Gustavo Borges

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gustavo Borges
Gustavo Borges (à direita na foto) com Fernando Scherer
Natação
Nome completo Gustavo França Borges
Estilo nado livre
Nascimento 02 de dezembro de 1972 (44 anos)[1]
Ribeirão Preto,  São Paulo[1]
Nacionalidade brasileira
Compleição Peso: 95 kg Altura: 2,03 m
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o nadador. Para o desenhista, veja Gustavo Borges (desenhista).

Gustavo França Borges (Ribeirão Preto, 2 de dezembro de 1972) é um nadador brasileiro, ganhador da medalha de prata nos 100 metros livre nas Olimpíadas de 1992 em Barcelona e nos 200 metros livre em Atlanta 1996. Gustavo participou de quatro Jogos Olímpicos (1992 a 2004), conquistando um total de quatro medalhas.[2] Foi ainda campeão da NCAA divisão I.

Atualmente, reside em São Paulo. Ele já morou em Jacksonville e foi estudante na Universidade de Michigan em Ann Arbor, tendo se formado em economia.[1]

Representou os clubes A. A. Ituveravense, A. A. Francana, São Carlos Clube, Vasco da Gama e Esporte Clube Pinheiros.[1]

Foi guiado pelo treinador de natação Jon Urbanchek, que também treinou grandes nadadores como Eric Namesnik e Marcel Wouda nos anos 90.

Gustavo Borges, considerado um dos principais atletas da história da natação brasileira, foi o porta-bandeira da delegação brasileira na cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos de 2004 em Atenas. É o atleta com o maior número total de medalhas em Jogos Pan-Americanos, com 19. É também o terceiro atleta brasileiro com maior número de medalhas de ouro em Pans, oito, logo atrás de Hugo Hoyama, que conquistou sua décima medalha nos Jogos Pan-Americanos de 2011 em Guadalajara; e do nadador Thiago Pereira, dono de 12 medalhas de ouro.

Início[editar | editar código-fonte]

Borges nasceu em Ribeirão Preto, mas viveu em Ituverava durante toda a sua infância. Em 1981, aos nove anos, representando sua escola, chegou em terceiro lugar numa prova de 50 metros livre, sendo seu primeiro pódio. Antes, já havia participado de aulas de natação, na Associação Atlética Ituveravense.[3]

Em 1984, na cidade de São João da Boa Vista, Gustavo conquistou sua primeira medalha em competições oficiais em uma prova dos 100 metros peito. Sagrou-se vice-campeão do Estado de São Paulo, e vice-campeão do Teto Olímpico no nado de peito, categoria 11/12 anos.[3]

No ano de 1987, com 15 anos de idade e nadando pela Associação Atlética Francana, obteve a medalha de bronze nos 100 metros livre, e a prata nos 50 metros livre, no Campeonato Paulista de Natação, categoria Juvenil A/B. Neste ano deixou Ituverava, mudou-se para São Carlos e passou a defender o São Carlos Clube. Em 1988, no Campeonato Paulista Juvenil de Verão, foi campeão nos 50 metros livre e prata nos 100 metros livre. Já conseguia índices para participar do Campeonato Brasileiro, o Troféu Júlio Delamare.[3]

1989: projeção nacional[editar | editar código-fonte]

Em 1989, depois de entrar para o Esporte Clube Pinheiros, Gustavo Borges começou a obter fama nacional. Apesar de mal ter completado 17 anos, começou a derrotar seguidamente o nadador Cristiano Michelena, que detinha a hegemonia nas provas de 100 e 200 metros no Brasil. Obteve suas primeiras vitórias no Troféu Brasil, o maior torneio do país, ao ganhar duas medalhas de ouro nos 50 e 100 metros livre.[3]

1990: passos para o exterior[editar | editar código-fonte]

Já em 1990 Borges começou a obter sucesso em competições internacionais. No Campeonato Sul-Americano, disputado em Rosário, Argentina, ganhou o ouro nas três provas que competiu: 50 metros, 4x100 metros e 4x200 metros livre. Em julho, no Troféu José Finkel (o campeonato brasileiro em piscina curta), tornou-se o primeiro brasileiro a fazer os 100 metro livre abaixo de 49 segundos, com a marca de 48s59, e foi convocado a disputar o Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos de 1991, realizado na Austrália. Neste mesmo ano, indicado por Maria Lenk, foi para os Estados Unidos estudar na Bolles School, em Jacksonville, na Flórida.[3]

