Guerra servo-búlgara de 1885

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Guerra servo-búlgara de 1885
S-b war painting by Antoni Piotrowski.jpg
Os búlgaros atravessando a fronteira, por Antoni Piotrovskii.
Data 14 - 28 novembro de 1885
Local Sérvia e Bulgária
Desfecho Vitória búlgara decisiva;
Reconhecimento da Unificação da Bulgária
Beligerantes
Bulgária Principado da Bulgária State Flag of Serbia (1882-1918).svg Reino da Sérvia
Comandantes
Bulgária Alexandre I
Bulgária Atanas Uzunov
Bulgária Avram Gudzhev
Bulgária Danail Nikolaev
State Flag of Serbia (1882-1918).svg Milan I
State Flag of Serbia (1882-1918).svg Petar Topalović
State Flag of Serbia (1882-1918).svg Milojko Lešjanin
Forças
50 000 60 000
Baixas
550 mortos e 4 232 feridos 770 mortos e 4 570 feridos

A Guerra servo-búlgara (em búlgaro: Сръбско-българска война, translit. Srabsko-balgarska voyna; em sérvio: Српско-бугарски рат/ Srpsko-bugarski rat) foi uma guerra entre a Sérvia e a Bulgária, que durou de 14 de novembro [Calend. antigo 2 de novembro] até 28 de novembro [Calend. antigo 16 de novembro] de 1885. A guerra revelou a instabilidade do acordo de paz nos Bálcãs imposto pelo Tratado de Berlim de 13 de julho de 1878.

O Principado da Bulgária em comparação com os limites preliminares do Tratado de San Stefano.

Durante as negociações deste tratado, ambos os Estados estavam planejando obter mais territórios do Império Otomano. A Rumélia Oriental foi separada da Bulgária e ficou para o Império Otomano. Em 18 de setembro de 1885, os nacionalistas búlgaros tentam anexar a Rumélia para a Bulgária. A Sérvia se opõe a esse respeito. Contra a opinião pública de seu reino e contra o parecer do exército, o Rei da Sérvia Milan I reivindicou uma parte do território da Bulgária e iniciou uma política externa ofensiva para tentar esconder os conflitos internos da Sérvia. Assim, declara guerra à Bulgária em 14 de novembro de 1885 e é derrotado pelos búlgaros na Batalha de Slivnitsa de 19 de novembro de 1885. As tropas búlgaras, em seguida, invadem a Sérvia, e Alexandre I aceita o armistício sob a ameaça de intervenção militar do Império Austro-Húngaro.

Pelo Tratado de Bucareste de 3 de março [Calend. antigo 19 de fevereiro] de 1886, as fronteiras foram novamente reconhecidas, mas os búlgaros preservaram a Rumélia Oriental. Assim, como resultado da guerra, as potências europeias reconheceram o ato de Unificação da Bulgária, que aconteceu no dia 18 de setembro [Calend. antigo 6 de setembro] de 1885.[1][2]

Debilitado por esta derrota, o Milan I abdicou em 1889 e deixou o poder a seu filho Alexandre I da Sérvia.

Referências

  1. Wikisource-logo.svg Vários autores (1911). «Bulgaria/History». In: Chisholm, Hugh. Encyclopædia Britannica. A Dictionary of Arts, Sciences, Literature, and General information (em inglês) 11.ª ed. Encyclopædia Britannica, Inc. (atualmente em domínio público) 
  2. Anderson, Frank Marby; Amos Shartle Hershey (1918). «The Serbo-Bulgarian War of 1885-86». Handbook for the Diplomatic History of Europe, Asia, and Africa 1870-1914. Washington, DC: National Board for Historical Service, Government Printing Office. pp. 124–126 

Ver também[editar | editar código-fonte]