Guto Ferreira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Guto Ferreira
Informações pessoais
Nome completo Augusto Sérgio Ferreira
Data de nasc. 7 de setembro de 1965 (52 anos)
Local de nasc. Piracicaba, (SP), Brasil
Apelido Gordiola[1]
Informações profissionais
Equipa atual Bahia
Posição Treinador
Times/Equipas que treinou
1993
1995–1996
1997–2002
2002
2003
2003–2004
2004
2005
2007
2008
2011
2011
2011
2012
2012–2013
2013–2014
2014
2014–2015
2015–2016
2016–2017
2017
2018–
XV de Piracicaba (Base)
São Paulo (Cat. Base)
Internacional (Cat. Base)
Internacional
Noroeste
Penafiel
Naval
Corinthians Alagoano
XV de Piracicaba
Inter de Limeira[2]
Mogi Mirim
Criciúma
ABC
Mogi Mirim
Ponte Preta
Portuguesa
Figueirense
Ponte Preta
Chapecoense
Bahia
Internacional
Bahia














0041
0035
0011
0066
0050
0055
0033
0000
Última atualização: 11 de novembro de 2017

Augusto Sérgio Ferreira, mais conhecido como Guto Ferreira (Piracicaba, 7 de setembro de 1965) é um treinador brasileiro de futebol. Atualmente, treina o Bahia.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Formado em Educação física pela UNIMEP, em 1985, Guto começou a carreira de treinador nas categorias de base do XV de Piracicaba, clube de sua cidade natal. Em seguida assumiu o mesmo no São Paulo e no Internacional, sendo que no Inter começou como treinador de equipes principais. passou ainda por Noroeste, Penafiel e Naval, de Portugal. Voltando ao Brasil comandou o Corinthians Alagoano, 15 de Novembro e Mogi Mirim, este último pelo qual esteve até junho de 2011. Em pouco tempo comandou o Criciúma[3], e meses depois acertou com o ABC [4]. e retorna ao comando do Mogi Mirim. Onde conseguiu o acesso a Série C.

Ponte Preta[editar | editar código-fonte]

Após conseguir o acesso com o Mogi, foi anunciado no mesmo dia como novo treinador da Ponte Preta[5]. Lá, conquistou o troféu de Campeão do Interior Paulista.

Portuguesa[editar | editar código-fonte]

No dia 28 de julho de 2013, Guto foi oficializado como treinador da Portuguesa[6]. Assinou contrato até o final do Paulistão 2014, com a missão imediata de livrar a Lusa do rebaixamento na temporada 2013. Foi apresentado oficialmente no dia 29 de julho de 2013 e, logo em sua chegada, mostrou-se consciente da situação do clube e traçou metas para o trabalho a ser realizado[7].

Em fevereiro de 2014, após um mau início no Campeonato Paulista, pediu demissão do comando da Lusa.[8]

Figueirense[editar | editar código-fonte]

No dia 30 de abril, assumiu o comando do Figueirense para a disputa do Campeonato Brasileiro,[9] porém foi demitido em 24 de julho.[10]

Volta a Ponte Preta[editar | editar código-fonte]

Após a demissão de Dado Cavalcanti, Guto Ferreira (sem clube), acertou seu retorno no comando da Ponte Preta.[11]

Em 03 de agosto de 2015, Guto foi demitido após sete jogos sem vencer no Campeonato Brasileiro.[12] O treinador deixa o Majestoso com 107 partidas - somando as duas passagens pelo clube, com 51 vitórias, 28 empates e 28 derrotas, um aproveitamento de 56,38%. Ele já figura entre os dez treinadores que mais comandaram a Ponte Preta.[12] Durante o ano de 2015 também viveu bons momentos, ganhou o Título do Interior pelo clube e iniciou bem o Campeonato Brasileiro e em consequência de seu trabalho  recebeu sondagens de diversos clubes nacionais, como Santos e Fluminense, por exemplo, e recusou uma proposta vantajosa do do Al-Ittihad, dos Emirados Árabes Unidos porém preferiu seguir na Ponte.[12]

Chapecoense[editar | editar código-fonte]

Em 14 de setembro de 2015 foi contratado pela Chapecoense após a demissão de Vinícius Eutrópio.[13]

Em 9/05/2016 conquistou o seu quinto titulo do Campeonato Catarinense após empatar por 1x1 com o Joinville Esporte Clube na Arena Condá.