1991: campeão do Pan[editar | editar código-fonte]

No Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos de 1991, Borges ficou em 12º lugar nos 100 metros livre, quebrando o recorde sul-americano com a marca de 50s77, e também nos 50 metros nado livre (23s15).[3] Ele também ficou em 28º nos 200 metros livre.[4]

Borges ganhou suas primeiras medalhas internacionais importantes nos Jogos Pan-Americanos de 1991: venceu os 100 metros livre com recorde do Pan, e foi medalha de prata nos 200 metros livre e bronze nos 50 metros livre, em todos com recorde sul-americano.[3][5] Também foi ouro no revezamento 4x100 metros livre e prata no 4x200 metros livre.[5]

1992: do Brasil para o mundo[editar | editar código-fonte]

Em 1992, Gustavo Borges quebrou o jejum brasileiro de medalhas na natação olímpica, que durava desde os Jogos Olímpicos de Verão de 1984, quando Ricardo Prado obteve a prata nos 400 metros medley. Participando de sua primeira olimpíada, nos Jogos Olímpicos de Barcelona, obteve a medalha de prata nos 100 metros livre, com a marca de 49s43, recorde sul-americano,[6] perdendo o ouro para o lendário Alexander Popov. Também esteve em outras provas: ficou em sexto no revezamento 4x100 metros livre, em sétimo no 4x200 metros livre, em 13º nos 50 metros livre, e em 22º nos 200 metros livre.[2][3][7]

1993: campeão e recordista mundial[editar | editar código-fonte]

O brasileiro obteve em 1993 três recordes mundiais em piscina curta. O primeiro foi em 2 de julho, no Troféu José Finkel, em Santos (São Paulo). Borges fez 47s94 nos 100 metros livre, recorde que durou até 1 de janeiro de 1994, quando foi batido por Alexander Popov. No dia 7 de julho, o time do Brasil, composto por Fernando Scherer, Teófilo Ferreira, José Carlos Souza e Gustavo Borges bateu o recorde mundial do revezamento 4x100 metros livre, com o tempo de 3m13s97, que pertencia à Suécia desde 19 de março de 1989: 3m14s00. Em 5 de dezembro, o Brasil bateu novamente o recorde da prova, com a mesma equipe, e a marca de 3min12s11.[3] Esta marca foi obtida no Campeonato Mundial de Natação em Piscina Curta de 1993, onde Borges ganhou, além do ouro nos 4x100 metros livre, a prata nos 100 metros livre e o bronze nos 4x200 metros livre.

1994: dois bronzes[editar | editar código-fonte]

No Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos de 1994 realizado em setembro em Roma, na Itália, o brasileiro obteve o bronze na prova dos 100 metros livre e no revezamento brasileiro dos 4x100 metros livre.[2][3] Ele também ficou em quarto lugar na final dos 50 metros livre, e em 11º lugar nos 200 metros livre.[8]

1995: o bi no Pan e no Mundial[editar | editar código-fonte]

Gustavo obteve muitos resultados importantes em 1995. No Pan de 1995 realizado em março na Argentina, Borges foi bicampeão dos 100 metros livre, e também ganhou o ouro nos 200 metros livre, em ambos com recordes do Pan. Ganhou mais duas pratas nos revezamentos 4x100 e 4x200 metros livre.[9]

Em agosto foi à Universíada de Verão de 1995, onde obteve duas pratas nos 100 e 4x100 metros livre.

Já no final do ano, no Campeonato Mundial de Natação em Piscina Curta de 1995 realizado no Rio de Janeiro, tornou-se bicampeão do revezamento 4x100 metros livre, além de ganhar o ouro dos 200 metros livre, a prata nos 100 metros livre e o bronze nos 4x200 metros livre.[2][10]

1996: duas medalhas olímpicas[editar | editar código-fonte]

Borges participou dos Jogos Olímpicos de Atlanta e se torna o primeiro brasileiro a conseguir três medalhas em olimpíadas, feito também conseguido por Torben Grael nos mesmos jogos. Ganhou a medalha de prata nos 200 metros livre com a marca de 1m48s08, e o bronze nos 100 metros livre fazendo 49s02, ambos recordes sul-americanos. O recorde dos 100 metros livre só viria a ser batido por Fernando Scherer em agosto de 1998, e o dos 200 metros livre somente seria batido por Rodrigo Castro em 2008. Também ficou em quarto lugar no revezamento 4x100 metros livre e em 12º nos 50 metros livre.[2][3]

