Guia Michelin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Guia Michelin é um guia turístico publicado pela primeira[1] vez em 1900 por André Michelin, um industrial francês fundador da Compagnie Générale des Établissements Michelin, fabricante de pneus mais conhecida como Michelin. O objetivo de André era o de promover o turismo para o crescente mercado automobilístico.

Está presente na maioria dos países europeus e em vários no mundo todo[2] . O Guia é publicado em duas cores sendo que cada uma delas tem uma aplicação diferenciada.

Guias gastronómicos[editar | editar código-fonte]

Os Guias Gastronómicos incluem os Guias Vermelhos e os Guias Gourmants[3] .

Os Guias Vermelhos[editar | editar código-fonte]

Capa da edição francesa de 1929

É o guia de referência de hotéis e restaurantes. Impresso com o máximo sigilo e com tiragem desconhecida, este guia é o mais respeitado do mundo[4] e premia os melhores restaurantes, classificando-os com estrelas (de 1 a 3) e que representam o sonho ou o pesadelo de qualquer chef. Ganhar uma estrela do guia significa a ascensão do restaurante e dos seus chefs ao passo que perder uma delas pode levar até a uma tragédia como a do chef Bernard Loiseau que se suicidou[5] em Fevereiro de 2003, com um tiro na cabeça aos 52 anos, desesperado com o rumor de que o seu estabelecimento perderia a classificação de "três estrelas" no Guia Michelin.

Os Guias Michelin vermelhos são cada vez mais numerosos e diversos. Em 2006, 12 guias vermelhos citavam mais de 45.000 hotéis e restaurantes em toda a Europa e em Nova Iorque (desde 2006). O guia vermelho é publicado para a França, o Benelux, a Itália, a Alemanha, a Espanha e Portugal, a Suíça, o Reino Unido e a Irlanda e as principais cidades da Europa como Paris, Roma e Londres.

Um novo guia vermelho é dedicado à cidade de Tóquio em 2008 e já conta com 8 restaurantes "três estrelas" entre mais de 150 "estrelados".

Guia Michelin Portugal[editar | editar código-fonte]

O Guia Michelin é publicado em Portugal desde 1974. Segue-se a lista dos restaurantes premiados com estrelas no Guia Michelin 2016[6] .

Duas Estrelas[editar | editar código-fonte]

MichelinStar.svgMichelinStar.svg

Restaurantes com Duas Estrelas Michelin
Restaurante Localidade Distrito Michelin-1.gif Michelin-1.gifMichelin-1.gif Chef Principal
Vila Joya Albufeira Faro 1995 1999 Áustria Dieter Koshina
Ocean Alporchinhos Faro 2010 2012 Áustria Hans Neuner
Belcanto Lisboa Lisboa 2013 2015 Portugal José Avillez

Uma Estrela[editar | editar código-fonte]

MichelinStar.svg

Restaurantes com Uma Estrela Michelin
Restaurante Localidade Distrito Michelin-1.gif Chef Principal
Fortaleza do Guincho Cascais Lisboa 2000 Portugal Miguel Vieira
Henrique Leis Almancil Faro 2000 Brasil Henrique Leis
São Gabriel Almancil Faro 2000–2013 2015 Portugal Leonel Pereira
Eleven Lisboa Lisboa 2006–2010 2014 Alemanha Joachim Koerper
Il Gallo d´Oro Funchal Madeira 2010 França Benoît Sinthon
Largo do Paço Amarante Porto 2010 Portugal André Silva
Feitoria Lisboa Lisboa 2012 Portugal João Rodrigues
The Yeatman Vila Nova de Gaia Porto 2012 Portugal Ricardo Costa
Willie´s Vilamoura Faro 2013 Alemanha Willie Wurger
Pedro Lemos Porto Porto 2015 Portugal Pedro Lemos
Bon Bon Carvoeiro Faro 2016 Portugal Rui Silvestre

Hotéis[editar | editar código-fonte]

O Guia Michelin atribui de um a cinco pavilhões aos hotéis que recomenda, atribuindo a cor vermelha aos que considera especialmente agradáveis.

Five red pavillions.jpg Cinco Pavilhões Vermelhos 2016[editar | editar código-fonte]

Hotel Localidade Cadeia
Vidago Palace Vidago, Vila Real Independente
Penha Longa Hotel Penha Longa, Sintra Ritz Carlton

Four red pavillions.jpg Quatro Pavilhões Vermelhos 2016[editar | editar código-fonte]

Hotel Localidade Cadeia
Vila Vita Park Porches, Lagoa Independente
Vilalara Thalassa Resort Porches, Lagoa Blue & Green
Convento do Espinheiro Évora Luxury Collection, Starwood
Pousada do Porto, Palácio do Freixo Porto Pousadas de Portugal, Pestana Hotels & Resorts
The Yeatman - Relais & Chateaux Vila Nova de Gaia Independente
Palácio do Estoril Estoril Independente
Lapa Palace Lisboa Olissipo Hotels
Pestana Palace Lisboa Pestana Hotels & Resorts
Palácio de Seteais Sintra Tivoli Hotels
Choupana Hills Funchal Independente
Quinta das Vistas Funchal Independente

Guia Michelin Rio de Janeiro e São Paulo[editar | editar código-fonte]

O primeiro Guia Michelin foi publicado no Brasil em 2015[7] . Ele foi dividido entre restaurantes de São Paulo e Rio de Janeiro.

