Hacksaw Ridge

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Hacksaw Ridge
O Herói de Hacksaw Ridge (PRT)
Até o Último Homem[1] (BRA)
Cartaz de lançamento original.
 Estados Unidos Austrália
2016 •  cor •  139 min 
Direção Mel Gibson
Produção Terry Benedict
Paul Currie
Bruce Davey
William D. Johnson
Bill Mechanic
Brian Oliver
David Permut
Roteiro Robert Schenkkan
Andrew Knight
Baseado em The Conscientious Objector de Terry Benedict
Elenco Andrew Garfield
Sam Worthington
Luke Bracey
Teresa Palmer
Ryan Corr
Hugo Weaving
Rachel Griffiths
Vince Vaughn
Género drama biográfico, guerra
Música Rupert Gregson-Williams
Cinematografia Simon Duggan
Edição John Gilbert
Companhia(s) produtora(s) Cross Creek Pictures
Demarest Media
Argent Pictures
IM Global
AI Film Productions
Vendian Entertainment
Kylin Pictures
Pandemonium Films
Permut Presentations Production
Distribuição Estados Unidos Summit Entertainment
Austrália Icon Film Distribution
Portugal NOS Audiovisuais
Brasil Diamond Films
Lançamento Austrália 3 de novembro de 2016
Estados Unidos 4 de novembro de 2016
Portugal 10 de novembro de 2016
Brasil 26 de janeiro de 2017
Idioma inglês
Orçamento US$ 40 milhões[2][3]
Receita US$ 175.302.354[4]
Página no IMDb (em inglês)

Hacksaw Ridge (bra: Até o Último Homem[1] /prt: O Herói de Hacksaw Ridge) é um filme de guerra e drama biográfico de 2016 foi dirigido por Mel Gibson e escrito por Andrew Knight e Robert Schenkkan baseado no documentário The Conscientious Objector de 2004. O filme é ambientado na Segunda Guerra Mundial e foca nas experiências de Desmond Doss, um médico de combate americano pacifista que, como cristão da Igreja Adventista do Sétimo Dia, se recusou a portar ou usar uma arma de fogo de qualquer espécie. Doss se tornou o primeiro objetor de consciência a receber a Medalha de Honra pelo seu empenho durante a Batalha de Okinawa. Andrew Garfield estrela como Doss com Sam Worthington, Luke Bracey, Teresa Palmer, Hugo Weaving, Rachel Griffiths e Vince Vaughn em papéis coadjuvantes.

Lançado em novembro de 2016, o filme arrecadou US$ 175,3 milhões em todo o mundo e recebeu críticas geralmente favoráveis, com a direção de Gibson e o desempenho de Garfield ganhando elogios notáveis.[4] Hacksaw Ridge foi escolhido pelo American Film Institute como um dos dez melhores filmes do ano,[5] e recebeu inúmeros prêmios e indicações. O filme recebeu seis indicações ao Óscar durante a 89ª cerimônia nas categorias de melhor filme, melhor diretor, melhor ator (por Garfield) e melhor edição de som e venceu nas categorias de melhor mixagem de som e melhor edição.[6][7] Também recebeu indicações ao Globo de Ouro de melhor filme dramático, melhor diretor e melhor ator dramático (Garfield),[8] e 12 prêmios da AACTA, incluindo o de melhor filme, melhor direção, melhor roteiro original, melhor ator (por Garfield) e melhor ator coadjuvante (por Hugo Weaving).

Enredo[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia tem o portal:

Na zona rural da Virgínia em meio aos anos 20, o jovem menino Desmond Doss quase mata seu irmão mais novo, Hal, enquanto eles brincam. Devido a este evento e por sua educação adventista, a crença de Doss sobre o mandamento "Não matarás" se reforça. Anos mais tarde, já adulto, Doss leva um homem acidentado na rua para o hospital e conhece a enfermeira Dorothy Schutte. Os dois iniciam um romance e Doss conta a Dorothy sobre seu interesse no trabalho médico.

Após o ataque japonês a Pearl Harbor, Doss se alista no Exército dos Estados Unidos para servir como médico de combate. Seu pai Tom, um veterano da Primeira Guerra Mundial, está profundamente perturbado com a decisão. Antes de partir para Fort Jackson, ele pede a mão de Dorothy em casamento e ela aceita.

Doss é colocado sob o comando do sargento Howell. Ele se destaca fisicamente, mas é excluído socialmente entre seus colegas soldados por se recusar a manusear um fuzil e treinar aos sábados (seguindo sua crença adventista). Howell e o Capitão Glover tentam dispensar Doss do Exército por razões psiquiátricas, baseando-se em regras da Seção 8, mas não conseguem pois as crenças religiosas de Doss não constituem doença mental; eles posteriormente atormentam Doss colocando-o em trabalho árduo com a intenção de fazer com que ele peça dispensa por conta própria. Apesar de ser espancado uma noite por seus colegas soldados, Doss se recusa a entregar seus agressores e continua treinando.