1997: o quarto ouro mundial[editar | editar código-fonte]

1997 foi o ano em que o nadador ganhou seu último ouro em campeonatos mundiais. No Campeonato Mundial de Natação em Piscina Curta de 1997, ele foi ouro nos 200 metros livre, e prata nos 100 metros livre.[2][10]

1998: o quarto recorde mundial[editar | editar código-fonte]

Borges participou do Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos de 1998, em Perth, onde esteve em três finais: ficou em quinto lugar nos 100 metros livre, oitavo nos 200 metros livre e sexto nos 4x100 metros livre.[11]

O final de 1998 ficou marcado pela terceira quebra consecutiva do recorde dos 4x100 metros livre em piscina curta, pelo revezamento brasileiro. Em 20 de dezembro, logo após o encerramento do Troféu José Finkel, o quarteto formado por Fernando Scherer, Carlos Jayme, Alexandre Massura e Gustavo Borges, nesta ordem, caíram na piscina do Club de Regatas Vasco da Gama e conseguiram a marca de 3m10s45, que só seria batida no ano 2000 pela equipe da Suécia.[3][12]

Neste Troféu José Finkel, Borges também bateu, pela última vez na carreira, o recorde sul-americano de piscina curta dos 100 metros livre com 47s14, e o dos 200 metros livre com 1m44s40.

1999: o Pan mais dourado[editar | editar código-fonte]

Neste ano, Gustavo Borges liderou o Brasil ao melhor resultado de todos os tempos da natação brasileira nos Jogos Pan-Americanos. Neste Pan de 1999, o revezamento 4x100 metros medley (formado por Alexandre Massura, Marcelo Tomazini, Fernando Scherer e Borges) ganhou, pela primeira vez na história do Pan, a medalha de ouro, com o tempo de 3m40s27, quebrando os recordes pan-americano e sul-americano, além de garantir a vaga do revezamento brasileiro para as Olimpíadas de Sydney 2000. Também ganhou os ouros nos 200 metros livre e 4x100 metros livre (neste com recorde sul-americano), a prata no 4x200 metros livre (também com recorde sul-americano) e o bronze nos 100 metros livre.[3][13][14]

Neste torneio, se juntou a Hugo Hoyama e Cláudio Kano como os brasileiros que mais ganharam medalhas de ouro na história do evento, com sete cada um. Também virou o recordista nacional de medalhas nos Jogos, com 15 no total. Neste ano também nasceu seu primeiro filho, Luiz Gustavo.[3][13]

2000: quatro medalhas em três olimpíadas[editar | editar código-fonte]

Nos Jogos Olímpicos de Verão de 2000 veio o último pódio olímpico de Borges quando, junto com Edvaldo Valério, Carlos Jayme e Fernando Scherer, ganhou o bronze para o Brasil nos 4 x 100 metros livre, com a marca de 3min17s40. A Austrália bateu o recorde mundial e levou o ouro com o tempo de 3min13s67. Também participou da prova dos 100 metros livre, onde terminou na 16º posição.[2][3]

Durante os Jogos, Gustavo foi escolhido pela FINA para fazer parte de um time de 12 atletas, que seriam parte de um comitê, no período de 2000 a 2005. Era o único representante sul-americano da lista. O Brasil tornou-se, então, um dos países com grande representação dentro da federação. Neste ano iniciou sua preparação para encerrar a carreira e tornar-se empresário.[3]

2002: a última medalha mundial[editar | editar código-fonte]

O nadador brasileiro obteve no Campeonato Mundial de Natação em Piscina Curta de 2002 a sua última medalha em mundiais, a prata nos 200 metros livre.[3][15] Ficou em 4º lugar nos 4x200m livres, a 0,4s do bronze.[16] Também obteve o 5º lugar nos 4x100m livres[17], o sétimo lugar nos 100 metros livre[18] e o sétimo lugar nos 4x100 metros medley.[19]

Neste torneio, Borges também bateu, pela última vez na carreira, o recorde sul-americano de piscina curta dos 4x200 metros livre, com 7m09s14,[20] e o dos 4x100 metros medley, com 3m35s59.[19][21]

2003: último Pan[editar | editar código-fonte]

