Guilherme, Duque de Saxe-Weimar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Guilherme
Duque de Saxe-Weimar
Duque de Saxe-Weimar
Reinado 6 de dezembro de 1626
a 17 de maio de 1662
Antecessor(a) João Ernesto I, Duque de Saxe-Weimar
Sucessor(a) João Ernesto II em Saxe-Weimar
Adolfo Guilherme em Saxe-Eisenach
Bernardo II em Saxe-Jena
 
Esposa Leonor Doroteia de Anhalt-Dessau
Descendência Guilherme de Saxe-Weimar
João Ernesto II, Duque de Saxe-Weimar
João Guilherme de Saxe-Weimar
Adolfo Guilherme, Duque de Saxe-Eisenach
João Jorge I, Duque de Saxe-Eisenach
Guilhermina Leonor de Saxe-Weimar
Bernardo II, Duque de Saxe-Jena
Doroteia Maria de Saxe-Weimar
Casa Wettin
Nascimento 11 de abril de 1598
  Altemburgo, Eleitorado da Saxónia, Sacro Império Romano-Germânico
Morte 17 de maio de 1662 (64 anos)
  Weimar, Eleitorado da Saxónia, Sacro Império Romano-Germânico
Pai João II, Duque de Saxe-Weimar
Mãe Doroteia Maria de Anhalt
Guilherme com a sua esposa e filhos.

Guilherme, Duque de Saxe-Weimar (11 de Abril de 159817 de Maio de 1662), foi um duque de Saxe-Weimar.

Guilherme era o quinto filho (terceiro a chegar à idade adulta) de João II, Duque de Saxe-Weimar, e da princesa Doroteia Maria de Anhalt. Era irmão do príncipe Bernardo de Saxe-Weimar, um conhecido general protestante da Guerra dos Trinta Anos, e de Ernesto I, Duque de Saxe-Gotha (depois Altemburgo), um governante bem-sucedido e popular conhecido como "o Devoto".

Juventude[editar | editar código-fonte]

Tal como os seus irmãos João Ernesto e Frederico, Guilherme estudou na Universidade de Jena. Mais tarde, acompanhou os seus irmãos nos seus estudos no estrangeiro. A sua viagem educacional começou em finais de Agosto de 1613; os irmão visitaram a França, a Grã-Bretanha e os Países Baixos antes de regressarem ao seu país natal em 1614.

Alguns anos mais tarde, a 24 de Agosto de 1617, durante o funeral da sua mãe, Guilherme ajudou a criar a Sociedade Frutífera. Em 1651 tornou-se no segundo chefe da sociedade.

Reinado[editar | editar código-fonte]

Em 1620, Guilherme tornou-se regente de todos os estados do seu irmão mais velho, João Ernesto, depois de este ser banido por se recusar a obedecer ao sacro-imperador. Quando João Ernesto morreu em 1626, Guilherme herdou o título de duque de Saxe-Weimar.

Um ano depois, Guilherme foi nomeado membro da Ordem da Estabilidade. Durante os anos de 1622-1623, criou uma federação patriótica, a Friedbund Alemã, para promover os estados alemães e as liberdades religiosas. O tio materno de Guilherme, Luís I, Príncipe de Anhalt-Köthen, deu um contributo financeiro generoso para ajudar essa federação.

Subida ao poder[editar | editar código-fonte]

Guilherme aliou-se aos seus irmãos durante a Guerra dos Trinta Anos, prestando serviço militar ás ordens de Ernst von MansfeldJorge Frederico, Marquês de Baden-Durlach. Mais tarde, foi promovido quando prestava serviço às ordens de Cristiano, o Jovem de Brunswick.

Durante a divisão os estados paternos em 1640, Guilherme ficou com Weimar e Jena e o seu irmão mais novo, Alberto, recebeu Eisenach. Quando Alberto morreu sem deixar descendentes em 1644, Guilherme passou a controlar toda a herança.

Foi o rei Gustavo II Adolfo da Suécia o responsável pela subida rápida de Guilherme pelos rankings militares. No entanto, após a sua morte, o conde Axel Oxenstierna conseguiu impedir com sucesso que Guilherme assumisse outro comando como tenente-general e Guilherme teve também de concordar com a Paz de Praga de 1635.

Quando Luís I, Príncipe de Anhalt-Köthen morreu a 7 de Janeiro de 1650, os membros da Sociedade Frutífera decidiram que Guilherme devia sucedê-lo como chefe da sociedade. Após o período de luto obrigatório, Guilherme tornou-se o novo chefe a 8 de Maio de 1651, uma posição que manteve até ao fim da vida. No entanto, ao contrário do seu antecessor, apenas se limitou a tarefas representativas.