A unidade de Doss completa o treinamento básico e é liberada para licença de folga, durante a qual Doss pretende se casar com Dorothy, mas sua recusa em portar uma arma de fogo o leva à prisão por insubordinação; o capitão Glover e Dorothy visitam Doss na prisão e tentam convencê-lo a se declarar culpado para que ele possa ser libertado sem acusação, mas Doss se recusa a comprometer suas crenças. Em seu julgamento Doss se declara inocente, mas antes de ser sentenciado, seu pai invade o tribunal com uma carta de seu ex-comandante da Primeira Guerra (agora general de brigada) afirmando que o pacifismo de seu filho é protegido por um Ato do Congresso; as acusações contra Doss são enfim retiradas. Após finalmente ganhar sua folga, Doss e Dorothy enfim se casam e desfrutam de sua primeira noite juntos.

O grupo de Doss é atrelado à 77ª Divisão de Infantaria e eles são convocados para as operações contra os japoneses no Pacífico. Durante a Batalha de Okinawa, a unidade de Doss é informada que eles irão servir para a 96ª Divisão de Infantaria, que foi encarregada de subir a Escarpa de Maeda e enfrentar os japoneses. Durante a luta inicial, com grandes perdas de ambos os lados, Doss salva a vida de seu companheiro de equipe Smitty, ganhando seu respeito. Enquanto os americanos acampam naquela noite, Doss revela a Smitty que sua aversão à posse de uma arma de fogo vem de quase atirar em seu pai bêbado, que ameaçou sua mãe certa vez quando ele era criança com uma arma. Smitty pede desculpas por duvidar de sua coragem e os dois se reconciliam.

Na manhã seguinte, os japoneses lançam um contra-ataque maciço e expulsam os americanos do topo da escarpa; Smitty é morto, enquanto Howell e vários membros do pelotão de Doss são deixados feridos no meio do campo de batalha. Doss ouve os gritos de soldados sobreviventes em meio ao campo de batalha e volta para salvá-los, carregando os feridos até a beira do penhasco e os amarrando por uma corda para descê-los; a cada resgate, Doss ora para que ele consiga "salvar mais um". A chegada de dezenas de soldados feridos presumidos mortos é uma surpresa para o restante do pelotão. Quando o dia termina, Doss resgata Howell e os dois escapam dos japoneses sob forte fogo inimigo.

O capitão Glover diz a Doss que os homens do pelotão agora respeitam ele e que não iniciarão o próximo ataque, que cairá no sábado sagrado adventista, sem Doss. No dia do ataque, após uma oração de Doss pela segurança de seu grupo, eles escalam novamente a Escarpa da Maeda; depois de uma emboscada feita por soldados japoneses fingindo se render, Doss consegue salvar Glover e outros soldados chutando granadas lançadas pelos inimigos. Doss é eventualmente ferido por uma explosão de granada, mas a batalha é vencida pelos americanos; Doss é resgatado por seus companheiros e desce do penhasco através de uma maca amarrada por cordas segurando a Bíblia que Dorothy lhe deu antes de sua partida pra guerra.

O filme se encerra apresentando algumas fotos de arquivo e vídeos reais mostrando que Doss foi condecorado com a Medalha de Honra pelo presidente Harry S. Truman por resgatar 75 soldados na Escarpa da Maeda; antes dos créditos finais é informado que Doss ficou casado com Dorothy até a morte dela em 1991 e que ele faleceu em 23 de março de 2006 aos 87 anos de idade.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Hacksaw Ridge esteve em inferno de desenvolvimento por catorze anos.[9] Numerosos produtores tentaram por décadas retratar a história de Desmond Doss nos cinemas como Audie Murphy e Hal B. Wallis.[10]

Em 2001, depois de finalmente convencer Doss que fazer um filme sobre sua vida notável era a coisa certa a fazer, o roteirista e produtor Gregory Crosby (neto de Bing Crosby) escreveu uma carta de sugestão de projeto para a história e a enviou ao produtor de filmes David Permut através de sua produtora Permut Presentations e com cooperação primária de Stan Jensen, da Igreja Adventista do Sétimo Dia, que finalmente levou ao financiamento do filme.[9]

Em 2004, o diretor Terry Benedict ganhou o direito de fazer um documentário sobre Doss, The Conscientious Objector, e garantiu os direitos dramáticos do filme no processo. No entanto, Doss morreu em 2006, após o qual o produtor Bill Mechanic adquiriu e depois vendeu os direitos para a Walden Media, que desenvolveu o projeto junto com o produtor David Permut.[11] Gregory Crosby e Steve Longi atuaram como co-produtores.[12] A Walden Media insistiu em uma versão que seria visivelmente censurada com a classificação PG-13 pela MPAA e Mechanic passou anos trabalhando para comprar os direitos de volta.[10][13]

Depois de conseguir adquirir os direitos novamente, Mechanic se aproximou de Mel Gibson e pediu-lhe que criasse uma mistura de violência e fé, como ele fez em A Paixão de Cristo (2004). Gibson recusou a oferta duas vezes, como fez anteriormente com Braveheart (1995).[14] Quase uma década depois, Gibson finalmente concordou em dirigir, decisão esta anunciada em novembro de 2014. No mesmo mês, Andrew Garfield foi confirmado para desempenhar o papel de Desmond Doss.[11]

