HD 116087

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
J Centauri
Dados observacionais (J2000)
Constelação Centaurus
Asc. reta 13h 22m 38,0s[1]
Declinação -60° 59′ 18,2″[1]
Magnitude aparente 4,509[1]
Características
Tipo espectral B3V[1]
Cor (U-B) -0,56[1]
Cor (B-V) -0,140[1]
Astrometria
Velocidade radial 6,00 km/s[1]
Mov. próprio (AR) -36,31 mas/a[1]
Mov. próprio (DEC) -15,50 mas/a[1]
Paralaxe 9,20 ± 0,22 mas[1]
Distância 355 ± 8 anos-luz
109 ± 3 pc
Magnitude absoluta -0,67
Detalhes
Massa 4,25 + 1,80[2]
5,9 ± 0,1[3] M
Gravidade superficial log g = 4,22 cgs[4]
Luminosidade 501[4] L
Temperatura 16 218[4] K
Rotação v sin i = 223 km/s[5]
Idade 8,5 ± 5,5 milhões[3]
de anos
Outras denominações
J Centauri, CPD-60 4627, FK5 1347, HR 5035, HD 116087, HIP 65271, SAO 252284.[1]
HD 116087
Centaurus constellation map.png

HD 116087 (J Centauri) é uma estrela binária na constelação de Centaurus. Com uma magnitude aparente visual de 4,51,[1] é visível a olho nu em locais sem excesso de poluição luminosa. De acordo com medições de paralaxe pelo satélite Hipparcos, está localizada a 355 anos-luz (109 parsecs) da Terra.[1] A essa distância, sua magnitude é diminuída em 0,07 devido à extinção causada por gás e poeira no meio interestelar.[4] O sistema é membro do subgrupo Centaurus Inferior-Crux da associação Scorpius–Centaurus, a associação OB mais próxima do Sol.[2]

J Centauri é uma estrela binária visual com uma separação de 0,164 segundos de arco[2] e período orbital estimado em 16,9 anos.[6] A massa das estrelas já foi estimada em 4,25 e 1,80 vezes a massa solar.[2] O componente mais brilhante é uma estrela de classe B da sequência principal com um tipo espectral de B3V.[1] Está irradiando 500 vezes a luminosidade solar e tem uma temperatura efetiva de 16 200 K,[4] o que indica que possui coloração azul-branca.[7]

O sistema forma uma binária visual com HD 116072, uma estrela de classe espectral B3/5 e magnitude aparente visual de 6,15 que está a uma separação de 60 segundos de arco.[8][9] Também denominada V790 Centauri,[8] já foi identificada como uma estrela variável binária eclipsante e apresenta uma variação de magnitude entre 6,15 e 6,33, causada pelos eclipses mútuos de duas estrelas com período orbital de 1,278 dias, próximas de uma configuração de contato.[10][11] Anteriormente considerada um possível membro do sistema J Centauri,[9][6] a sonda Gaia mostrou que está muito mais distante, a uma distância de 412 ± 12 parsecs da Terra.[12]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n «SIMBAD query result - J Cen». SIMBAD. Centre de Données astronomiques de Strasbourg. Consultado em 15 de maio de 2017 
  2. a b c d Kouwenhoven, M. B. N.; Brown, A. G. A.; Portegies Zwart, S. F.; Kaper, L. (outubro de 2007). «The primordial binary population II: Recovering the binary population for intermediate mass stars in Scorpius OB2». Astronomy and Astrophysics. 474 (1): 77-104. Bibcode:2007A&A...474...77K. doi:10.1051/0004-6361:20077719 
  3. a b Tetzlaff, N.; Neuhäuser, R.; Hohle, M. M (janeiro de 2011). «A catalogue of young runaway Hipparcos stars within 3 kpc from the Sun». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. 410 (1): 190-200. Bibcode:2011MNRAS.410..190T. doi:10.1111/j.1365-2966.2010.17434.x 
  4. a b c d e de Geus, E. J.; de Zeeuw, P. T.; Lub, J. (junho de 1989). «Physical parameters of stars in the Scorpio-Centaurus OB association». Astronomy and Astrophysics. 216 (1-2): 44-61. Bibcode:1989A&A...216...44D 
  5. Wolff, S. C.; Strom, S. E.; Dror, D.; Venn, K (março de 2007). «Rotational Velocities for B0-B3 Stars in Seven Young Clusters: Further Study of the Relationship between Rotation Speed and Density in Star-Forming Regions». The Astronomical Journal. 133 (3): 1092-1103. Bibcode:2007AJ....133.1092W. doi:10.1086/511002 
  6. a b Tokovinin, A. A. (julho de 1997). «MSC - a catalogue of physical multiple stars». Astronomy and Astrophysics Supplement Series. 124: 75-84. Bibcode:1997A&AS..124...75T. doi:10.1051/aas:1997181 
  7. «The Colour of Stars». Australia Telescope, Outreach and Education. Commonwealth Scientific and Industrial Research Organisation. 21 de dezembro de 2004. Consultado em 15 de maio de 2017 
  8. a b «SIMBAD query result - HD 116072». SIMBAD. Centre de Données astronomiques de Strasbourg. Consultado em 15 de maio de 2017 
  9. a b Veramendi, M. E.; González, J. F. (julho de 2014). «Spectroscopic study of early-type multiple stellar systems. II. New binary subsystems». Astronomy & Astrophysics. 567: A35, 10. Bibcode:2014A&A...567A..35V. doi:10.1051/0004-6361/201423736 
  10. Samus, N. N.; Kazarovets, E. V.; Durlevich, O. V.; Kireeva, N. N.; Pastukhova, E. N. (janeiro de 2009). «VizieR Online Data Catalog: General Catalogue of Variable Stars (Samus+, 2007-2017)». VizieR On-line Data Catalog: B/gcvs. Bibcode:2009yCat....102025S 
  11. Waelkens, C.; Rufener, F. (abril de 1983). «Light curves of four southern bright hitherto unknown eclipsing binaries». Astronomy and Astrophysics Supplement Series. 52: 13-20. Bibcode:1983A&AS...52...13W 
  12. Gaia Collaboration: Brown, A. G. A.; Vallenari, A.; Prusti, T.; de Bruijne, J. H. J.; et al. (2018). «Gaia Data Release 2. Summary of the contents and survey properties». Astronomy & Astrophysics. 616: A1, 22 pp. Bibcode:2018A&A...616A...1G. arXiv:1804.09365Acessível livremente. doi:10.1051/0004-6361/201833051.  Catálogo Vizier