Guilherme III de Monferrato

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde outubro de 2014)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Guilherme III de Monferrato
Marquês de Monferrato
Nascimento 970
Morte 1042 (72 anos)

Guilherme III de Monferrato (em italiano: Guglielmo III del Monferrato, 970 - 1042) foi marquês de Monferrato de 991 a 1042.

Guilherme era filho primogênito de Otão I de Monferrato. Foi o terceiro marquês com o nome de Guilherme, já que os dois personagens precedentes, Guilherme I e Guilherme II foram respectivamente o pai e o filho de Aleramo.

Pouco se sabe sobre ele. Muito documentos da época atestam sua intervenção para construção de um monastério vizinho a Spigno. Em outro texto da época, redigido em torno de 1014, Guilherme e o irmão Riprando doaram muitos bens à abadia de Fruttuaria. Entre 991 e 1002 também igreja de Acqui Terme recebeu algumas doações da parte dos marqueses. Guilherme seguia a política religiosa-familiar iniciada por Aleramo e que seria depois levada adiante pelos seus sucessores.

No Miracula sancti Bononii se recorda também que a esposa de Guilherme, Waza, a qual foi citada enquanto orava sobre a tumba de São Bonônio, abade da Santissimi Michele e Genuario de Lucedio.

Política[editar | editar código-fonte]

Guilherme abandonou a política filo-imperial da sua família para intervir nas lutas comunais da Itália do início do século XI: participou de uma aliança anti-imperial, à qual aderiram também Humberto o Vermelho e Olderico Manfredi II, em cuja liderança estava o bispo Leão de Vercelli.

Entre os aliados parece que nasceu uma desconfiança que os levou a combater-se asperamente entre eles mesmos. Leão atacou Santhiá, onde morava Guilherme o qual, para vingar-se do ataque do bispo assediou Vercelli, que depois foi incendiada. Em um tratado de paz entre Guilherme e Olderico Manfredi, foi concedida como esposa a filha de Adelaide com o filho de Guilherme, Henrique.

Quando todos os aliado fizeram a paz com o Sacro Império Romano-Germânico, Guilherme continuou a combater mas as coisas não andaram bem para ele: Conrado o Sálico destruiu sua fortaleza em Valle Orba.

Guilherme III morreu em 1042, provavelmente antes de 29 de janeiro, quando Henrique, filho de Guilherme, o cita em um ato no qual doa algumas terras à igreja de Turim.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Raoul Molinari (a cura di), La Marca Aleramica. Storia di una regione mancata, Umberto Soletti Editore, Baldissero d'Alba, 2008.
  • Caravale, Mario (ed). Dizionario Biografico degli Italiani: LX Grosso – Guglielmo da Forlì. Rome, 2003.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Otão I de Monferrato
Armoiries Montferrat.png
Marquês de Monferrato

991 — 1042
Sucedido por
Otão II de Monferrato
Ícone de esboço Este artigo sobre História da Itália é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.