Gulangyu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pix.gif Gulangyu: um assentamento histórico internacional *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Gulangyu.jpg
País  China
Tipo Cultural
Critérios ii, iv
Referência 1541
Região** Ásia e Oceania
Coordenadas 24° 26′ 51″ N, 118° 03′ 43″ L
Histórico de inscrição
Inscrição 2017  (41ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.
** Região, segundo a classificação pela UNESCO.

Gulangyu[1] (chinês: 鼓浪嶼chinês simplificado: 鼓浪屿)ou Kulangsu é uma pequena ilha na costa de Xiamen, província de Fujian, sul da China que possui cerca de 2 km² de superfície. Cerca de 20.000 pessoas a habitam e é um destino turístico muito popular.[2]

Os visitantes podem chegar de ferryboat que parte de Xiamen em cerca de 5 minutos. A ilha é famosa por suas praias e ruas e graças a sua arquitetura variada.

História[editar | editar código-fonte]

Estátua na ilha de de Gulangyu.

Xiamen (antes chamada Amoy) converteu-se em um porto como resultado da derrota da China na Primeira Guerra do Ópio e pelo Tratado de Nanquim em 1842, por esse motivo, a arquitetura predominante é a do estilo Vitoriano em toda a costa de Gulangyu, onde até 13 países, incluindo a Grã-Bretanha, França e Japão estabeleceram consulados, igrejas e hospitais.

Gulangyu foi denominada oficialmente um assentamento internacional em 1903. Em 1942 o Japão ocupou a ilha até o final da guerra de resistência contra o Japão. Na ilha se fala o dialeto Amoy de Hokkien.


UNESCO[editar | editar código-fonte]

Foi inscrito como Patrimônio Mundial da UNESCO em 2017 por: "ser o mais excepcional testemunho da fusão de várias influências de estilo em um novo movimento arquitetônico, o estilo Amoy Deco, que é uma síntese do estilo modernista do início do Século XX e Art Decó"[3]

Referências

  1. http://www.amoymagic.com/gulan.htm
  2. «China Daily». 18 de outubro de 2003. Consultado em 18 de outubro de 2003. Arquivado do original em 18 de outubro de 2003 
  3. Kulangsu. UNESCO World Heritage Centre - World Heritage List (whc.unesco.org). Em inglês ; em francês ; em espanhol. Páginas visitadas em 23/08/2018.