Com um orçamento de US$ 40 milhões, a equipe de produção ainda enfrentava muitos desafios. Hacksaw Ridge tornou-se uma co-produção internacional, contando com a contribuição de importantes empresas e produtoras localizadas nos Estados Unidos e na Austrália. Inicialmente os incentivos fiscais australianos foram vetados para a produção, o que obrigou o filme a se qualificar como australiano para receber os subsídios do governo; apesar de ser nascido nos Estados Unidos, os primeiros anos de Gibson na Austrália ajudaram a produção do filme a ser considerada australiana juntamente com a maioria do elenco oriundo daquele país como Rachel Griffiths, Teresa Palmer, Sam Worthington (que apesar de nascer no Reino Unido tinha cidadania australiana), Hugo Weaving (nigeriano naturalizado na Austrália), Richard Roxburgh e Luke Bracey; completando o elenco estava o ator americano Vince Vaughn.[15] De acordo com o produtor Bill Mechanic, o financiamento do filme só se tornou possível graças aos subsídios estatais e federais australianos.[16]

Em 9 de fevereiro de 2015, a IM Global fechou um acordo para financiar o filme e também vendeu o filme para outros mercados internacionais.[17] No mesmo dia, a Lions Gate Entertainment adquiriu os direitos de distribuição norte-americanos do filme.[18] Os direitos de distribuição chineses foram adquiridos pela Bliss Media, uma empresa de produção e distribuição cinematográfica sediada em Xangai.[19]

Hacksaw Ridge é o primeiro filme dirigido por Gibson desde Apocalypto de 2006,[20][21] e marca uma partida de seus filmes anteriores, como o próprio Apocalypto e Braveheart, em que os protagonistas agiram violentamente.[22]

Roteiro[editar | editar código-fonte]

Robert Schenkkan fez o rascunho inicial[23] e Randall Wallace, que anteriormente estava cogitado para a direção do filme, reescreveu o roteiro.[24] Andrew Knight fez uma revisão no roteiro. O parceiro de Gibson, Bruce Davey, também produziu o filme, junto com Paul Currie.[25]

Escolha do elenco[editar | editar código-fonte]

O elenco - Andrew Garfield, Vince Vaughn, Sam Worthington, Luke Bracey, Teresa Palmer, Rachel Griffiths, Richard Roxburgh, Luke Pegler, Richard Pyros, Ben Mingay, Dirani Firass, Nico Cortez, Michael Sheasby, Goran Kleut, Jacob Warner, Harry Greenwood, Damien Thomlinson, Ben O'Toole, Benedict Hardie, Robert Morgan, Ori Pfeffer, Milo Gibson, Nathaniel Buzolic, Hugo Weaving e Ryan Corr - foi anunciado entre novembro de 2014 e outubro de 2015.[25][26][27][28][29] Darcy Bryce interpretou Doss quando criança.[30]

Garfield foi escalado para interpretar Desmond Doss;[11] Garfield tinha muito respeito por Doss e o venerou por seu ato de bravura, qualificando-o como um "símbolo maravilhoso por incorporar a ideia de viver e deixar viver não importa qual seja sua ideologia, não importa qual seja seu sistema de valores apenas para permitir que outras pessoas sejam quem são e se permitam ser quem você é". Ele comparou seu papel como o de um super-herói de verdade, em comparação com sua atuação como Homem-Aranha em The Amazing Spider-Man;[31] Garfield também afirmou que chegou a chorar quando leu pela primeira vez o roteiro.[32] Ele visitou a cidade natal de Doss e conheceu suas várias ferramentas.[33] Mel Gibson convidou Garfield para o papel devido ao seu desempenho em A Rede Social, de 2010.[22]

Teresa Palmer queria tanto um papel no filme que fez o teste por telefone e enviou a gravação para Gibson. Ela não recebeu nenhuma resposta por três meses, até que Gibson a contatou para lhe dizer que ela havia sido aprovada para o papel de Dorothy, a esposa de Doss.[34]

Filmagens[editar | editar código-fonte]

As filmagens do filme tiveram início em 29 de setembro de 2015[21] e durou 59 dias,[35] terminando em dezembro daquele ano.[9] As filmagens foram todas realizadas na Austrália.[14] As gravações das cenas internas ocorreram na Fox Studios Australia em Sydney, depois que os produtores procuraram vigorosamente por locais em todo o país.[36] As cenas externas foram rodadas principalmente nos estados de Nova Gales do Sul - onde Gibson passou grande parte de seus primeiros anos - em Sydney e em outras cidades como Richmond,[37] Bringelly,[38] e Oran Park.[39] Gibson mudou-se para Nova Gales do Sul em julho de 2015, dois meses antes do início das filmagens.[40] A cena do cemitério foi filmada no Sydney's Centennial Park;[41] os arredores da Newington Armory no Parque Olímpico de Sydney foram usados para a ambientação do Fort Jackson. As filmagens em Bringelly exigiram que a equipe limpasse e desmatasse mais de 500 hectares de terra, o que provocou a ira de alguns ambientalistas; os produtores tiveram total aprovação e permissão para fazer o desmatamento sob condições de replantar as árvores e reabilitar parte do solo após o término das filmagens.[42] De acordo com Troy Grant, vice-premier de Nova Gales do Sul e ministro das artes, o filme criou 720 empregos e US$ 19 milhões de lucro para a região rural do estado.[43]

