Hélio José

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hélio José
Senador pelo Distrito Federal Distrito Federal (Brasil)
Período 1 de janeiro de 2015
até a atualidade
Dados pessoais
Nascimento 9 de março de 1960 (57 anos)
Corumbá de Goiás, GO
Partido PROS
Profissão Engenheiro eletricista[1]
linkWP:PPO#Brasil

Hélio José da Silva Lima (Corumbá de Goiás, 9 de março de 1960) é um engenheiro eletricista e político brasileiro, filiado ao Partido Republicano da Ordem Social. Ele defendeu a devolução do mandato do senador Aécio Neves.[2][1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em Corumbá de Goiás, é formado em engenharia elétrica na Universidade de Brasília.[1]

Nas eleições de 2010, foi eleito primeiro suplente de Rodrigo Rollemberg ao Senado Federal. Foi candidato ao cargo de Deputado Distrital do Distrito Federal pelo Partido Social Democrático (PSD) nas eleições de 2014, recebeu apenas 6 votos e não foi eleito.[3][4] Em 2015, assumiu a vaga de senador pelo Distrito Federal, uma vez que Rollemberg foi eleito, em 2014, governador do Distrito Federal, tendo que renunciar ao mandato de Senador da República.[5]

Foi filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT). Ajudou a fundar o Partido Social Democrático (PSD), no qual foi filiado entre 2010-2015. Em dezembro de 2015, ingressou no recém-criado Partido da Mulher Brasileira (PMB). [6] Em março de 2016, ingressa no Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB).[7]

Esteve envolvido em uma polêmica acerca de um áudio seu divulgado pelo WhatsApp, em que critica o impeachment e dá suas opiniões informais sobre a conjuntura política do Brasil: "Se Temer assumir, mas o problema é que vai assumir é o compromisso que ele teve de assinar com os bandidos do Cunha e com o grande empresariado [...] Acho que vão chorar lágrimas de sangue para que o PT volte daqui a dois anos. Vão ver a desgraceira que vai acontecer nesse país com arrocho, onde servidor público vai ser tratado na pinhola, onde o servidor público vai perder os seus direitos". O áudio vazado causou celeuma dentro do PMDB.[8] No entanto, Hélio José posicionou-se a favor da admissibilidade do processo de impeachment de Dilma Rousseff, defendendo Michel Temer em plenário.[9][10]

Em agosto de 2016, novas gravações divulgadas na internet mostram o senador Hélio José defendendo a indicação de um ex-assessor para o cargo de superintendente da Secretaria de Patrimônio da União (SPU) no Distrito Federal. Nos áudios, o político diz que nomeia "a melancia que quiser" para o posto e que quem não "estiver com ele" pode "cair fora". "Isso aqui é nosso. Isso aqui eu ponho quem eu quiser, a melancia que eu quiser aqui, eu vou colocar", diz o senador em um trecho da conversa.

Em nota, o senador ressaltou a capacidade técnica do seu assessor. “O sr. Nilo é gestor financeiro, devidamente inscrito no Conselho Regional de Administração, de elevada capacitação técnica, a quem o senador confiou e sugeriu uma indicação técnica para assumir a SPU-DF, que tem por finalidade zelar, manter, administrar e sobretudo, ajudar a destravar o sistema fundiário inclusive na regularização dos condomínios de uma forma técnica, honesta e totalmente dentro da legalidade”, atestou.[11][12]

Em dezembro de 2016, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[13]

Em julho de 2017, votou contra a cassação de Aécio Neves no conselho de ética do Senado.[14]

Em outubro de 2017, confirmou saída do PMDB, e o ingresso no PROS, após exoneração de apadrinhados seus pelo presidente Michel Temer, que o senador chamou de "retaliação".[15] Votou a favor da manutenção do mandato do senador Aécio Neves derrubando decisão da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal no processo onde ele é acusado de corrupção e obstrução da justiça por solicitar dois milhões de reais ao empresário Joesley Batista.[16][17]

Referências

  1. a b c «Perfil do Senador Hélio José no portal do Senado». Consultado em 11 de dezembro de 2015 
  2. «Divulgação de registros de candidaturas». Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 2010. Consultado em 9 de março de 2015 
  3. «Candidato a deputado que recebeu só 6 votos em 2014 será senador pelo DF - Notícias - UOL Eleições 2014». Consultado em 9 de agosto de 2016 
  4. «Busca por: helio jose». Consultado em 9 de agosto de 2016 
  5. «Rodrigo Rollemberg é eleito governador do Distrito Federal». Folha de S.Paulo. 26 de outubro de 2014. Consultado em 9 de março de 2015 
  6. «Biografia do Senador Hélio José». Site pessoal. Consultado em 11 de dezembro de 2015 
  7. «Senador Hélio José vai se filiar ao PMDB». Correio Braziliense. Consultado em 11 de março de 2016 
  8. Ana Maria Campos (21 de abril de 2016). «Hélio José faz strike no PMDB». Correio Braziliense. Consultado em 25 de maio de 2016 
  9. «Hélio José nega prejulgamento no processo de impeachment». Agência Senado. 22 de abril de 2016. Consultado em 25 de maio de 2016 
  10. «Placar do Impeachment - Senadores». Estado de São Paulo. 12 de maio de 2016. Consultado em 25 de maio de 2016 
  11. «Senador Hélio José afirma em áudio que nomeia». Consultado em 9 de agosto de 2016 
  12. «Em gravação, senador Hélio José diz que pode 'indicar melancia' para cargo». 4 de agosto de 2016. Consultado em 9 de agosto de 2016 
  13. Bol (13 de dezembro de 2016). «Confira como votaram os senadores sobre a PEC do Teto de Gastos 155 Do UOL, em São Paulo». Consultado em 16 de outubro de 2017 
  14. Redação Carta Capital (6 de julho de 2017). «Por 11 a 4, Aécio é salvo no Conselho de Ética: como votaram os senadores». Consultado em 15 de outubro de 2017 
  15. Correio Braziliense (14 de outubro de 2017). «Senador Hélio José troca o PMDB pelo Pros após demissão de apadrinhados». Consultado em 16 de outubro de 2017 
  16. «Veja como votou cada senador na sessão que derrubou afastamento de Aécio». Consultado em 17 de Outubro de 2017 
  17. «Janot denuncia Aécio Neves ao STF por corrupção e obstrução da Justiça». Consultado em 17 de Outubro de 2017