Hélio Castroneves

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hélio Castroneves
Helio Castroneves 2009 Indy 500 Carb Day.JPG
Nome completo Hélio Castro Neves
Nacionalidade    Brasil Brasileiro
Local de nascimento Ribeirão Preto, São Paulo
Data de nascimento 10 de maio de 1975 (41 anos)
Registros na IndyCar Series
Anos 1998 - presente
Times Bettenhausen Motorsports (1998)
Hogan Racing (1999)
Team Penske (2000-)
GPs Poles Pódios Vitórias
244 38 72 29
Outros campeonatos
1989-1992
1993-1994
1995
1996-1997
Campeonato Brasileiro de Kart
Fórmula 3 Sul-americana
F-3 Inglesa
Indy Lights Series
Títulos
1989 Campeonato Brasileiro de Kart

Hélio Castro Neves (Ribeirão Preto, 10 de maio de 1975) é um automobilista brasileiro. Por ser comum o uso do primeiro nome e de apenas um sobrenome nas competições do automobilismo, Hélio mudou a grafia de seu sobrenome para Hélio Castroneves, pois não quis abrir mão de nenhum deles. Atualmente corre na Fórmula Indy.

Venceu as 500 milhas de Indianápolis consecutivamente em 2001 e 2002 e novamente em 2009, é o estrangeiro mais bem sucedido nesta corrida junto com os britânico Dario Franchitti, tornando-o um dos apenas nove pilotos totais e o único piloto ativo, que venceu pelo menos três Indy 500. Ele também terminou em segundo lugar em 2003 e 2014, terceiro lugar em 2007 e quarto lugar em 2008. Castroneves fez quatro poles na Indy 500(até 2015), incluindo 2 poles consecutivas em 2009 e 2010 pela primeira vez desde Scott Brayton. Ele também é um dos somente cinco pilotos, (Wilbur Shaw, Mauri Rose, Bill Vukovich, e Al Unser os outros quatro) e o único piloto ativo a ganhar 500 milhas de Indianápolis em corridas consecutivas.

Ele possui 29 vitórias das categorias de monopostos CART e IndyCar Series. Ele também conseguiu um total de 86 pódios e 46 pole-positions em carros da Indy. Na IndyCar em 2008, 2013 e 2014 e em 2002 foi vice-campeão, terceiro lugar em 2003 e 2006 e a quarto lugar em 2004, 2009, 2010 e 2012, mesmo resultado que tem na CART em 2001.

Recebeu o apelido de Homem-Aranha depois que subiu no alambrado para comemorar junto ao público a difícil vitória na corrida de Detroit em 2000. Desde então virou essa sua marca registrada nas comemorações.

Foi o vencedor da quinta temporada da versão americana de Dancing with the Stars com sua parceira de dança Julianne Hough.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Castroneves começou sua carreira no kart, incentivado por seu pai, proprietário de um time de Stock Car Brasil. Em 1989, ganhou o campeonato brasileiro no kart. Isso encorajou-o a tentar a sorte no automobilismo europeu, participando do campeonato de kart do mundo em 1990. Em 1992, conseguiu o segundo lugar na brasileira Fórmula Vauxhall.

Isto levou-o a participar da Fórmula 3 Sudamericana, onde em 1993 conseguiu o segundo lugar com quatro vitórias e três poles. No ano de 1994, salta para o automobilismo europeu. Castroneves viajou para a Europa, para participar em Fórmula 3 Britânica por equipe Paul Stewart, que em 1995 ganhou o terceiro lugar no campeonato. Nesse mesmo ano, ele foi o terceiro no Masters de Fórmula 3.

Para 1996, mudou-se para os Estados Unidos para participar da Indy Lights, a categoria imediatamente inferior da CART. Castroneves foi o sétimo lugar este ano com uma vitória em Trois-Rivières e dois adicionais pódios. Em 1997 obteve o segundo lugar atrás do companheiro de equipe na Tasman, Tony Kanaan, com três vitórias (Long Beach, Savannah e Toronto, quatro pódios e quatro poles em 13 corridas.

A carreira na CART, de 1998 até 2001[editar | editar código-fonte]

Castroneves foi contratado pela equipe Bettenhausen para a CART para a temporada de 1998. Com um segundo lugar em Milwaukee Mile e um sétimo em Gateway como melhor resultados, 17° na chegada e segundo melhor estreante depois de Tony Kanaan. Ele passou a competir pela equipe Hogan para 1999, ano em que obteve sua primeira pole position (em Homestead-Miami), uma chegada na segunda posição no Gateway e um quinto em Chicago.

