Hábito alimentar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Hábito alimentar é caracterizado como a forma com que as pessoas e/ou grupo de pessoas usam um determinado alimento. O uso inclui as etapas de seleção, produção e as formas de preparo e de consumo do alimento. [1]

Os hábitos alimentares são definidos de acordo com a cultura e costumes de cada povo, das religiões adotadas ou não por cada indivíduo, da influência dos familiares e grupo de convívio de uma pessoa, de ideologias pessoais, do acesso à educação e informação sobre alimentação e nutrição, da renda, preços e acesso a determinados alimentos e da região onde cada indivíduo reside ou trabalha. [2][3]

Hábito alimentar da população brasileira[editar | editar código-fonte]

O hábito alimentar dos brasileiros é muito variado, sendo suas principais refeições compostas por uma diversidade de alimentos tais como: arroz, feijão, macarrão, verduras, legumes, frutas, mandioca e outros tubérculos, pães, carnes, leite, queijos, ovos, café, chás e sucos. Esta variedade da culinária brasileira foi formada a partir da mistura da cultura indígena com culturas de outros povos colonizadores. Tal miscigenação pode ser observada no prato da população, o qual pode ser constituído por alimentos da culinária japonesa, italiana e indígena em apenas uma refeição. [2][3]

As regiões brasileiras podem se caracterizar por alguns alimentos e pratos típicos:

  • No Norte, os peixes de rios e a mandioca servem como base para as preparações do tacacá, maniçoba e açaí com tapioca. [4][5]
  • No Nordeste a farinha de mandioca, o feijão, a carne de sol, a rapadura, o milho e os peixes do mar são utilizados para o preparo dos pratos como o angu, o caruru, o cuscuz e o acarajé. [4][5]
  • O Centro-Oeste é uma região banhada por bacias hidrográficas o que torna grande o consumo de peixes e outras pescas. Alguns pratos típicos são: peixe na telha, carne com banana, feijão tropeiro, carne seca, toucinho e banha de porco. [4][5]
  • Já no Sul e Sudeste, pode-se encontrar uma grande variedade de preparações compostas por feijão, carnes em geral, milho, leite, peixes, etc. Podemos citar alguns pratos típicos como: a moqueca na panela de barro (Espírito Santo), o queijo minas e o tutu de feijão (Minas Gerais) e o chucrute e churrasco gaúcho (Rio Grande do Sul). [4][5]
Ícone de esboço Este artigo sobre nutrição é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. BLEIL, Susana Inez (1998). «O Padrão Alimentar Ocidental: considerações sobre a mudança de hábitos no Brasil.». Revista Cadernos de Debate 
  2. a b LODY, Raul (2008). Brasil bom de boca: temas de antropologia da alimentação. São Paulo: Senac. 424 páginas 
  3. a b BARBOSA, Lívia (dezembro de 2007). «Feijão com arroz e arroz com feijão: o Brasil no prato dos brasileiros.». Horizontes Antropológicos. 13 (28): 87–116. ISSN 0104-7183. doi:10.1590/S0104-71832007000200005 
  4. a b c d SOUZA, Maria Djiliah C.; HARDT, Priscilla Primi (agosto de 2002). «Evolução dos hábitos alimentares no Brasil.» (PDF). Revista Brasil Alimentos 
  5. a b c d MENDES, Roberto Teixeira; VILARTA, Roberto; GUTIERREZ, Gustavo Luis. (2009). Qualidade de Vida e Cultura Alimentar. (PDF). Campinas: Ipes Editora. pp. 137 – 147. Consultado em 14 de maio de 2018