Ao todo, três jipes, dois caminhões e um tanque foram apresentados no filme.[14] Bulldozers e retroescavadeiras foram usados ​​para transformar um pasto leiteiro perto de Sydney no campo de batalha de Okinawa. Uma berma tinha que ser erguida ao redor do perímetro para que as câmeras pudessem girar 360 graus sem ter árvores de eucalipto no fundo.[14] Gibson não queria depender muito dos efeitos visuais de computador, seja na tela ou na pré-visualização das cenas de batalha; efeitos visuais foram usados ​​somente durante cenas sangrentas como as que mostram os soldados sendo queimados com napalm.[14] Durante as filmagens das cenas de guerra, Gibson ajudou os atores falando e ensinando sobre suas experiências passadas em filmes de guerra, ensinando-os a encenar e gritar dramaticamente durante as gravações como se estivessem numa guerra de verdade.[14]

Pós-produção[editar | editar código-fonte]

Kevin O'Connell, que ganhou seu primeiro Oscar por mixagem de som neste filme (após 20 indicações), afirmou que restrições orçamentárias o forçaram a utilizar sons de arquivo da Segunda Guerra Mundial para as cenas envolvendo tiroteio.[44]

Temas[editar | editar código-fonte]

O filme foi descrito como uma produção anti-guerra,[45] com temas pacifistas.[14] Também incorpora imagens religiosas recorrentes, como o batismo e a ascensão.[2]

Precisão histórica[editar | editar código-fonte]

Desmond Doss no topo da Escarpa Maeda, 4 de maio de 1945.

Depois da guerra, Doss recusou muitos pedidos de livros e versões cinematográficas de sua vida porque estava cauteloso sobre suas experiências de guerra e sobre como as crenças adventistas do sétimo dia seriam retratadas de modo impreciso ou sensacional. O único filho de Doss, Desmond Doss Jr., afirmou: "A razão pela qual ele recusou é que nenhuma das propostas aderiu a seu único requisito: que fosse preciso. E eu acho notável o nível de precisão que este filme tem do início ao fim".[46] O produtor David Permut afirmou que os cineastas tiveram grande cuidado em manter a integridade da história, uma vez que Doss era muito religioso.[2]

No entanto, os produtores mudaram alguns detalhes, principalmente sobre a história do pai de Doss, o incidente com a arma que Doss tirou das mãos de seu pai alcoólatra e as circunstâncias de seu primeiro casamento;[46][47] o personagem Smitty, interpretado por Luke Bracey, é uma "representação" dos vários soldados que atormentaram Doss e foi criado por razões narrativas.[48] Outras mudanças na história ocorrem perto do final do filme, como quando Doss é colocado em uma maca: na vida real, Doss pediu que outro homem ferido ocupasse o seu lugar na maca; depois de socorrer um soldado, um atirador de elite japonês acertou o braço de Doss, causando-lhe uma fratura fazendo com que ele se arrastasse pelo campo de batalha por mais de 300 jardas até encontrar um local seguro[49] para se proteger do tiroteio e ficar por ali sozinho por cerca de cinco horas;[50] Gibson omitiu isso do filme porque achava que o público não acharia a cena crível.[51] O filme também omite o serviço de Doss nos combates anteriores da Batalha de Guam e de Leyte (Doss foi premiado com a Estrela de Bronze por sua bravura extraordinária em ambas as batalhas),[49] e deixa a impressão de que as ações de Doss em Okinawa teriam durado poucos dias, embora sua citação na Medalha de Honra tenha referido suas ações durante um período de cerca de três semanas (29 de abril a 21 de maio).[46][52]

Música[editar | editar código-fonte]

Hacksaw Ridge: Original Motion Picture Soundtrack
Trilha sonora de Rupert Gregson-Williams
Lançamento 4 de novembro de 2016
Gravação 2016
Gênero(s) Orquestra
Duração 53:56
Gravadora(s) Varèse Sarabande
Produção Rupert Gregson-Williams
Cronologia de Rupert Gregson-Williams
A Lenda de Tarzan
(2016)
Sandy Wexler
(2017)

James Horner foi originalmente escalado para compor a trilha sonora do filme, mas foi substituído por John Debney após a morte prematura de Horner em 2015.[53] Debney posteriormente também acabou sendo substituído por Rupert Gregson-Williams após sua composição ter sido rejeitada pela produção um pouco antes da estreia de Hacksaw Ridge no Festival de Cinema de Veneza.[54] Ao compor a música Gregson-Williams comentou: "A trilha sonora é na realidade composta em duas partes: no romance lindo florescente quando Desmond descobre o amor de sua vida e a sua fé e, na parte mais brutal, quando Doss refletiu sua espiritualidade sem ser piedoso e mostrou sua bravura sem celebrar a violência".[55] A trilha sonora do filme foi gravada no Abbey Road Studios, em Londres, com uma orquestra de 70 músicos e um coral de 36 vozes dirigido por Cliff Masterson.[56]

