Gustavo Perrella

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gustavo Perrella
Nascimento 12 de maio de 1983 (36 anos)
Cidadania Brasil
Progenitores Pai:Zezé Perrella
Ocupação político, empresário
Página oficial
http://www.gustavoperrella.com

Gustavo Henrique Perrella Amaral Costa é um político e empresário brasileiro. Foi Deputado Estadual pelo estado de Minas Gerais aos 28 anos, exercendo seu mandato na Assembleia Legislativa do estado.

Foi vice-presidente de futebol do Cruzeiro Esporte Clube. Desde 1995 que vive no meio futebolístico quando seu pai, o atual senador e ex-presidente do Cruzeiro, Zeze Perrella assumiu função de comandar o clube de futebol de Minas Gerais.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Gustavo Perrella é empresário e formado em administração de empresas.

Deputado Estadual (2011 - 2015), foi membro efetivo da Comissão de Constituição e Justiça e presidente da Comissão de Turismo, Indústria, Comércio e Cooperativismo.[2]

Exerceu de Junho de 2016 a Dezembro de 2017 o cargo de Secretário Nacional de Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor, órgão do Ministério do Esporte, no Governo Michel Temer.[3] Em 2018, foi nomeado diretor da CBF.

Gustavo Perrella foi superintendente de gestão e vice-presidente do Cruzeiro Esporte Clube.

Escândalo do Helicóptero[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 2013, um helicóptero foi flagrado traficando 450kg de cocaína. Após este fato, algumas notícias distorcidas e dissociadas da realidade vem sendo veiculadas reiteradamente, as quais insinuam a participação de Gustavo Perrella com o referido caso, contudo, tratam-se de ilações e versões totalmente fantasiosas e mentirosas, utilizadas única e exclusivamente com a finalidade de macular a imagem e a honra de Gustavo Perrella.

Isso porque, conforme devidamente apurado pelas autoridades competentes, Gustavo Perrella não detinha ciência da utilização do helicóptero no dia dos fatos, não concorrendo de nenhuma forma para a prática do ilícito penal. Tal inclusive foi objeto de Nota Oficial emitida pela Polícia Federal, publicada oficialmente uma semana após o episódio em 2013, a qual afastou de plano qualquer envolvimento de Gustavo Perrella, bem como de membros de sua família com o ocorrido.

Da mesma forma, o Inquérito Policial instaurado para apuração dos fatos (nº 0666/2013-SR/DPF/ES), concluiu que Gustavo Perrella não detinha ciência acerca da utilização da aeronave no dia dos fatos, o que culminou com o arquivamento dos autos, diante da comprovação inequívoca que não havia nenhuma ligação entre Gustavo Perrella, membros de sua família e a aeronave apreendida no dia em questão.

No curso das investigações, todas as provas que instruíram o processo, inclusive o Auto de Prisão em Flagrante, escutas telefônicas, depoimentos de testemunhas e demais provas, comprovaram que o piloto apreendido juntamente com a aeronave foi aliciado por uma quadrilha de tráfico de drogas, que era investigada pela Polícia Federal, e que "os donos da empresa não tinham qualquer envolvimento com o caso".

Diferente não foi o entendimento do Ministério Público Federal, bem como da Procuradoria-Geral da República, os quais concluíram pela ausência de responsabilidade de Gustavo Perrella pelo ocorrido, e requereram em ato contínuo o arquivamento do Inquérito Policial, sobretudo por restar indene de dúvidas que inexiste qualquer participação de Gustavo Perrella e familiares com o fato.

E, ainda vale destacar que os reais responsáveis pelo trasporte da droga na aeronave apreendida no ano de 2013 foram devidamente processados e condenados pelo poder judiciário.

Portanto, qualquer notícia veiculada imputando ao Sr. Gustavo Perrella qualquer participação ou responsabilidade pelo ocorrido tem por finalidade tão somente macular sua imagem e honra perante a opinião pública, além de configurar crimes de Calúnia, Injúria e Difamação, sendo os Autores passíveis de responsabilização cível e criminal.

Referências

  1. [1]
  2. «Gustavo Perrella». Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Consultado em 21 de junho de 2014 
  3. http://www.esporte.gov.br/index.php/institucional/futebol-e-direitos-do-torcedor/secretario