Em 2000 entrou para a prestigiada Team Penske na CART ao invés de Greg Moore, de quem tinha sido assinado antes de sua morte em um acidente na última corrida de 1999 e sofreu colisão fatal. Castroneves marcou três poles e venceu três corridas em Detroit, Mid-Ohio e Laguna Seca, assim que terminou o ano na sétima colocação. Ele comemorou sua primeira vitória na categoria para baixo do carro na reta e escalada nas barras de contenção que separava o público da pista principal. Castroneves gostaria de repetir que a celebração desde em cada vitória, que ele ganhou aquela jornalista ESPN John Kernan colocar o apelido de Aranha. Também em 2000, ganhou o prêmio "Greg Moore", pelo carisma e sua temporada notável. Em 2001, Castroneves terminou em quarto lugar no campeonato com três vitórias em Long Beach, Detroit e Mid-Ohio.

Entrada na Fórmula Indy e vitórias na Indy 500[editar | editar código-fonte]

Gateway e Nazareth Speedway, quatro chegadas em segunda posição (incluindo as 500 milhas de Indianápolis) e dois em terceiro, Castroneves foi o terceiro em 2003. No ano seguinte, ele venceu a segunda corrida em Fort Worth, no Homestead foi o segundo e terceiro lugar em três ocasiões, então ele terminou na quarta colocação no campeonato. Em 2005 ganhou uma única corrida em Richmond e ficou em segundo lugar em duas corridas, que acrescentou desistentes de várias deixaram sexta posição final.

Em 2006, Castroneves voltou a contestar o título. Ele venceu quatro corridas (São Petersburgo, Twin Ring Motegi, Fort Worth e Michigan Internacional Speedway) e chegou em quinto, ou melhor em 9 das 14 corridas, assim que ele terminou em terceiro lugar a dois pontos do campeão Sam Hornish Jr. e vice-campeão Dan Wheldon. 2007 foi um ano de solto, com uma vitória em principalmente, segundo lugar em Sears Point e três terceiros lugares (um nas 500 milhas de Indianápolis, onde ele também ganhou a posição de pole position), que combinados com cinco abandonos e várias chegadas longe da ponta, terminou em sexto na competição.

Em 2008, Castroneves colheu duas vitórias no Sears Point e Chicagoland, oito segundos lugares e 15 top 5 em 18 corridas. No entanto, a campanha resultou em um novo segundo lugar atrás de Scott Dixon, que conquistou seis vitórias e 12 pódios.

Em 2010, Castroneves venceu Barber, Kentucky e Motegi, e chegou em quinto, ou melhor seis vezes, então ele terminou em quarto lugar no campeonato.

O brasileiro veio no top ten em apenas sete corridas em 2011, com dois segundos lugares e um quarto como melhores desempenho. Terminou o ano sem vitórias em 11º lugar, seu pior resultado desde 1999 em ambos os campos. Em 2012, Castroneves voltou ao topo do pódio em principalmente e Edmonton, mais um terço, um quarto, um quinto e sextos de quatro e quarto no campeonato.

Castroneves conseguiu em 2013 uma vitória, cinco pódios e 16 top 10 em 19 corridas. Ele jogou o título para o último dia, terminando vice-campeão atrás de Scott Dixon.

Em seu 15º ano consecutivo como piloto da Penske, Castroneves venceu em Detroit 2, ficou em segundo lugar nas 500 milhas de Indianápolis, as 500 milhas de Pocono e Toronto e o terceiro em principalmente e o grande prémio de Indianapolis. No entanto, tinha maus desempenhos em cinco datas finais, então foi vice-campeão pela quarta vez em sua carreira em carros da Indy, desta vez na frente de seu companheiro de equipe.

Em 2015, durante a formação da edição 99 das 500 milhas de Indianápolis, Castroneves sofreu um colisão temível que felizmente passou ileso. No decorrer da temporada, Castroneves obteve três segundos lugares, dois terceiros e um quarto, terminando em quinto lugar no campeonato.

Prisão por fraude fiscal nos Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

Em 3 de outubro de 2008, Castroneves foi indiciado por fraude fiscal e evasão de divisas, acusado de utilizar contas no exterior para esconder cerca de 5,5 milhões de dólares que teria recebido entre 1999 e 2004.[1]

Castroneves foi preso, algemado e acorrentado nas pernas, mas foi liberado, em 4 de outubro de 2009, após pagar fiança de 10 milhões de dólares. O seu julgamento começou em Março de 2009. O piloto alegava inocência, mas se fosse condenado pelas sete acusações que lhe pesavam, poderia receber uma pena de até 35 anos de prisão.[2] No dia 16 de Abril de 2009, Hélio foi considerado inocentado de todas as acusações, uma vez que o júri entendeu que não havia provas de que o piloto havia cometido fraude fiscal, sendo portanto liberado para correr novamente.[3] 38 dias depois,em 24 de maio de 2009 venceu pela terceira vez as tradicionais 500 Milhas de Indianápolis.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. (em inglês) Charges for Castroneves Visitado em 4 de Outubro de 2008.
  2. (em inglês) Castroneves Enters Plea Visitado em 4 de Outubro de 2008.
  3. (em inglês) Jury acquits Castroneves on tax charges Visitado em 29 de maio de 2009

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Hélio Castroneves
Auto Racing Chequered.svg Este artigo sobre um(a) automobilista, integrado ao Projeto Automobilismo, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.