Todas as canções escritas e compostas por Rupert Gregson-Williams

Track listing
N.º Título Duração
1. "Okinawa Battlefield"   3:59
2. "I Could Have Killed Him"   2:20
3. "A Calling"   2:42
4. "Pretty Corny"   1:44
5. "Climbing for a Kiss"   3:47
6. "Throw Hell at Him"   1:58
7. "Sleep"   2:18
8. "Dorothy Pleads"   3:17
9. "Hacksaw Ridge"   4:20
10. "Japanese Retake the Ridge"   4:36
11. "I Can't Hear You"   2:54
12. "One Man at a Time"   2:30
13. "Rescue Continues"   3:46
14. "A Miraculous Return"   2:50
15. "Praying"   5:49
16. "Historical Footage"   4:59
Duração total:
53:56

Lançamento[editar | editar código-fonte]

A estreia mundial oficial de Hacksaw Ridge ocorreu em 4 de setembro de 2016[57] no Festival Internacional de Cinema de Veneza, onde recebeu uma ovação de 10 minutos.[58] O filme foi lançado na Austrália em 3 de novembro de 2016, pela Icon Film Distribution, e nos Estados Unidos em 4 de novembro de 2016, pela Summit Entertainment, subsidiária da Lionsgate (que adquiriu os direitos de distribuição do filme no país).[59][60] Ele foi lançado pela Bliss Media na China em novembro,[61][62] e no Reino Unido em 2017,[63] sob distribuição da IM Global.[21]

Marketing[editar | editar código-fonte]

Em 28 de julho de 2016 a Lionsgate lançou o único trailer oficial de Hacksaw Ridge, que conquistou milhões de visualizações.[64] Em parceria com a Disabled American Veterans, Gibson exibiu o filme tanto na Convenção Nacional da DAV como na Convenção Nacional da VFW em agosto de 2016 para aumentar a conscientização sobre os problemas que os veteranos da Segunda Guerra enfrentavam nos Estados Unidos.[65] Vários ministérios adventistas do sétimo dia ofereceram cópias gratuitas do livro Herói de Hacksaw Ridge durante o lançamento do filme,[66][67] bem como materiais promocionais criados[68] para destacar a fé de Doss.[69] Em 24 de fevereiro de 2017, a Reto-Moto e a Lionsgate anunciaram uma promoção conjunta onde a compra de um pacote para download do jogo Heroes & Generals também daria ao comprador uma cópia digital do filme.[70]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Comercial[editar | editar código-fonte]

Hacksaw Ridge arrecadou US$ 67,1 milhões nos Estados Unidos e no Canadá e mais US$ 108,2 milhões em outros países, totalizando US$ 175,3 milhões no total mundial, contra um orçamento de US$ 40 milhões.[4]

O filme estreou ao lado de Doutor Estranho e Trolls, e foi projetado para arrecadar cerca de US$ 12 milhões de 2.886 cinemas. Esperava-se que Hacksaw Ridge tivesse um desempenho bom entre o público religioso do meio-oeste e do sul dos Estados Unidos.[71][72] O filme acumulou US$ 5,2 milhões em seu primeiro dia e US$ 15,2 milhões em seu fim de semana de abertura, terminando em terceiro lugar nas bilheterias atrás de Doutor Estranho e Trolls; a estréia conseguiu juntar quase a mesma quantia da abertura Apocalypto, também do diretor Mel Gibson.[73] Em seu segundo fim de semana, o filme arrecadou US$ 10,6 milhões (uma queda de apenas 30%), terminando em 5º lugar nas bilheterias.[74]

O filme também foi lançado com sucesso na China, arrecadando mais de US$ 16 milhões em seus primeiros quatro dias nas bilheterias[75] e mais de US$ 60 milhões no total daquele país.[76]

Crítica[editar | editar código-fonte]

No agregador de críticas Rotten Tomatoes o filme tem uma taxa de aprovação de 86% com base em 245 avaliações, com uma classificação média de 7,2/10; o consenso crítico do site diz: "Hacksaw Ridge usa o legado de um pacifista da vida real para lançar as bases para um emocionante tributo em tempo de guerra e fé, o filme possui o valor e a coragem de permanecer fiel às convicções de alguém".[77] No Metacritic o filme tem uma pontuação média ponderada de 71 de 100, com base em 47 críticos, indicando "revisões geralmente favoráveis".[78] As audiências pesquisadas pelo CinemaScore deram um grau médio de "A" em uma escala que varia de A+ a F,[79] enquanto os fotógrafos do PostTrak relataram uma pontuação positiva geral de 91% e uma recomendação definitiva de 67%.[73]

O Milford Daily News chamou o filme de "obra-prima", acrescentando que "vai acabar em muitas listas de Top 10 de 2016, que devem originar indicações ao Oscar de Melhor Ator, Melhor Diretor e Melhor Filme".[80] Maggie Stancu do Movie Pilot escreveu que "algumas escolhas de Gibson para os personagens de Hacksaw Ridge foram geniais e Garfield realizou o melhor desempenho de todo o elenco. Com performances incríveis de Vince Vaughn, Teresa Palmer, Sam Worthington e Hugo Weaving, é absolutamente um dos filmes imperdíveis de 2016".[81] Mick LaSalle do San Francisco Chronicle disse que o filme é "um brilhante retorno para Mel Gibson, que confirma sua posição como diretor com um talento singular para o espetáculo e com certeza para os atores".[82] Em The Film Lawyers, Samar Khan chamou Hacksaw Ridge de "fantástico" e enfatizou "o quão maravilhoso é ter Gibson de volta em uma posição mais proeminente em Hollywood, esperançosamente com os demônios de seu passado para trás. Estaremos preparados para um futuro repleto de grandes filmes deste visionário diretor".[83] O The Daily Telegraph premiou o filme com quatro estrelas e acrescentou: "Hacksaw Ridge é um filme de guerra fantasticamente comovente e contundente que te atinge como um golpe de carne cru no rosto [...]".[84] O jornal The Guardian também classificou o filme com quatro estrelas em sua crítica.[85]

