Guatapará

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Guatapará
Bandeira de Guatapará
Brasão de Guatapará
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 5 de novembro
Fundação 9 de janeiro de 1990 (27 anos)
Gentílico guaratapaense
Prefeito(a) Juraci Costa da Silva (PR)
(2017–2020)
Localização
Localização de Guatapará
Localização de Guatapará em São Paulo
Guatapará está localizado em: Brasil
Guatapará
Localização de Guatapará no Brasil
21° 29' 49" S 48° 02' 16" O21° 29' 49" S 48° 02' 16" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Ribeirão Preto IBGE/2008 [1]
Microrregião Ribeirão Preto IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Ribeirão Preto
Municípios limítrofes Rincão, Pradópolis, Barrinha, Dumont, Ribeirão Preto, Cravinhos, Luís Antônio e Motuca
Distância até a capital Não disponível
Características geográficas
Área 412,637 km² [2]
População 6 966 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 16,88 hab./km²
Altitude 512 m
Clima Clima tropical com estação seca
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,743 alto PNUD/2010[4]
PIB R$ 74 751,920 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 11 705,59 IBGE/2008[5]
Página oficial

Guatapará é um município brasileiro do estado de São Paulo, que faz parte da Região Metropolitana de Ribeirão Preto (RMRP). Localiza-se a uma latitude 21º29'48" sul e a uma longitude 48º02'16" oeste. Sua população estimada em 2013 era de 7.341 habitantes. Possui uma área de 412,637 km².

O município de Guatapará começou a ser concebido em 1865, quando Martinho Prado da Silva Júnior, conhecido como Martinico Prado, criou uma avançadíssima fazenda de café que levou o nome de um gracioso e pequeno mamífero que existia em abundância na região: o veado-guatapará.

A história registra que apesar dos mais de seis mil alqueires de terra, o café era cultivado em 260 alqueires. Mesmo assim, a fazenda estava inserida entre os maiores produtores do grão no Estado. 

Plantava-se também muito cereal e cana-de-açúcar. A fazenda tinha 56 empregados brasileiros e 1.610 imigrantes em 452 casas. A ideia de Martinico Prado era desenvolver a criação de uma cidade, que se chamaria Vila Albertina, o nome de sua esposa.

“A fazenda era um portento”, diz Wilson Montanheiro, 79 anos, o autor do hino do município, e grande conhecedor ds primórdios de Guatapará. Segundo ele, o nome de Vila Albertina só não pegou, em razão da existência de um porto, também chamado Guatapará, único meio de acesso à região.

Fazenda produzia café e era uma “cidade”; tinha cinema, dentista, médico e um palacete (Foto: Arquivo)

Em 1901, quando a Companhia Paulista assentou trilhos na vila – a Paulista ligava Barretos a São Paulo, com baldeação em Araraquara – sacramentou-se o nome de Guatapará. 

Segundo Montanheiro, é provável que naquele ano a vila já reunisse mais de dois mil habitantes.

Progressista

Em um dos sites sobre a história de Guatapará (assinado por Eduardo Vieira), consta que, no começo, a vila tinha uma farmácia com remédios, alguns importados da Itália, e antissépticos. O responsável era Joaquim Miranda Alves. O único médico era o dr. Guizzo, italiano formado em Nápoles.

Havia também uma escola ítalo-brasileira, um comércio de alimento, mercearia, leiteria, hotel, igreja e o cemitério. A população era de 2.074 almas, 1.162 de nacionalidade italiana, 111 brasileiras, 301 de outras nacionalidades. Só tinha um problema: não se conseguia chegar facilmente a Ribeirão Preto.

O fundador Martinico Prado (Foto: Arquivo)

Em 1905, quando circulou pela primeira vez, o A Cidade trouxe, com destaque, a preocupação manifesta dos moradores de Guatapará “no sentido de o quanto antes estabelecer uma via rápida de comunicação entre a cidade e aquele futuroso bairro”.

A primeira estrada ligando Ribeirão-Guatapará começava na mata de Santa Tereza e embrenhava-se se por várias fazendas como a Boa Vista, Labaredo, Resfriado e Aparecida.

“Era um terror. Em época de chuva, como agora, dificilmente se completava o percurso”, diz Wilson.

Mas havia uma explicação para a demora de melhorias na estrada.

É que já a partir de 1910, os moradores de Guatapará usavam a Companhia Paulista, via Barrinha, para chegar a Ribeirão. Inclusive, encomendas eram despachadas por trem.

Guatapará se torna distrito e município

Em 1938, o governo federal determinou que Estados e municípios regularizassem e demarcassem suas divisas. Coube ao então prefeito de Ribeirão, Fábio Barreto, em 30 de novembro do mesmo ano, criar o distrito de Guatapará, com sede localizada na fazenda.

O primeiro subprefeito de Guatapará foi Hermínio Felix Bonfim. Wilson Montanheiro foi funcionário da subprefeitura de Guatapará durante 36 anos. Em 1979, durante três, interinamente, exerceu o cargo de subprefeito.

Farmácia e Centro de Puericultura na fazenda Guatapará (Foto: Arquivo)

Na terceira administração de Welson Gasparini (1989-1992) Guatapará fez referendo popular, em 5 de novembro de 1989, para escolher seu destino. Decidiu se emancipar de Ribeirão. O município nasceu robusto, com área de 431 km², maior que Cravinhos, por exemplo, que tem 311 km².

Mas a primeira eleição municipal só aconteceria três anos depois. Norberto Secci do então PDS, tornou-se o primeiro prefeito. A briga política em Guatapará costuma ser intensa. O orçamento deste ano deve chegar aos R$ 28 milhões. O maior pagador de ICMS é a Mumbuca, impulsionada pelo trabalho de japoneses que administram 22 granjas com produção diária de 700 mil ovos, cana-de-açúcar, milho e soja

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2010

População total: 7.341

  • Urbana: 4.144
  • Rural: 2.227
  • Homens: 3.540
  • Mulheres: 3.207

Densidade demográfica (hab./km²): 15,44

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 13,50

Expectativa de vida (anos): 72,53

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,88

Taxa de alfabetização: 87,52%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,743

  • IDH-M Renda: 0,724
  • IDH-M Longevidade: 0,822
  • IDH-M Educação: 0,688

(Fonte: PNUD/2010)

Etnias[editar | editar código-fonte]

Cor/Raça Percentagem
Branca 63,0%
Negra 5,4%
Parda 21,6%
Amarela 9,1%

Fonte: Censo 2000

Administração[editar | editar código-fonte]

Composição Câmara de Vereadores 2017-2020

  • Paulo Henrrique Siena PT
  • Jonas Laurentino Do Prado PRTB
  • Osmar de Azevedo PR
  • Francisco Frediane PSDB
  • João Anselmo Miranda PDT
  • José Galoni PSDB
  • Julio Jiro PSDB
  • Paulo Cesar PC PPS
  • Anselmo Chuzi PPS

Esporte[editar | editar código-fonte]

Teve sua primeira participação em uma competição oficial de futsal em 2000, representada pela equipe Isa Futsal Clube. Já participou do campeonato paulista de futebol disputando a terceira divisão. Teve como primeiro campeão municipal por um torneio oficial o time Esporte Clube Guatapará conhecido principalmente como (Timão).

O município também foi palco da primeira luta de sumô realizada no Brasil.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking IDHM Municípios 2010». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2013. Consultado em 11 de junho de 2015 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]