HCESAR

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Máquina de escrever, Smith Corona, com teclado nacional (Anos 60).

HCESAR (pronúncia:/ɐga sɛzaɾ/), foi uma disposição de teclado de máquinas de escrever utilizado em Portugal durante o Estado novo.

Apelidado de teclado nacional, foi adotado pelo Decreto-Lei n.º 27 868, de 17 de julho de 1937[1].

À semelhança dos padrões doutros países (QWERTY, AZERTY, etc), o seu nome baseia-se nas seis primeiras letras.

A distribuição das teclas teve em conta a frequência da utilização das letras na língua portuguesa, situando-se as de maior utilização ao centro.

Entre as características deste teclado, destacam-se:

A dupla função da mesma tecla para representar o digito 0 e a letra O maiúscula, assim como o digito 1 e o L minúsculo. Não existia o símbolo cardinal e o sinal de desigualdade conseguia-se através do sinal de igual e sobrepondo-lhe uma barra. O asterisco era conseguido à custa de um X minúsculo, sobreposto ao sinal mais.

Conceito de versão para dispositivos móveis.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Decreto-Lei n.º 27 868, de 17 de julho de 1937.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre HCESAR
Ícone de esboço Este artigo sobre Tecnologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.