A revisão do jornal The Australian foi positiva, afirmando que, como diretor, "a abordagem de Gibson é ousada e destemida, o que representa o seu melhor trabalho até hoje atrás das câmeras".[86] Rex Reed, do Observer, classificou o filme com quatro estrelas e o chamou de "o melhor filme de guerra desde O Resgate do Soldado Ryan... É violento, angustiante, comovente e inesquecível. E sim, foi dirigido por Mel Gibson. Ele também merece uma medalha."[87] Michael Smith do Tulsa World descreveu o filme como "um estudo de um personagem comovente" e elogiou a direção e a atuação: "É realmente notável como Gibson pode filmar cenas de emoções tão sinceras com tão doce sutileza quanto é fácil como ele encena algumas das cenas visuais de violência que você jamais experimentará", e concluiu: "Veja Hacksaw Ridge... É lindo e brutal, e isso é uma potente combinação para um filme sobre um homem determinado a servir seu país, assim como sua alma".[88] O crítico do IGN Alex Welch, deu ao filme uma pontuação de 8/10, elogiando-o como "um dos filmes de guerra mais bem sucedidos da memória recente" e "às vezes horripilante, inspirador e angustiante".[89] Mike Ryan da Uproxx deu ao filme uma crítica positiva, elogiando a direção de Gibson e dizendo: "Há dois momentos durante a segunda metade de Hacksaw Ridge, de Mel Gibson, que eu literalmente pulei da cadeira de medo. A representação da guerra no filme é a melhor que já vi desde O Resgate do Soldado Ryan".[90] Peter Travers, da Rolling Stone, deu ao filme 3,5 estrelas, escrevendo: "Graças a algumas das maiores cenas de batalha já filmadas, Gibson mostra mais uma vez seus talentos como cineasta, capaz de justapor a selvageria com ternura dolorida".[91]

Premiações[editar | editar código-fonte]

Hacksaw Ridge ganhou o Óscar de melhor edição e melhor mixagem de som, sendo indicado ainda para melhor filme (a qual perdeu para Moonlight), melhor direção, melhor ator (pela atuação de Andrew Garfield) e melhor edição de som na mesma cerimônia.[92] O filme ganhou na categoria de melhor edição e foi indicado para melhor ator em um papel de liderança (Garfield), melhor roteiro adaptado, melhor som e melhor maquiagem e cabelo no British Academy Film Awards.[93] O filme também ganhou as categorias de melhor filme de ação e melhor ator em um filme de ação (Garfield) e foi indicado para melhor filme, melhor diretor, melhor ator (também por Garfield), melhor edição e melhor cabelo e maquiagem nos Critics' Choice Movie.[94] O filme recebeu três indicações ao Globo de Ouro, incluindo melhor filme dramático, melhor ator em filme dramático (por Garfield) e melhor direção.[8] O filme ganhou o prêmio de melhor ator (por Garfield), melhor edição de cinema e melhor som, sendo indicado também para melhor filme, melhor diretor, melhor roteiro adaptado, melhor fotografia, melhor trilha sonora e melhor direção de arte e design de produção durante a cerimômina do Satellite Awards.[95]

Lista de prêmios e indicações
Premiação Categoria Indicação Resultado R.
AACTA Awards Melhor filme Hacksaw Ridge Venceu
Melhor diretor Mel Gibson Venceu [96][97]
Melhor roteiro original Andrew Knight
Robert Schenkkan
Venceu
Melhor ator Andrew Garfield Venceu
Melhor atriz Teresa Palmer Indicado
Melhor ator coadjuvante Hugo Weaving Venceu
Melhor atriz coadjuvante Rachel Griffiths Indicado
Melhor cinematografia Simon Duggan Venceu
Melhor edição John Gilbert Venceu
Melhor trilha sonora Elenco musical Venceu
Melhor direção de arte Barry Robinson Venceu
Melhor figurino Lizzy Gardiner Indicado
Melhor maquiagem Shane Thomas
Larry Van Duynhoven
Indicado
Camerimage Melhor cinematografia Simon Duggan Indicado [98]
Critics' Choice Awards Melhor filme Hacksaw Ridge Indicado [99]
Melhor diretor Mel Gibson Indicado
Melhor ator Andrew Garfield Indicado
Melhor edição John Gilbert Indicado
Melhor caracterização Hacksaw Ridge Indicado
Melhor filme de ação Hacksaw Ridge Venceu
Melhor ator em filme de ação Andrew Garfield Venceu
Globo de Ouro Melhor filme de drama Hacksaw Ridge Indicado [8]
Melhor ator em filme dramático Andrew Garfield Indicado
Melhor diretor Mel Gibson Indicado
Hollywood Film Awards Melhor diretor Mel Gibson Venceu [100]
Melhor edição John Gilbert Venceu
Melhor caracterização Thomas e Conte Venceu
Hollywood Music in Media Awards Melhor trilha sonora Rupert Gregson-Williams Indicado [101][102]
National Board of Review Top 10 Hacksaw Ridge Venceu [103]
Oscar 2017 Melhor filme Hacksaw Ridge Indicado
Melhor diretor Mel Gibson Indicado
Melhor ator Andrew Garfield Indicado
Melhor edição de som Robert Mackenzie