Em julho, no Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos de 2003 em Barcelona, esteve na prova dos 4x100 metros livre, terminando na 12ª colocação;[22] nos 4x200 metros livre ficou em nono lugar[23] e nos 4x100 metros medley, ficou em 17º.[24]

Em agosto participou de seu quarto e último Pan, na República Dominicana, aos 30 anos de idade, se firmou como o maior medalhista brasileiro da história dos Jogos, com 19 pódios, onde obteve oito medalhas de ouro, oito de prata e três de bronze. Nesta edição ajudou a natação do Brasil a conseguir 21 medalhas (recorde da modalidade). Suas medalhas foram: o ouro no 4x100 metros livre, a prata no 4x200 metro livre e o bronze nos 100 metros livre.[25][26]

Lançou um livro, Lições da água. Também se tornou empresário, administrando a Gustavo Borges Natação e Fitness, em Curitiba.[3]

2004: aposentadoria da natação profissional[editar | editar código-fonte]

Borges se despediu da natação aos 31 anos, nos Jogos Olímpicos de Verão de 2004 em Atenas. Só participou de uma prova, o 4x100 metros livre, onde o Brasil ficou em 12º lugar e não foi à final.[2][3]

Gustavo Borges carregando a tocha dos Jogos Pan-Americanos Rio 2007.

Hall da Fama[editar | editar código-fonte]

Em 2012 Borges entrou para o International Swimming Hall of Fame. É o segundo brasileiro a ser homenageado pela instituição - a primeira foi Maria Lenk, em 1988.[27]

Recordes[editar | editar código-fonte]

Gustavo Borges é ex-detentor dos seguintes recordes:

Prova Marca Data Recorde Tipo de piscina
50 metros livre[28] 22s82 agosto de 1991 Sul-Americano Longa
100 metros livres 49s02 22 de julho de 1996 Sul-Americano Longa
200 metros livre[29] 1m48s08 20 de julho de 1996 Sul-Americano Longa
4x100 metros livre[30] 3m17s18 agosto de 1999 Sul-Americano Longa
4x200 metros livre[14][31] 7m22s92 agosto de 1999 Sul-Americano Longa
4x100 metros medley[32] 3m40s27 agosto de 1999 Sul-Americano Longa
50 metros livres 21s90 27 de junho de 1997 Brasileiro Curta
100 metros livre[33][34] 47s14 19 de dezembro de 1998 Sul-Americano Curta
200 metros livre[34][35] 1m44s40 18 de dezembro de 1998 Sul-Americano Curta
4x100 metros livre[12] 3m10s45 20 de dezembro de 1998 Mundial Curta
4x200 metros livre[20] 7m09s14 4 de abril de 2002 Sul-Americano Curta
4x100 metros medley[36][37] 3m35s59 7 de abril de 2002 Sul-Americano Curta

Em piscina curta (25 metros), Gustavo Borges foi recordista mundial dos 100 metros livre entre 1993 e 1994, e do revezamento 4x100 metros livre entre 1993 e 2000.

Principais resultados[editar | editar código-fonte]

