalidade italiana, 111 brasileiras, 301 de outras nacionalidades. Só tinha um problema: não se conseguia chegar facilmente a Ribeirão Preto.

O fundador Martinico Prado (Foto: Arquivo)

Em 1905, quando circulou pela primeira vez, o A Cidade trouxe, com destaque, a preocupação manifesta dos moradores de Guatapará “no sentido de o quanto antes estabelecer uma via rápida de comunicação entre a cidade e aquele futuroso bairro”.

A primeira estrada ligando Ribeirão-Guatapará começava na mata de Santa Tereza e embrenhava-se se por várias fazendas como a Boa Vista, Labaredo, Resfriado e Aparecida.

“Era um terror. Em época de chuva, como agora, dificilmente se completava o percurso”, diz Wilson.

Mas havia uma explicação para a demora de melhorias na estrada.

É que já a partir de 1910, os moradores de Guatapará usavam a Companhia Paulista, via Barrinha, para chegar a Ribeirão. Inclusive, encomendas eram despachadas por trem.

Guatapará se torna distrito e município

Em 1938, o governo federal determinou que Estados e municípios regularizassem e demarcassem suas divisas. Coube ao então prefeito de Ribeirão, Fábio Barreto, em 30 de novembro do mesmo ano, criar o distrito de Guatapará, com sede localizada na fazenda.

O primeiro subprefeito de Guatapará foi Hermínio Felix Bonfim. Wilson Montanheiro foi funcionário da subprefeitura de Guatapará durante 36 anos. Em 1979, durante três, interinamente, exerceu o cargo de subprefeito.

Farmácia e Centro de Puericultura na fazenda Guatapará (Foto: Arquivo)

Na terceira administração de Welson Gasparini (1989-1992) Guatapará fez referendo popular, em 5 de novembro de 1989, para escolher seu destino. Decidiu se emancipar de Ribeirão. O município nasceu robusto, com área de 431 km², maior que Cravinhos, por exemplo, que tem 311 km².

Mas a primeira eleição municipal só aconteceria três anos depois. Norberto Secci do então PDS, tornou-se o primeiro prefeito. A briga política em Guatapará costuma ser intensa. O orçamento deste ano deve chegar aos R$ 28 milhões. O maior pagador de ICMS é a Mumbuca, impulsionada pelo trabalho de japoneses que administram 22 granjas com produção diária de 700 mil ovos, cana-de-açúcar, milho e soja

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2010

População total: 7.341

  • Urbana: 4.144
  • Rural: 2.227
  • Homens: 3.540
  • Mulheres: 3.207

Densidade demográfica (hab./km²): 15,44

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 13,50

Expectativa de vida (anos): 72,53

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,88

Taxa de alfabetização: 87,52%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,743

  • IDH-M Renda: 0,724
  • IDH-M Longevidade: 0,822
  • IDH-M Educação: 0,688

(Fonte: PNUD/2010)

Etnias[editar | editar código-fonte]

Cor/Raça Percentagem
Branca 63,0%
Negra 5,4%
Parda 21,6%
Amarela 9,1%

Fonte: Censo 2000

Administração[editar | editar código-fonte]

Composição Câmara de Vereadores 2017-2020

  • Paulo Henrrique Siena PT
  • Jonas Laurentino Do Prado PRTB
  • Osmar de Azevedo PR
  • Francisco Frediane PSDB
  • João Anselmo Miranda PDT
  • José Galoni PSDB
  • Julio Jiro PSDB
  • Paulo Cesar PC PPS
  • Anselmo Chuzi PPS

Esporte[editar | editar código-fonte]

Teve sua primeira participação em uma competição oficial de futsal em 2000, representada pela equipe Isa Futsal Clube. Já participou do campeonato paulista de futebol disputando a terceira divisão. Teve como primeiro campeão municipal por um torneio oficial o time Esporte Clube Guatapará conhecido principalmente como (Timão).

O município também foi palco da primeira luta de sumô realizada no Brasil.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008  line feed character character in |titulo= at position 21 (ajuda)
  2. IBGE. «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010  Parâmetro desconhecido |data7496= ignorado (ajuda)
  3. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (30 de agosto de 2016). «Estimativas da população residente nos municípios brasileiros com data referência em 1º de julho de 2016» (PDF). Consultado em 26 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 30 de agosto de 2016 
  4. «Ranking IDHM Municípios 2010». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2013. Consultado em 11 de junho de 2015 
  5. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2013). «Tabela 1 - Produto Interno Bruto a preços correntes e Produto Interno Bruto per capita segundo as Grandes Regiões, as Unidades da Federação e os municípios - 2014». Consultado em 14 de dezembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]