Andy Wright

Indicado [104]
Melhor mixagem de som Kevin O'Connell

Andy Wright

Robert Mackenzie

Peter Grace

Venceu
Melhor edição John Gilbert (editor) Venceu
Satellite Awards Melhor filme Hacksaw Ridge Indicado [105]
Melhor diretor Mel Gibson Indicado
Melhor ator Andrew Garfield Venceu
Melhor roteiro adaptado Andrew Knight
Robert Schenkkan
Indicado
Melhor cinematografia Simon Duggan Indicado
Melhor trilha sonora Rupert Gregson-Williams Indicado
Melhor direção de arte Barry Robinson Indicado
Melhor edição John Gilbert Venceu
Melhor som Hacksaw Ridge Venceu
Washington D.C. Area Film Critics Association Melhor ator Andrew Garfield Indicado [106]

Referências

  1. a b «Até o Último Homem». Brasil: AdoroCinema. Consultado em 17 de março de 2019 
  2. a b c Brooks Barnes (26 de outubro de 2016). «'Hacksaw Ridge,' a Gory War Movie for Both Hawks and Doves». The New York Times. Consultado em 27 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2016 
  3. «'Doctor Strange' To Give Booster Shot To Sleepy Fall Box Office». Deadline Hollywood. Cópia arquivada em 2 de novembro de 2016 
  4. a b c «Hacksaw Ridge (2016)». Box Office Mojo. Consultado em 10 de março de 2017. Cópia arquivada em 9 de abril de 2017 
  5. Hipes, Patrick (8 de dezembro de 2016). «AFI Awards: Best Of 2016 List Includes 'Silence', 'Hacksaw Ridge' & More». Deadline Hollywood. Consultado em 8 de dezembro de 2016. Cópia arquivada em 22 de dezembro de 2016 
  6. «'Hacksaw Ridge' wins 2 Oscar awards, honoring local Desmond Doss». 28 de fevereiro de 2017. Consultado em 28 de fevereiro de 2017. Arquivado do original em 1 de março de 2017 
  7. «THE 89TH ACADEMY AWARDS». Academy of Motion Picture Arts and Sciences. 26 de fevereiro de 2017. Consultado em 14 de junho de 2017. Cópia arquivada em 3 de março de 2017 
  8. a b c «Golden Globes 2017: The Complete List of Nominations». The Hollywood Reporter. 12 de dezembro de 2016. Consultado em 12 de dezembro de 2016 
  9. a b c Michael Peabody (3 de fevereiro de 2016). «Gibson's "Hacksaw Ridge" Enters Post-Production: Release Target in Time for Oscar?». Religious Liberty. Consultado em 11 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 19 de setembro de 2016 
  10. a b Don Steinberg (8 de setembro de 2016). «'Hacksaw Ridge': An American War Hero Who Refused to Fight». The Wall Street Journal. Consultado em 18 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 18 de setembro de 2016 
  11. a b c Jaafar, Ali (20 de novembro de 2014). «Mel Gibson In Talks To Direct 'Hacksaw Ridge' With Andrew Garfield Starring In War Hero Pic». Deadline Hollywood. Consultado em 23 de novembro de 2014. Cópia arquivada em 23 de novembro de 2014 
  12. «Hacksaw Ridge: Mel Gibson's New Biopic War Film, Starring Andrew Garfield - Emanuel Levy». Emanuel Levy. Consultado em 14 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 31 de outubro de 2016 
  13. McNary, Dave (4 de novembro de 2015). «AFM: How Mel Gibson's 'Hacksaw Ridge' Finally Came Together». Variety. Consultado em 14 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 16 de fevereiro de 2017 
  14. a b c d e f g Don Steinberg (26 de outubro de 2016). «How War-Movie Veteran Mel Gibson Approached Directing 'Hacksaw Ridge'». The Wall Street Journal. Consultado em 27 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 27 de outubro de 2016 
  15. «Hacksaw Ridge: Mel Gibson's Comeback». 27 de outubro de 2016. Consultado em 7 de novembro de 2016. Arquivado do original em 7 de novembro de 2016 
  16. Bizzaca, Caris (5 de setembro de 2016). «Hacksaw Ridge: between indie and franchise». Screen Australia. Consultado em 20 de abril de 2018 
  17. Hopewell, John (9 de fevereiro de 2015). «Berlin: IM Global Sells Much of the World on 'Hacksaw Ridge'». Variety. Consultado em 10 de fevereiro de 2015. Cópia arquivada em 10 de fevereiro de 2015 
  18. McClintock, Pamela (9 de fevereiro de 2015). «Berlin: Lionsgate in Final Talks for Mel Gibson's 'Hacksaw Ridge' (Exclusive)». The Hollywood Reporter. Consultado em 10 de fevereiro de 2015. Cópia arquivada em 11 de fevereiro de 2015 
  19. «China's Bliss Media Takes Stake in Wild Bunch's Insiders». The Hollywood Reporter. Consultado em 18 de março de 2016. Cópia arquivada em 20 de março de 2016 