Ano Torneio Local Prova Resultado Marca Recorde
1991 Jogos Pan-Americanos Havana, Cuba 100 metros livre 49.48 Recorde dos Jogos Pan-Americanos Recorde sul-americano
1991 Jogos Pan-Americanos Havana, Cuba 4x100 metros livre 3:23.28
1991 Jogos Pan-Americanos Havana, Cuba 200 metros livre 1:49.74 Recorde sul-americano
1991 Jogos Pan-Americanos Havana, Cuba 4x200 metros livre 7:28.83
1991 Jogos Pan-Americanos Havana, Cuba 50 metros livres 22.82 Recorde sul-americano
1992 Jogos Olímpicos Barcelona, Espanha 100 metros livre 49.43 Recorde sul-americano
1993 Campeonato Mundial em Piscina Curta Palma de Mallorca, Espanha 4x100 metros livre 3:12.11 Recorde mundial
1993 Campeonato Mundial em Piscina Curta Palma de Mallorca, Espanha 100 metros livre 48.42
1993 Campeonato Mundial em Piscina Curta Palma de Mallorca, Espanha 4x200 metros livre 7:09.36
1994 Campeonato Mundial Roma, Itália 100 metros livre 49.52
1994 Campeonato Mundial Roma, Itália 4x100 metros livre 3:19.35
1995 Jogos Pan-Americanos Mar del Plata, Argentina 100 metros livre 49.31 Recorde dos Jogos Pan-Americanos
1995 Jogos Pan-Americanos Mar del Plata, Argentina 200 metros livre 1:48.49
1995 Jogos Pan-Americanos Mar del Plata, Argentina 4x100 metros livre 3:20.33
1995 Jogos Pan-Americanos Mar del Plata, Argentina 4x200 metros livre 7:28.70
1995 Universíada Fukuoka, Japão 100 metros livre 50.20
1995 Universíada Fukuoka, Japão 4x100 metros livre 3:20.53
1995 Campeonato Mundial em Piscina Curta Rio de Janeiro, Brasil 200 metros livre 1:45.55
1995 Campeonato Mundial em Piscina Curta Rio de Janeiro, Brasil 4x100 metros livre 3:12.42
1995 Campeonato Mundial em Piscina Curta Rio de Janeiro, Brasil 100 metros livre 48.00
1995 Campeonato Mundial em Piscina Curta Rio de Janeiro, Brasil 4x200 metros livre 7:13.64
1996 Jogos Olímpicos Atlanta, Estados Unidos 200 metros livre 1:48.08 Recorde sul-americano
1996 Jogos Olímpicos Atlanta, Estados Unidos 100 metros livre 49.02 Recorde sul-americano
1997 Campeonato Mundial em Piscina Curta Gotemburgo, Suécia 200 metros livre 1:45.45
1997 Campeonato Mundial em Piscina Curta Gotemburgo, Suécia 100 metros livre 48.16
1999 Jogos Pan-Americanos Winnipeg, Canadá 200 metros livre 1:49.41
1999 Jogos Pan-Americanos Winnipeg, Canadá 4x100 metros livre 3:17.18 Recorde dos Jogos Pan-Americanos Recorde sul-americano
1999 Jogos Pan-Americanos Winnipeg, Canadá 4x100 metros medley 3:40.27 Recorde dos Jogos Pan-Americanos Recorde sul-americano
1999 Jogos Pan-Americanos Winnipeg, Canadá 4x200 metros livre 7:22.92 Recorde sul-americano
1999 Jogos Pan-Americanos Winnipeg, Canadá 100 metros livre 50.10
2000 Jogos Olímpicos Sydney, Austrália 4x100 metros livre 3:17.40
2002 Campeonato Mundial em Piscina Curta Moscou, Rússia 200 metros livre 1:45.67
2003 Jogos Pan-Americanos Santo Domingo, República Dominicana 4x100 metros livre 3:18.66
2003 Jogos Pan-Americanos Santo Domingo, República Dominicana 4x200 metros livre 7:25.17
2003 Jogos Pan-Americanos Santo Domingo, República Dominicana 100 metros livre 49.90

