Gyokuon-hōsō

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gyokuon-hōsō
玉音放送
Gyokuon-ban.jpg
O disco em que o discurso foi gravado, agora em exibição no Museu da Radiodifusão, da NHK.
Outros nomes Transmissão da Voz de Jóia
Duração 12:00 –12:04 (tarde)
País Japão Japão
Idioma(s) Japonês clássico
Apresentador(es) Imperador Hirohito (昭和天皇, Shōwa-tennō)
Transmissão original 15 de agosto de 1945

O Gyokuon-hōsō (玉音放送 'Transmissão da Voz de Jóia'?) foi uma transmissão de rádio feito pelo Imperador do Japão, Hirohito (Shōwa-tennō), lendo o Rescrito Imperial do Término da Guerra (大東亜戦争終結ノ詔書 Daitōa-sensō-shūketsu-no-shōsho?), anunciando ao povo japonês que o governo do país havia aceitado a Declaração de Potsdam, que exigia a rendição incondicional das forças armadas japonesas no fim da Segunda Guerra Mundial na Ásia. Este discurso foi feito ao meio-dia (UTC+9) em 15 de agosto de 1945, logo após as batalhas de Iwo Jima e de Okinawa, o bombardeamentos de Hiroshima e Nagasaki e a invasão soviética da Manchúria.[1][2]

O discurso, gravado no Palácio Imperial do Japão, foi, provavelmente, a primeira vez que o Imperador havia falado (ainda que através de um disco fonográfico) diretamente com o povo comum. O discurso foi feito em linguagem formal, usando o chamado japonês clássico, que poucas pessoas comuns realmente conseguiram entender tudo. Na fala do imperador, não foi mencionado a rendição do Japão, ao invés disso afirmando que o governo havia aceitado os termos da Declaração de Potsdam inteiramente. Isso criou confusão entre muitos ouvintes que não sabiam ao certo se o país tinha ou não aceitado a rendição. A qualidade ruim da transmissão, além da linguagem formal de corte do imperador, fez piorar ainda mais a confusão.[3] Uma versão digitalizada foi lançada em 30 de junho de 2015, permitindo ouvir as palavras do imperador de forma mais clara.[4]

Texto[editar | editar código-fonte]

  • Tradução livre
AOS NOSSOS BONS E LEAIS SÚDITOS:

Após ponderar intensamente nas tendências gerais do mundo e as condições reais que obtemos em nosso Império hoje, Nós decidimos acertar um entendimento da atual situação ao adotar uma medida extraordinária.

Nós ordenamos que o Nosso Governo comunicasse para os Governos dos Estados Unidos, Grã-Bretanha, China e União Soviética que Nosso Império aceita as provisões de sua Declaração Conjunta.[5]

Lutar pela prosperidade comum e pela felicidade de todas as nações, assim como a segurança e bem-estar dos Nossos súditos, é a obrigação solene que foi dada por Nossos Ancestrais Imperiais e que está em Nossos corações.

De fato, Nós declaramos guerra a América e a Bretanha pelo Nosso desejo sincero da auto-preservação do Japão e estabilização da Ásia Oriental, sendo longe do Nosso pensamento infringir a soberania de outras nações ou embarcar em engrandecimento territorial.

Mas agora a guerra durou quase quatro anos. Apesar do melhor que foi feito por todos – a luta galante das nossas forças militares e navais, a diligência e a assiduidade dos Nossos servos do Estado e o devoto serviço do Nosso povo de cem milhões – a situação da guerra se desenvolveu não necessariamente para a vantagem do Japão, enquanto a tendência geral do mundo se voltava contra seus interesses.

Mais ainda, o inimigo começou a usar uma nova e muito cruel bomba, com o poder de fazer dano, de fato, incalculável, ceifando várias vidas inocentes. Se Nós continuarmos a lutar, não apenas resultaria no colapso geral e obliteração da nação Japonesa, mas também levaria a total extinção da civilização humana.