Casamento e descendência[editar | editar código-fonte]

A 23 de Maio de 1625, Guilherme casou-se em Weimar com a princesa Leonor Doroteia, filha de João Jorge I, Prince of Anhalt-Dessau. Tiveram nove filhos:

  1. Guilherme de Saxe-Weimar (26 de Março de 1626 - 1 de Novembro de 1626).
  2. João Ernesto II, Duque de Saxe-Weimar (11 de Setembro de 1627 - 15 de Maio de 1683), casado com a princesa Cristina Isabel de Schleswig-Holstein-Sonderburg; com descendência.
  3. João Guilherme de Saxe-Weimar (16 de Agosto de 1630 - 16 de Maio de 1639), morreu aos oito anos de idade. [1]
  4. Adolfo Guilherme, Duque de Saxe-Eisenach (b. Weimar, 14 May 1632 - d. Eisenach, 22 November 1668), casado com Maria Isabel de Brunswick-Wolfenbüttel; com descendência.
  5. João Jorge I, Duque de Saxe-Marksuhl, depois de Saxe-Eisenach (12 de Julho de 1634 - 19 de Setembro de 1686). avô da princesa Carolina de Brandemburgo-Ansbach, rainha consorte do rei Jorge II da Grã-Bretanha.
  6. Guilhermina Leonor de Saxe-Weimar (7 de Junho de 1636 - 1 de Abril de 1653), morreu aos dezasseis anos de idade.
  7. Bernardo II, Duque de Saxe-Jena (14 de Outubro de 1638 - 3 de Maio de 1678), casado com Marie Charlotte de la Trémoille; com descendência.
  8. Frederico de Saxe-Weimar (19 de Março de 1640 - 19 de Agosto de 1656), morreu aos dezasseis anos de idade.
  9. Doroteia Maria de Saxe-Weimar (14 de Outubro de 1641 - 11 de Junho de 1675), casada com Mauricio, Duque de Saxe-Zeitz; com descendência.[1]

Legado[editar | editar código-fonte]

É retratado de forma positiva como uma figura na série de livros de ficção "1632", também conhecida como o "verso de 1632" ou a série "Anel de Fogo", uma série de livros de história alternativa co-escrita e coordenada pelo historiador Eric Flint.

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Os antepassados de Guilherme, Duque de Saxe-Weimar em três gerações
Guilherme, Duque de Saxe-Weimar Pai:
João II, Duque de Saxe-Weimar
Avô paterno:
João Guilherme, Duque de Saxe-Weimar
Bisavô paterno:
João Frederico I da Saxônia
Bisavó paterna:
Síbila de Cleves
Avó paterna:
Doroteia Susana do Palatinado-Simmern
Bisavô paterno:
Frederico III, Eleitor Palatino
Bisavó paterna:
Maria de Brandenburg-Kulmbach
Mãe:
Doroteia Maria de Anhalt
Avô materno:
Joaquim Ernesto, Príncipe de Anhalt
Bisavô materno:
João V, Príncipe de Anhalt-Zerbst
Bisavó materna:
Margarida de Brandemburgo, Duquesa da Pomerânia
Avó materna:
Leonor de Württemberg
Bisavô materno:
Cristóvão, Duque de Württemberg
Bisavó materna:
Ana Maria de Brandenburg-Ansbach

Referências[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Frank Boblenz: Zum Einfluß Wilhelms IV. von Sachsen-Weimar (1598–1662) auf die Entwicklung der Architektur in Thüringen. In: Residenzkultur in Thüringen vom 16. bis 19. Jahrhundert (PALMBAUM Texte: Kulturgeschichte; 8). Bucha bei Jena 1999, S. 114–137.
  • Frank Boblenz: Ein Totenbildnis von Herzog Wilhelm IV. von Sachsen-Weimar (1598–1662) im schwedischen Schloss Skokloster. In: Weimar-Jena. Die große Stadt. Das kulturhistorische Archiv 5 (2012) H. 3, S. 220–227. ISSN 1869-7895
  • Georg Philipp Harsdörffer: Fortpflantzung der hochlöblichen Fruchtbringenden Geselschaft: Das ist / Kurtze Erzehlung alles dessen / Was sich bey Erwehlung und Antrettung hochbesagter Geselschaft Oberhauptes / Deß ... Schmackhaften / ... zugetragen. Samt Etlichen Glückwünschungen / und Einer Lobrede deß Geschmackes. Endter, Nürnberg 1651 (Digitalizado)
  • Gustav Lämmerhirt: Wilhelm (Herzog von Sachsen-Weimar). In: Allgemeine Deutsche Biographie (ADB). Band 43, Duncker & Humblot, Leipzig 1898, S. 180–195.