Hackathon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Hackathon (palavra-valise inglesa, formada pelos vocábulos to hack, 'fatiar', 'quebrar', 'alterar ou ter acesso a um arquivo ou rede',[1] e marathon, maratona), termo eventualmente aportuguesado para "hackaton," é uma maratona de programação na qual hackers se reúnem por horas, dias ou até semanas, a fim de explorar dados abertos, desvendar códigos e sistemas lógicos, discutir novas ideias e desenvolver projetos de software ou mesmo de hardware. Por ser um evento público (também referido como hack day, hackfest ou codefest), a maratona dá visibilidade e transparência a essas atividades, além de divulgar os novos produtos gerados.[2]

Origem[editar | editar código-fonte]

O termo parece ter sido criado em junho de 1999, nos Estados Unidos, por desenvolvedores de OpenBSD, durante um encontro de 10 desenvolvedores para criar uma nova criptografia,[3] ou, na mesma época, durante uma conferência da Sun,[4] quando os participantes foram desafiados a escrever um programa em Java.

Embora o evento tenha essa provável origem, na história é possível observar outros tipos de eventos como Maratonas de Programação que também envolviam a produção de código em um evento. Porém, a diferença entre Hackathons e as simples Maratonas de Programação é que Hackathons têm temas específicos, números de participantes, regras de apresentação dos resultados e regulamentos a respeito da utilização desses projetos, já as Maratonas de Programação são mais focadas em desenvolvimento de código sem a proposta de solução de um problema e geralmente acontecem em apenas um dia.

No Brasil[editar | editar código-fonte]

Desde então, esses eventos se difundiram pelo mundo, tornando-se popular em vários países, inclusive o Brasil, onde vários eventos desse tipo têm sido realizados a partir do início da década de 2010, em São Paulo, Rio de Janeiro. Minas Gerais, Pernambuco e no Distrito Federal. Muitas empresas e organizações perceberam que Hackathons são uma grande porta para inovação, portanto empresas como IBM, Bradesco, Petrobrás, Ambev, Serasa, Gerdau, IBGE, FIESP e muitas outras já fizeram suas próprias edições.

Recordes:[editar | editar código-fonte]

Atualmente a IBM possui a marca de maior Hackathon de Inovação Aberta organizada na América Latina. As chamadas Bluehack (Blue em referência ao apelido da empresa: "Big Blue") bateram recordes de participantes e estão alcançando vários estados, e em 2017 com eventos feito em São Paulo, Rio de Janeiro e até em Nova York.

No mesmo clima, a Angelhack, empresa Norte Americana com sede no Vale do Silício, também tem sua própria série de Hackathons Globais e procura sempre organizar simultâneamente em diversos lugares no mundo.

Referências

  1. The Free Dictionary: hack 1
  2. Hackathon – o que é isso?. Por Haydée Svab. Estadão, 7 de fevereiro de 2014
  3. (em inglês) «OpenBSD Hackathons». OpenBSD 
  4. (em inglês) JavaOne's Palm-sized winner. Por Mariva H. Aviram. JavaWorld, 1º de agosto de 1999.


Ícone de esboço Este artigo sobre Informática é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.