Sendo este o caso, como é que Nós salvaremos os Nossos milhões de súditos ou como nós prestaríamos a Nós mesmos perante os Espíritos sagrados de Nossos Antepassados Imperiais? Esta é a razão pelo qual Nós ordenamos que fosse aceito as provisões da Declaração Conjunta das Potências.

Nós não podemos nada além de expressar nossos sentimentos de arrependimento as Nossas nações Aliadas na Ásia Oriental, que cooperaram consistentemente com o Império para a emancipação da Ásia Oriental.

O pensamento de que aqueles oficiais e homens, além de outros, que caíram nos campos de batalha, daqueles que morreram nos seus postos de dever, e aqueles que encontraram a morte definitiva e todas as suas famílias desoladas, traz dor ao Nosso coração noite e dia.

O bem-estar dos feridos e dos que sofreram na guerra, e aqueles que perderam suas casas ou seus meios de subsistência, são objetos de Nossa profunda solicitude.

As durezas e sofrimentos o qual o Nosso povo será sujeitado daqui em diante será grande. Estamos profundamente conscientes dos sentimentos mais íntimos de todos vocês, Nossos súditos. Contudo, está de acordo com os ditames do tempo e destino que Nós resolvemos abrir o caminho para uma paz grande para todas as gerações por vir ao suportar o insuportável e sofrer o insofrível.

Sendo capazes de resguardar e manter o Kokutai, Nós sempre estaremos com vocês, Nossos bons e leais súditos, contamos com a sua sinceridade e integridade.

Estejam cientes de que a mais estrita explosão de emoção que pode gerar complicações desnecessárias, ou qualquer disputa fraterna e luta que pode criar confusão, desviam você e te causam a perder confiança no mundo.

Que a nação inteira continue como uma família, de geração em geração, sempre firmes na fé na imperiabilidade da terra sagrada e cientes do fardo pesado da responsabilidade e da longa estrada adiante.

Unam sua força total, para a devoção da construção do futuro. Cultive os caminhos da retidão, forge o espírito da nobreza e trabalhem com resolução – para que assim vocês possam melhorar a glória inata do Estado Imperial e manter o passo de progresso do mundo.

(assinatura de Hirohito e o Selo Imperial)

15 de agosto de 1945
Imperial Rescript on the Termination of the War4.jpgImperial Rescript on the Termination of the War3.jpgImperial Rescript on the Termination of the War2.jpgImperial Rescript on the Termination of the War1.jpg
O manuscrito original do Rescrito Imperial do Término da Guerra,

escrito verticalmente em colunas indo de cima para baixo e em ordem da direita para a esquerda,
com o selo oficial do governo imperial e assinado pelo imperador Shōwa.

Página mostrando todo o Rescrito, com um dos selos oficiais.

Áudio original[editar | editar código-fonte]

O Gyokuon-hōsō, a transmissão de rádio do imperador Hirohito, a 15 de agosto de 1945, onde ele declarava o fim da guerra e a rendição do Japão.

Problemas para escutar este arquivo? Veja a ajuda.

Referências

  1. «Hirohito's "Jewel Voice Broadcast"». The Air Force Association. Agosto de 2012. Consultado em 14 de agosto de 2013. Arquivado do original em 10 de setembro de 2013 
  2. «Most Influential Wartime Speeches No. 4 Emperor Hirohito 1945». RealClearWorld. 30 de novembro de 2010 
  3. Komori, Yōichi (Agosto de 2003). 天皇の玉音放送 [The Emperor's Jewel Voice Broadcast] (em japonês). Tóquio, Japão: Gogatsu Shobō. ISBN 9784772703949 
  4. "Japan's Imperial Household releases original audio of Emperor Hirohito's WWII surrender speech". Página acessada em 22 de junho de 2017.
  5. «Proclamation Defining Terms for Japanese Surrender». 1945 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]