Guile

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Guile (Street Fighter))
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura por pelo interpretador virtual, veja GNU Guile.
Guile
Informações gerais
Nome no Japão Gairu (ガイル)
Série Street Fighter
Primeiro jogo Street Fighter II (1991)
Dublador japonês Tesshō Genda (série Street Fighter EX e Street Fighter II V)
Toshihide Tsuchiya (série Street Fighter Alpha e Marvel vs. Capcom 2: New Age of Heroes)
Unshō Ishizuka (série SNK vs. Capcom e Capcom Fighting Jam)
Takenosuke Nishikawa (SNK vs. Capcom: SVC Chaos)
Hiroki Yasumoto (Street Fighter IV)
Masane Tsukayama (Street Fighter II: The Animated Movie)
Norio Wakamoto (Street Fighter II: Mad Revenger)
Informações pessoais
Terra natal  Estados Unidos
Afiliação Força Aérea dos Estados Unidos
Estilo(s) de luta Artes marciais militares com técnicas de Wrestling profissional e boxe.

Guile (ガイル Gairu?) é um personagem da série de videogames Street Fighter, da empresa Capcom. Tendo uma clara e leve inspiração no personagem Stroheim do mangá JoJo's Bizarre Adventure.[1]

Ficha Técnica[editar | editar código-fonte]

  • Primeira aparição: Street Fighter II The World Warrior (1991)
  • Aniversário: 20 de dezembro de 1960
  • Altura: 182cm.
  • Peso: 86kg.
  • Medidas: B125, C83, Q89.
  • Tipo sanguíneo: O.
  • Nacionalidade: Estados Unidos da America.
  • Habilidades especiais: Artes marciais com técnicas militares e wrestling.
  • Golpes: Sonic Boom, Somersault, Double Flash, Sonic Hurricane.

Falas Famosas[editar | editar código-fonte]

  • "Are you man enough to fight with me?" (Você é homem o suficiente para me enfrentar?")
  • "Go home and be a family man!" ("Vá para casa e seja um homem de família!")

Origem ficcional[editar | editar código-fonte]

Pré-Alpha[editar | editar código-fonte]

Quando era um jovem sargento, Guile aprendeu as técnicas militares de luta. Quando recrutado, tinha um porte físico muito magro, que com o tempo desenvolveu, tornando-se aos poucos o Guile Musculoso que conhecemos de jogos mais recentes. Durante este tempo, chegou a conhecer Ken Masters, de quem chegou a não gostar muito, tendo a enfrentar este, que teve que ser hospitalizado após a briga entre os dois (Ken). Guile também chega a conhecer M. Bison, e descobre este ser uma grande ameaça para seu país, nisso, devota sua vida á caçar e impedir o vilão.

Poucos anos depois, como capitão, Guile era o oficial superior de Charlie Nash (Nash na versão japonesa), de quem ficou muito amigo. Guile ensinou a Charlie seu estilo de luta singular, e mesmo sendo superior a Charlie, Guile ainda pediu para que seu companheiro o ensinasse algumas habilidades, o que ele concordou e fez, ainda que o temperamento forte de Guile o impedisse de ter um controle de Ki tão preciso quanto o de Charlie, fazendo com que ele tivesse que usar 2 braços para lançar o Sonic Boom, enquanto seu aspirante usava apenas um.

Street Fighter Alpha 3[editar | editar código-fonte]

Em uma missão contra o tráfico de drogas, Charlie acha conexões com a organização Shadaloo, mas a Força Aérea dos Estados Unidos o proíbe de ir mais adiante com sua investigação, mas ele parte no encalço da Shadaloo mesmo assim. Ao saber disso, a Força Aérea envia Guile para trazer seu soldado de volta. Quando finalmente o encontra, os dois amigos se enfrentam e Guile sai vitorioso, mas Charlie o convence de que sua missão é a coisa certa a fazer, assim, Guile acaba se juntando a Charlie e Chun Li na missão contra a Shadaloo.

Ao chegarem na base da organização criminosa, eles se dividem, Chun Li vai procurar mais informações nos computadores enquanto Charlie e Guile plantam explosivos na fonte de força de M. Bison, o Psycho Drive. Guile percebe ser aquele Bison que ele conhecia de anos anteriores. Entretanto M. Bison, após derrotar Chun Li, supreende os dois. Charlie convence Guile a fugir com Chun Li enquanto ele enfrenta o vilão. Guile obedece seu aprendiz e parte com a garota pouco antes da base explodir, matando M.Bison e Charlie. Do alto de uma montanha perto dos escombros daquilo que já foi a maior base da Shadaloo, Guile diz que sempre se lembrará de Charlie, não só como um militar fiel, mas como um grande amigo.

