Guerras civis romanas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Houve várias guerras civis na antiga Roma, especialmente durante a República tardia. A mais famosa dessas guerras é a guerra nos anos 40 a.C. entre Júlio César e a facção optimate da elite senatorial inicialmente liderada por Pompeu e a subsequente guerra entre os sucessores de César, Otaviano e Marco Antônio nos anos 30 a.C. A seguinte é uma lista de guerras civis na antiga Roma.

República tardia[editar | editar código-fonte]

Conflito Data Resultado
Guerra Social (91–88 a.C.), entre Roma e muitos de seus aliados itálicos 91–88 a.C. Vitória romana
Primeira Guerra Civil de Sula, entre os apoiadores de Lúcio Cornélio Sula e as forças de Caio Mário 88–87 a.C. Vitória de Sula
Guerra Sertoriana, entre Roma e as províncias de Hispânia sob a liderança de Quinto Sertório, um apoiador de Caio Mário 83–72 a.C. Vitória de Sula
Segunda Guerra Civil de Sula, entre os apoiadores de Sula e Mário 82–81 a.C. Vitória de Sula
Rebelião de Lépido, quando Lépido se rebelou contra o regime de Sula 77 a.C. Derrota de Lépido
Conspiração de Catilina, entre o senado e os seguidores insatisfeitos de Catilina 63–62 a.C. Vitória senatorial
Guerra Civil de César, entre Júlio César e os Optimates inicialmente liderados por Pompeu 49–45 a.C. Vitória de César
Guerra Civil Pós-César, entre o exército do senado (liderado primeiro por Cícero e então Otaviano) e o exército de Antônio, Lépido, e seus colegas 44–43 a.C. Trégua resulta em união de forças
Guerra Civil dos Liberatores, entre o Segundo Triunvirato e os Liberatores (Bruto e Cássio, assassinos de César) 44–42 a.C. Vitória do Triunvirato
Revolta siciliana, entre o Segundo Triunvirato (particularmente Otaviano e Agripa) e Sexto Pompeu, o filho de Pompeu 44–36 a.C. Vitória do Triunvirato
Guerra de Perúsia, entre as forças de Otaviano contra Lúcio Antônio e Fúlvia (o jovem irmão e esposa de Marco Antônio) 41–40 a.C. Vitória de Otaviano
Última Guerra Civil da República Romana, entre Otaviano e seu amigo e general Agripa contra Marco Antônio e Cleópatra 32–30 a.C. Vitória de Otaviano

Império inicial[editar | editar código-fonte]

Conflito Data Resultado
Ano dos Quatro Imperadores, entre vários romanos seguindo a morte de Nero (68 d.C.). Após o suicídio de Nero, os generais Galba, Otão, e Vitélio tomam o trono dentro de meses de cada outro. General Vespasiano, que até aquele ponto estava lutando na revolta na Judeia, é vitorioso. Ele funda a dinastia flaviana. 69 Após a tomada de poder pelos flavianos e então antoninos, o Império Romano está experienciando um longo período de paz e calma

Império médio[editar | editar código-fonte]

Conflito Data Resultado
Ano dos Cinco Imperadores e a subsequente guerra civil, entre os generais Séptimo Severo, Pescênio Níger e Clódio Albino seguindo o assassinato de Comodo (192 d.C.) e os subsequentes assassinatos de Pertinax e Dídio Juliano (193 d.C.). Severo é vitorioso e funda a dinastia severa. 193–196 Séptimo Severo finalmente conquista o título de imperador
Ano dos Seis Imperadores, entre vários generais contra Maximino Trácio e após seu assassinato. Após Gordiano I e Gordiano II serem derrotados por um exército pró-Maximino seguindo uma tentativa para derrubar o imperador, Maximino é assassinado. Pupieno, Balbino, e Gordiano III substituem ele, mas os primeiros dois são assassinados dentro de meses e apenas Gordiano III sobrevive. 238 Maximino Trácio deposto e substituído por Gordiano III
Conflito Data
Durante a Crise do Terceiro Século (235–284 d.C.), vários generais lutaram uns contra os outros para se tornar imperador e imperadores lutaram contra usurpadores, então a guerra civil era constante naquele período. 235–284

Império tardio[editar | editar código-fonte]

Conflito Data Resultado
Guerras Civis da Tetrarquia, começando com a usurpação de Magêncio e a derrota de Flávio Valério Severo, e terminando com a derrota de Licínio nas mãos de Constantino I em 324 d.C. A Tetrarquia estabelecida por Diocleciano acabaria por causa dessas guerras. 306–324 Derrota de Licínio por Constantino I
Guerra Civil de 350–351 d.C., quando o imperador Constâncio II derrotou o usurpador Magnêncio. 350–351 Vitória de Constâncio II
Guerra Civil de 394 d.C., quando o imperador oriental Teodósio I derrotou o usurpador Eugênio. 394 Vitória de Teodósio I
Guerra Gildônica, quando o Comes Gildão se rebelou contra o imperador ocidental Honório. A revolta foi subjugada por Flávio Estilicão, o magister militum do Império Romano do Ocidente. 398 Vitória imperial

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Kohn, George Childs, 'Dictionary of Wars, Revised Edition' (Checkmark Books, New York, 1999)
  • Ronald Syme: Die römische Revolution. Machtkämpfe im antiken Rom. Grundlegend revidierte und erstmals vollständige Neuausgabe, hg. von Christoph Selzer und Uwe Walter, Stuttgart 2003.
  • Heinz Bellen: Grundzüge der römischen Geschichte. Von der Königszeit bis zum Übergang der Republik in den Prinzipat. Darmstadt 1995.
  • César, De Bello civili.
  • Plutarco, Bioi Paralleloi' (Gracos, Mário e César).
  • Suetônio, De Vita Caesarum (César e Otaviano).