Gusztáv Jány

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Gusztáv Jány
Nascimento Hautzinger Gusztáv
21 de outubro de 1883
Rajka
Morte 26 de novembro de 1947 (64 anos)
Budapeste
Sepultamento Cemitério de Farkasréti
Cidadania Hungria
Alma mater
  • Ludovica Military Academy
Ocupação militar
Prêmios
Lealdade Reino da Hungria
Causa da morte fuzilamento

O coronel general Gusztáv Jány (21 de outubro de 1883, Rajka - 26 de novembro de 1947, Budapeste) era comandante do II Exército Húngaro durante a batalha de Stalingrado.[1] O general Gusztáv Jány teve que enfrentar a derrota possivelmente mais brutal do exército húngaro durante a Segunda Guerra Mundial. Suas forças, que protegiam um dos flancos do VI Exército de von Paulus enquanto lutavam em Stalingrado, foram literalmente esmagadas pelos soviéticos durante as fases iniciais de seus movimentos contra-ofensivos e subsequentes que dariam lugar à formação da “Bolsa de Valores de Kessel de Stalingrado "

Veterano do exército imperial austro-húngaro durante a Primeira Guerra Mundial e dos conflitos fronteiriços com os quais a Hungria teve que lidar após o fim do conflito, o general Jány era um dos homens de confiança do líder húngaro Miklós Horthy. Durante os anos entre guerras, ele subiu gradualmente nas fileiras militares, sendo, no início da Segunda Guerra Mundial, o comandante em chefe do Primeiro Corpo de Exército. Em 1940, em reajustes completos na fronteira com a Romênia, ele liderou o Segundo Exército, que se juntaria às forças alemãs do grupo sulista em abril de 1942, bem a tempo de participar, em junho daquele ano, na Operação Fall Blau, a ofensiva de verão alemã que terminaria no desastre de Stalingrado.

Após o desastre na frente russa, ele se retirou do serviço ativo e após a queda do regime do almirante Miklós Horthy se recusou a servir ao regime fascista húngaro pró-nazista das setas negras. Julgado em plena repressão pelas novas autoridades pró-soviéticas na Hungria, ele foi primeiro removido do exército em 1946 e posteriormente executado.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Peter Gosztony. Das Stalingrad der Ungarn In: Die Zeit. Jg. 48, Nr. 2, 1993, ISSN 0044-2070, S. 62.
  • Fellgiebel, Walther-Peer (2000) [1986]. Die Träger des Ritterkreuzes des Eisernen Kreuzes 1939–1945 — Die Inhaber der höchsten Auszeichnung des Zweiten Weltkrieges aller Wehrmachtteile [The Bearers of the Knight's Cross of the Iron Cross 1939–1945 — The Owners of the Highest Award of the Second World War of all Wehrmacht Branches] (em German). Friedberg, Germany: Podzun-Pallas. ISBN 978-3-7909-0284-6 
  • Kovács, Attila Ótott (2006). Die ungarischen Inhaber des Ritterkreuzes des Eisernen Kreuzes. Ranis: Scherzers Militaer-Verl. ISBN 978-3-938845-02-8 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Fellgiebel, Walther-Peer. Die Träger des Ritterkreuzes des Eisernen Kreuzes 1939-1945. Friedburg, Germany: Podzun-Pallas, 2000. ISBN 3-7909-0284-5.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.