Referências

  1. a b c d «Perfil de Gustavo Borges». Gustavo Borges-Site Oficial. 2012. Consultado em 2 de maio de 2012 
  2. a b c d e f g h «Perfil no Sports Reference». Sports Reference. 2012. Consultado em 2 de maio de 2012 
  3. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s «História de Gustavo Borges». Gustavo Borges-Site Oficial. 2012. Consultado em 2 de maio de 2012 
  4. «Resultados de Perth 1991» (PDF). USA Swimming. 2013. Consultado em 11 de abril de 2013 
  5. a b «Medalhas no Brasil no Pan de 1991». UOL. 2007. Consultado em 2 de maio de 2012 
  6. «De Ituverava para a galeria de heróis olímpicos em um ano». O Globo. 29 de julho de 1992. Consultado em 5 de maio de 2012 
  7. «Medalhas olímpicas da natação brasileira». Estadão. 16 de agosto de 2008. Consultado em 2 de maio de 2012 
  8. «Resultados de Roma 1994» (PDF). USA Swimming. 2013. Consultado em 11 de abril de 2013 
  9. «Medalhas no Brasil no Pan de 1995». UOL. 2007. Consultado em 2 de maio de 2012 
  10. a b HistoFINA, Volumes IIIa (2008 ed) e IIIb (2008 ed). ("HistoFINA" é a história da FINA. Volume III é sobre o Mundial de Piscina Curta; parte "a" tem as estatísticas masculinas e a parte "b" as femininas.
  11. «Resultados em Perth 1998» (PDF). USA Swimming. 2013. Consultado em 11 de abril de 2013 
  12. a b «Em 1998, brasileiros batem recorde mundial do revezamento 4x100 nado livre masculino». Globoesporte. 21 de dezembro de 1998. Consultado em 2 de maio de 2012 
  13. a b «Brasil atual quer superar Brasil-1999». Globoesporte. 20 de julho de 2003. Consultado em 2 de maio de 2012 
  14. a b «Medalhas no Brasil no Pan de 1999». UOL. 2007. Consultado em 2 de maio de 2012 
  15. «Brasil fica em quinto na final no revezamento 4 x 100 m do Mundial». Folha de S.Paulo. 3 de abril de 2002. Consultado em 2 de maio de 2012 
  16. «Resultados do 4x200m livre no Mundial de Moscou 2002». OmegaTiming. 4 de abril de 2002. Consultado em 16 de março de 2013 
  17. «Resultados do 4x100m livre no Mundial de Moscou 2002». OmegaTiming. 3 de abril de 2002. Consultado em 16 de março de 2013 
  18. «Resultados do 100m livre no Mundial de Moscou 2002». OmegaTiming. 7 de abril de 2002. Consultado em 16 de março de 2013 
  19. a b «Resultados do 4x100m medley no Mundial de Moscou 2002». OmegaTiming. 7 de abril de 2002. Consultado em 16 de março de 2013 
  20. a b «Revezamento do Brasil perde bronze por 0,4 s no Mundial de natação». Folha de S.Paulo. 4 de abril de 2002. Consultado em 2 de maio de 2012 
  21. «Sucesso brasileiro em 25 metros». CBDA. 11 de outubro de 2004. Consultado em 4 de maio de 2012 
  22. «Resultados dos 4x100m livre no Mundial de Barcelona 2003». OmegaTiming. 20 de julho de 2003. Consultado em 16 de março de 2013 
  23. «Resultados dos 4x200m livres no Mundial de Barcelona 2003». OmegaTiming. 23 de julho de 2003. Consultado em 16 de março de 2013 
  24. «Resultados dos 4x100m medley no Mundial de Barcelona 2003». OmegaTiming. 27 de julho de 2003. Consultado em 16 de março de 2013 
  25. «Medalhas no Brasil no Pan de 2003». UOL. 2007. Consultado em 2 de maio de 2012 
  26. «Dez feitos históricos do Brasil no Pan». Globoesporte. 13 de junho de 2007. Consultado em 2 de maio de 2012 
  27. «Medalhista olímpico, Gustavo Borges entra para o Hall da Fama da natação». Globoesporte. 9 de maio de 2012. Consultado em 9 de maio de 2012 
  28. «Homens monopolizam natação olímpica». Folha de S.Paulo. 6 de julho de 1992. Consultado em 5 de maio de 2012 
  29. «Rodrigo Castro quebra último recorde sul-americano de Gustavo Borges». UOL. 10 de agosto de 2008. Consultado em 3 de maio de 2012 
  30. «Reveza brasileiro entra na final e nas Olimpíadas». CBDA. 25 de março de 2007. Consultado em 3 de maio de 2012 
  31. «Equipe do 4x200m medley lamenta ficar fora da final por diferença pequena». COB. 17 de agosto de 2004. Consultado em 4 de maio de 2012 
  32. «Supertime bate recorde do Pan de Winnipeg». CBDA. 9 de setembro de 2006. Consultado em 4 de maio de 2012 
  33. «Cielo bate brasileiro de Borges e Sul-Americano de Meolans». CBDA. 23 de novembro de 2007. Consultado em 3 de maio de 2012 
  34. a b «Gustavo Borges em boa forma». UOL. 20 de dezembro de 1998. Consultado em 3 de maio de 2012 
  35. «Dois recordes sul-americanos no Sul-Brasileiro». Best Swimming. 22 de maio de 2009. Consultado em 3 de maio de 2012 
  36. «Resultados do 4x100m medley no Mundial de Moscou 2002» (PDF). OmegaTiming. 7 de abril de 2002. Consultado em 4 de maio de 2012 
  37. «Sucesso brasileiro em 25 metros». CBDA. 11 de outubro de 2004. Consultado em 4 de maio de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Recordes
Precedido por
Detentor do recorde mundial
100 metros livre (piscina curta)

2 de julho de 1993 — 1 de janeiro de 1994
Sucedido por
Rússia Alexander Popov
Recordes
Precedido por
Detentor do recorde mundial
4x100 metros livre (piscina curta)

7 de julho de 1993 — 16 de março de 2000
Sucedido por
Suécia Suécia