Duas Estrelas[editar | editar código-fonte]

MichelinStar.svgMichelinStar.svg

Restaurantes com Duas Estrelas Michelin
Restaurante Localidade Michelin-1.gifMichelin-1.gif Chef Principal
D.O.M. São Paulo 2015 Brasil Alex Atala[8]

Uma Estrela[editar | editar código-fonte]

MichelinStar.svg

Restaurantes com Uma Estrela Michelin
Restaurante Localidade Michelin-1.gif Chef Principal
Attimo São Paulo 2015 Brasil Jefferson Rueda
Dalva e Ditto São Paulo 2015 Brasil Alex Atala e Daniel Redondo
Fasano São Paulo 2015 Itália Luca Gozzani
Huto São Paulo 2015 Brasil Fábio Honda
Jun Sakamoto São Paulo 2015 Brasil Jun Sakamoto
Kinoshita São Paulo 2015 Japão Tsuyoshi Murukami
Kosushi São Paulo 2015 Brasil George Koshoji
Máni São Paulo 2015 Brasil Helena Rizzo
Roberta Sudbrack Rio de Janeiro 2015 Brasil Roberta Sudbrack
Oro Rio de Janeiro 2015 Brasil Felipe Bronze
Olympe Rio de Janeiro 2015 França Claude Troisgros
Lasai Rio de Janeiro 2015 Brasil Rafael Costa e Silva
Mee Rio de Janeiro 2015 Brasil Rafael Hidakae
Kan Suke São Paulo 2016 Japão Keisuke Egashira
Esquina Mocotó São Paulo 2016 Brasil Rodrigo Oliveira
Tête à Tête São Paulo 2016 Brasil Gabriel Mateuzzi e Guilherme Vinha
Eleven Rio de Janeiro 2016 Alemanha Portugal Joachim Korper e Paulo Leite

Hotéis[editar | editar código-fonte]

Em 2015 e 2016 não foi atribuido o galardão máximo de cinco pavilhões vermelhos a hotéis em São Paulo ou Rio de Janeiro.

Four red pavillions.jpg Quatro Pavilhões Vermelhos 2016[editar | editar código-fonte]

Hotel Localidade Cadeia
Fasano São Paulo Fasano
Tivoli São Paulo Mofarrej São Paulo Tivoli Hotels
Unique São Paulo Independente

Guias Gourmands[editar | editar código-fonte]

É uma seleção dos restaurantes típicos de cada região da França[9] ou do mundo.

Os Guias Turísticos[editar | editar código-fonte]

Guias Verdes[editar | editar código-fonte]

O guia verde[10] é um guia turístico que se concentra no património natural e cultural por região. É publicado para todas as regiões da França e para a maior parte das regiões da Europa.

Guias Práticos[editar | editar código-fonte]

São os guias[11] para os viajantes individuais com informações mais objetivas incluindo as edições de bolso.

Referências

  1. Revista A Adega. «O mundo estrelado». Ed.51 (01/2010). Consultado em 16/07/2016. 
  2. Gazeta do Povo. «Guia Michelin terá versão brasileira». 28/05/2014. Consultado em 16/07/2016. 
  3. Jornal O Povo online. «Rio e Sampa no inigualável Guia Michelin». 08/06/2014. Consultado em 24/07/2016. 
  4. Editora Abril - Revista Voce S/A
  5. Le Figaro. «Bernard Loiseau ou la tyrannie de la notoriété» (em francês). 22/01/2013. Consultado em 15/07/2016. 
  6. Público.pt. «Rui Silvestre é o novo chef português com estrela Michelin». 25-11-2015. Consultado em 26-11-2015. 
  7. Infood. «Quanto vale uma estrela do Guia Michelin». 25/04/2016. Consultado em 16/07/2016. 
  8. Portal G1. «Guia Michelin mantém restaurante de SP como único com duas estrelas». 28/04/2016. Consultado em 16/07/2016. 
  9. Jornal O Povo online. «Rio e Sampa no inigualável Guia Michelin». 08/06/2014. Consultado em 16/07/2016. 
  10. Diário del Viajero. «Guía Michelin: la verde» (em espanhol). 16/05/2008. Consultado em 16/07/2016. 
  11. Peregrino Viajor. «Guia do Caminho de Santiago - Sugestões». 03/03/2013. Consultado em 16/07/2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Guia Michelin