Guerreiro (folguedo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Guerreiro é um grupo de dançadores e cantadores semelhante ao reisado, mas com maior número de figurantes e episódios, maior riqueza nos trajes e enfeites e maior beleza nas músicas.

É um folguedo natalino surgido em Alagoas entre os anos de 1927 e 1929, sendo o resultado da fusão de reisados alagoanos, da chegança, dos pastoris e do auto das caboclinhas.

Rico em cores e enredo, é o folguedo mais frequente nas festas populares, possuindo vários personagens como rei, rainha, mestre, contra-mestre, dois embaixadores, general, lira, índio Peri e seus vassalos, dois mateus, dois palhaços, às vezes uma catirina, a sereia, a estrela de ouro, a estrela brilhante, a estrela republicana, a banda da lua e as figuras ou "figural".

Os trajes são multicoloridos, imitação dos antigos trajes nobres, adaptados ao gosto e às possibilidades econômicas. Usam fitas, espelhos, contas de aljôfar, enfeites de árvore de natal nos chapéus, que aparecem em forma de igrejas, palácios e catedrais, diademas, coroas, guarda-peitos, calções e mantos.

O mestre é o responsável por todos os componentes do grupo, tem o dom do canto, do tropel e da grosa, ensina e coordena as partes. O guerreiro possui ainda uma série de entremeios como o doido, o javali, o morto-vivo, o lobisomem, o diabo e a alma, o capitão piloto, o mascote, a mãe velha, o messias, o mata-mosquito e o boi, que aparece mais simplificado e modernizado que nos reisados, não havendo nem morte, nem repartição e nem ressurreição do mesmo.

Consta de uma sequência de cantigas dançadas, denominadas de "peças", intercaladas de "marchas" e representações constituídas de entremeios e partes: marcha da rua, cantos e danças de abrição de portas, entrada de sala, adoração ao divino e despedida.

Principais grupos de guerreiro em Alagoas[editar | editar código-fonte]

  • Guerreiro do Mestre Adelmo (Cajueiro)
  • Mestre Eduardo (Coruripe)
  • Manoel Quirino (Cajueiro)
  • Zé Leonízio (Murici)
  • Mestre Venâncio (in memorian 2008). Atualmente o grupo Mensageiro Padre Cícero criado pelo Mestre Venâncio está sob a batuta do mestre André (Cidade Universitária - Maceió)
  • Mestre Benom Pinto (Bebedouro - Maceió)
  • José Tenório (Chã da Jaqueira - Maceió)
  • Augusto Maria (Tabuleiro dos Martins - Maceió)
  • Celsa Maria (Vergel do Lago - Maceió)
  • O Guerreiro Alagoano do Trivolim - Cia de Expressões Populares (São Paulo)
  • Mestre José Eduardo Salvador (Penedo)
  • Guerreiro de Crianças do Bairro da Paciência - Griô Ferrete (Piaçabuçu)
  • Guerreiro de Aço - do Mestre Alexandre (Piaçabuçu)
  • Guerreiro da Edilene- (Pinheiro - Maceió)
  • Guerreiro do Grupo de Folguedos e Danças Prof. Pedro Teixeira (Cruz das Almas - Maceió)

Bibliografia básica[editar | editar código-fonte]

  • ALAGOAS, Secretaria de Cultura do Estado de. Alagoas, seus folguedos & suas danças. 1ª edição, 2016
  • BRANDÃO, Théo. Folguedos Natalinos. 3ª edição, 2003
  • DANTAS, Cármen Lúcia, TENÓRIO, Douglas Apratto. Alagoas Popular: folguedos e danças da nossa gente. Instituto Arnon de Melo, 2013
  • PEDROSA, Tania de Maya. Arte popular em Alagoas. Maceió, 2004
  • ROCHA, José Maria Tenório. Folguedos e danças de Alagoas. Maceió, 1984