Torneio Street Fighter 2[editar | editar código-fonte]

Pouco tempo depois, Guile sai da Força Aérea após descobrir que Bison não só havia sobrevivido a explosão, como também saiu impune em todos os processos criminais contra ele. Guile então devota novamente sua vida à caçar e matar o vilão, mesmo tendo que abandonar sua família para atingir tal objetivo. Quando Bison patrocina o segundo torneio World Warriors Tournament (Torneio de Guerreiros Mundiais), Guile entra na disputa a fim de enfrentar M.Bison e vingar a morte de seu soldado.

Durante o torneio, acredita-se que Guile chegou mesmo a enfrentar o próprio Bison, e durante a luta o derrota. Mas um Bison convencido de tamanho poder se levanta diante de Guile e de outros lutadores(inclusive Ryu) afirmando que uma derrota num torneio não é o suficiente para o derrubar. Nisso, como prometido, Guile parte para matar Bison, mas é impedido por sua família, que afirma: "Matar Bison não trará Charlie de volta, mas pode destruí-lo!"(no caso, destruir ao próprio Guile, fazendo dele um assassino, semelhante ao que Bison era). Guile então é convencido a poupar Bison, de contrapartida, Akuma aparece do nada e acaba matando o perigoso vilão utilizando-se de seu "shun-goku-satsu".

Versões alternativas[editar | editar código-fonte]

Street Fighter Victory[editar | editar código-fonte]

Esta série conta como Guile conheceu Ryu e Ken, podendo ser levada em conta por mais que seja uma versão alternativa que destoa da cronologia oficial.

Ryu e Ken estão em um bar quando este último se aproxima de uma mesa de baderneiros e tenta paquerar uma bela garota, que acaba correspondendo ás intenções do garoto, o que enfurece os amigos dela que se sentem ofendidos pela tal ação e partem para a briga contra Ken e Ryu, que apesar de mais fracos e em menos número, conseguem driblar seus oponentes.

Logo após o ocorrido, Guile aparece e desafia os dois, dando a maior surra em Ryu a fim de defender seus homens derrotados pelo mesmo. Na manhã seguinte, Ken decide se vingar e vai até a base militar onde Guile trabalha, apenas para apanhar do mesmo de forma semelhante a qual Ryu apanhou na noite anterior.

Muitos episódios depois, Ken é sequestrado por Bison e Guile é contratado pelo Sr. Masters (pai de Ken) para salvá-lo, que faz Guile crer que não somente Ken estaria em perigo nas mãos da Shadaloo, mas também Ryu, que havia desaparecido juntamente com seu amigo. Antes de chegar á base da Shadaloo, no meio do caminho, Guile vê um jipe, onde vê Zangief levando Ryu nas costas. Chegando a ilha, Nash pergunta o que incomoda Guile, porque ambos passaram por muitas coisas juntos. Ao adentrar na base da Shadaloo, Guile se depara com Zangief, que o enfrenta, mas mesmo debilitado, Guile consegue derrotar o barbudo após uma intensa batalha.

Logo após, Nash não dá mais sinal de vida e Guile perde o contato com seu amigo, ainda acreditando que este está vivo, quando sobe ao quartel general e vê Nash morto e nada pode fazer contra Bison. Bison designa Chun-Li, controlada pelo micro cyber chip em sua testa para enfrentar Guile, mas Guile fica sem entender porque que Chun-Li, que na verdade é amiga de Ken e Ryu, o atacaria. Ryu e Ken alcançam Guile e os três juntos resolvem enfrentar Bison, mas Guile e Chun-Li são mandados para fora da base. Guile tenta a todo custo salvar Ken e Ryu, mas qualquer tentativa era inútil, porque Chun-Li o detinha. Depois de libertada da influência do micro cyber chip, Guile dá a notícia que não pode fazer nada por Ken e Ryu, mas os dois aparecem em meio a fumaça e Chun-Li vai até eles para dar as boas vindas.

= Street Fighter: The Storyteller Game[editar | editar código-fonte]

Easter eggs e aparições em outros jogos[editar | editar código-fonte]

Em Final Fight 2 podemos ver Guile na segunda fase do game onde passamos por uma base aérea.

Em The King of Fighters '94 (KOF 94) como uma das estatuas do boss do game Rugal Bernstein.

Referências

  1. «Cópia arquivada». Consultado em 9 de dezembro de 2011. Arquivado do original em 7 de dezembro de 2011 
  2. Cassaro, Marcelo (março de 2008). «Street Fighter RPG». Editora Escala. Dragon Slayer