Gustav Vigeland

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gustav Vigeland
Nascimento 11 de abril de 1869
Morte 12 de março de 1943 (73 anos)
Oslo
Cidadania Noruega
Irmão(s) Emanuel Vigeland
Ocupação escultor
Prêmios Cavaleiro da Ordem de Santo Olavo

Gustav Vigeland (11 de abril de 186912 de março de 1943) foi um escultor norueguês.

A sua obra mais famosa é o Parque Vigeland em Oslo na Noruega.[1][2] Foi ele quem desenhou a medalha do Prémio Nobel da Paz.[3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Gustav Vigeland nasceu numa família de artesãos e contabilistas numa pequena cidade no sul da Noruega, onde fez os estudos primários e começou a executar escultura em madeira. Aos quinze anos foi enviado para Oslo como aprendiz de um escultor profissional de madeira, mas após dois anos teve que voltar para casa para ajudar a família devido à morte inesperada do seu pai.

Regressou a Oslo em 1888 com a intenção de ser escultor. Graças à ajuda moral e financeira do escultor Brynjulf ​​Bergslien, começou a frequentar uma escola de arte e, em 1889, exibiu pela primeira vez uma de suas obras ("Hagar og Ismael").

De 1891 a 1896, viajou fora do seu país. Foi a Copenhaga, Paris, Berlim e Florença. Dessa experiência resultou a sua formação não académica: em Paris, frequentou o estúdio de Auguste Rodin, enquanto na Itália entrou em contacto com a arte antiga e renascentista. Naqueles anos, alguns dos temas que dominavam a época da sua maior produção artística começaram a surgir em sua obra: a morte, o quotidiano, a relação entre homem e mulher.

Gustav Vigeland fez as duas primeiras exposições pessoais na Noruega em 1894 e 1896 e foi muito bem recebido por alguns críticos.

De 1897 a 1902, foi contratado como escultor para os trabalhos de restauração da Catedral de Nidaros, em Trondheim. A exposição à arte medieval contribuiu com um novo elemento em sua produção criativa autónoma: o dragão, símbolo do pecado, da força da natureza, lutando contra o homem.

De volta a Oslo, obteve um empréstimo de um espaço onde poderia trabalhar. Naquela época, a Noruega vivia uma grande efervescência nacionalista, que culminou na independência sem sangue da Suécia em 1905. O país queria celebrar a sua própria história e cultura. Considerado o mais talentoso escultor norueguês, Vigeland recebeu muitas encomendas para estátuas ou bustos comemorativos de ilustres compatriotas, como o dramaturgo Henrik Ibsen e o matemático Niels Henrik Abel.

Em 1906, apresentou um modelo de gesso de uma fonte monumental que, de acordo com a intenção inicial do consistório de Oslo, deveria adornar a praça em frente ao Parlamento Nacional. O trabalho de Vigeland foi bem recebido, mas surgiram divergências quanto ao local onde foi colocado. A realização prática da fonte foi adiada até que um acordo fosse alcançado em sua localização final. Durante a espera, Vigeland expandiu o seu projeto original adicionando vários grupos esculturais e, em 1919, uma alta coluna de granito.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Gustav Vigeland
Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Gustav Vigeland

Referências

  1. «Gustav Vigeland – utdypning (Store norske leksikon)». Snl.no. Consultado em 3 de janeiro de 2014 
  2. «Gustav Vigeland (kulturnett.no)». Consultado em 31 de março de 2018. Cópia arquivada em 25 de fevereiro de 2012  Parâmetro desconhecido |url-status= ignorado (ajuda)
  3. The Nobel Peace Prize Medal, nobelprize.org
Ícone de esboço Este artigo sobre um escultor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.