Bahia[editar | editar código-fonte]

No dia 24 de junho de 2016, Guto Ferreira acertou com o Bahia.[14]

No dia 24 de maio de 2017, conquistou a Copa do Nordeste, primeiro título a nível regional da carreira e primeiro título do treinador no comando do Esquadrão, batendo o Sport Recife no jogo de volta das finais da competição por 1x0 na Arena Fonte Nova, para mais de 40 mil pagantes. [1] No jogo de ida, na Ilha do Retiro, empate por 1x1. [2]

Volta ao Internacional[editar | editar código-fonte]

Em 30 de maio de 2017, retornou ao Internacional, assinando até o fim de 2017, com possibilidade de renovação por mais um ano.[15]

Foi demitido em 11 de novembro, após empate em 1–1 com o Vila Nova.[16] Dentre os motivos de sua demissão, a crônica esportiva local sugeriu a "falta de desempenho", segundo o jornalista Pedro Ernesto Denardin [17], o que foi confirmado pelo vice de futebol Roberto Melo: "O desempenho não vinha acontecendo".[18]

Volta ao Bahia[editar | editar código-fonte]

Em 26 de dezembro de 2017, acertou seu retorno ao Bahia.[19]

Títulos[editar | editar código-fonte]

XV de Piracicaba
  • Campeonato Paulista Juvenil: 1992
São Paulo
  • Campeonato Paulista Juvenil: 1993
  • Torneio Sul-Americano Sub-16: 1995
Internacional
Mogi Mirim
Ponte Preta
Chapecoense
Bahia

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Clube Jogos Vitórias Empates Derrotas Aproveitamento
Criciúma 11 5 3 3 54,54%
Ponte Preta 107 51 28 28 56,38%
Portuguesa 35 11 11 13 41,90%
Figueirense 11 3 1 7 30,30%
Chapecoense 50 23 17 10 57,33%
Bahia 55 30 14 11 63,03%
Internacional 42 21 11 10 60,60%

Referências

  1. “Ah, é Gordiola!” Jogadores do Bahia parabenizam técnico Guto Ferreira
  2. http://www.futebolinterior.com.br/ga/perfil_view.php?id_cadastro=273
  3. http://www.engeplus.com.br/noticias/32375,Confirmado-Guto-Ferreira-vem.html
  4. ABC define contratação de ex-treinador de rival para Série B
  5. «Após empate, Ponte Preta oficializa contratação de Guto Ferreira». 19h22. 23 de setembro de 2012. Consultado em 23 de setembro de 2012 
  6. «Na lanterna, Portuguesa anuncia técnico Guto Ferreira» 
  7. «Guto Ferreira chega e traça meta por etapas na Lusa» 
  8. «Guto Ferreira não suporta nova derrota da Lusa e pede demissão» 
  9. «Figueira anuncia Guto Ferreira como técnico horas após demitir Eutrópio» 
  10. «Guto Ferreira deixa o comando técnico do Figueirense». Sítio oficial Figueirense. 24 de julho de 2014 
  11. «Após saída de Dado Cavalcanti, Guto Ferreira assume a Ponte Preta». Gazeta Esportiva. 24 de julho de 2014 
  12. a b c «Guto não resiste à má fase da Ponte Preta no Brasileiro e acaba demitido». Consultado em 4 de agosto de 2015 
  13. «Chape confirma acerto com Guto Ferreira, que inicia trabalho nesta terça». Consultado em 15 de setembro de 2015 
  14. Guto Ferreira chega a acordo com Bahia e deixa o comando da Chape
  15. Site oficial do SC Internacional (30 de maio de 2017). «Guto Ferreira assume o comando técnico do Inter». Consultado em 28 de maio de 2017 
  16. Globoesporte.com (11 de novembro de 2017). «Inter demite o técnico Guto Ferreira». Consultado em 11 de novembro de 2017 
  17. Pedro Ernesto Denardin (12 de novembro de 2017). «Por que Guto foi demitido do Inter?». Zero Hora. Consultado em 18 de novembro de 2017 
  18. «Guto Ferreira é demitido após empate do Inter com Vila Nova». Correio do Povo. 11 de novembro de 2017. Consultado em 18 de novembro de 2017 
  19. «A volta do Gordiola: Bahia acerta retorno de Guto Ferreira para 2018». Globoesporte.com. 26 de dezembro de 2017. Consultado em 26 de dezembro de 2017 
Precedido por
Ivo Wortmann
Antônio Carlos Zago
Treinador do Internacional
2002
2017
Sucedido por
Celso Roth
Odair Hellmann
Precedido por
Gilson Kleina
Dado Cavalcanti
Treinador da Ponte Preta
2012–2013
2014–2015
Sucedido por
Paulo César Carpegiani
Doriva
Precedido por
Edson Pimenta
Treinador da Portuguesa
2013–2014
Sucedido por
Argel Fucks
Precedido por
Vinícius Eutrópio
Treinador do Figueirense
2014
Sucedido por
Argel Fucks
Precedido por
Vinícius Eutrópio
Treinador da Chapecoense
2015–2016
Sucedido por
Caio Júnior
Precedido por
Doriva
Paulo César Carpegiani
Treinador do Bahia
2016–2017
2018–
Sucedido por
Jorginho