  20. Pip Bulbeck (30 de julho de 2015). «Mel Gibson Ready to Honor Desmond T. Doss with 'Hacksaw Ridge'». The Hollywood Reporter. Consultado em 11 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 7 de maio de 2016 
  21. a b c Pip Bulbeck (29 de setembro de 2015). «Mel Gibson's 'Hacksaw Ridge' Begins Filming». The Hollywood Reporter. Consultado em 11 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 13 de abril de 2016 
  22. a b Mike Fleming Jr (6 de setembro de 2016). «Mel Gibson On His Venice Festival Comeback Picture 'Hacksaw Ridge' – Q&A». Deadline Hollywood. Consultado em 11 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 10 de setembro de 2016 
  23. Mcnary, Dave (4 de novembro de 2015). «AFM: How Mel Gibson's 'Hacksaw Ridge' Finally Came Together». Variety. Consultado em 20 de abril de 2018 
  24. Bond, Paul (9 de junho de 2016). «Mel Gibson Planning 'Passion of the Christ' Sequel (Exclusive)». The Hollywood Reporter. Consultado em 31 de janeiro de 2018 
  25. a b Bulbeck, Pip (30 de julho de 2015). «Mel Gibson Ready to Honor Desmond T. Doss with 'Hacksaw Ridge'». The Hollywood Reporter. Consultado em 1 de agosto de 2015. Cópia arquivada em 2 de agosto de 2015 
  26. Fleming Jr, Mike (29 de julho de 2015). «Vince Vaughn To Star In Mel Gibson-Directed 'Hacksaw Ridge'». Deadline Hollywood. Consultado em 1 de agosto de 2015. Cópia arquivada em 31 de julho de 2015 
  27. Fleming, Mike, Jr. (25 de agosto de 2015). «Luke Bracey Lands Lead in Mel Gibson's 'Hacksaw Ridge'». Deadline Hollywood. Consultado em 26 de agosto de 2015. Cópia arquivada em 26 de agosto de 2015 
  28. McNary, Dave (29 de setembro de 2015). «First Look: Andrew Garfield and Vince Vaughn in Mel Gibson's 'Hacksaw Ridge'». variety.com. Consultado em 9 de novembro de 2015. Cópia arquivada em 29 de outubro de 2015 
  29. McNary, Dave (19 de outubro de 2015). «Hugo Weaving Joins Mel Gibson's 'Hacksaw Ridge'». variety.com. Consultado em 9 de novembro de 2015. Cópia arquivada em 1 de novembro de 2015 
  30. Anthony Lane (31 de outubro de 2016). «THE MADNESS AND MAJESTY OF "HACKSAW RIDGE"». The New Yorker. Consultado em 31 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 31 de outubro de 2016 
  31. Ariston Anderson (9 de setembro de 2016). «Venice: Mel Gibson, Andrew Garfield Discuss the "Strong Faith" Behind 'Hacksaw Ridge' Play Video». The Hollywood Reporter. Consultado em 11 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 10 de setembro de 2016 
  32. «Mel Gibson makes a comeback in war drama 'Hacksaw Ridge'». Gulf News. Consultado em 27 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 28 de outubro de 2016 
  33. «Mel Gibson on Andrew Garfield in 'Hacksaw Ridge': He Was a 'Real Superhero'». Variety. 25 de outubro de 2016. Consultado em 28 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 28 de outubro de 2016 
  34. Monique Friedlander (18 de outubro de 2016). «'I really wanted this role': Teresa Palmer auditioned for Hacksaw Ridge via IPHONE... and waited three months to hear back from director Mel Gibson». Daily Mail. Consultado em 18 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 19 de outubro de 2016 
  35. Ethan Sacks (30 de outubro de 2016). «Mel Gibson's war movie 'Hacksaw Ridge' may be his miracle». New York Daily News. Consultado em 31 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 31 de outubro de 2016 
  36. Garry Maddox (28 de julho de 2015). «Short Cuts: Mel Gibson's Hacksaw Ridge has landed, emotional opening for Melbourne festival and more from Australian film». The Sydney Morning Herald. Consultado em 11 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 11 de outubro de 2016 
  37. Bianca La Cioppa (1 de dezembro de 2015). «EXCLUSIVE: Mel Gibson's Hacksaw Ridge takes semi-rural town back to 1940s as filming begins despite local shopkeepers' urgent meeting to protest AGAINST movie». Daily Mail. Consultado em 11 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 1 de janeiro de 2017 
  38. Luisa Cogno (3 de agosto de 2016). «Mel Gibson's war movie Hacksaw Ridge filmed in Bringelly to open in cinemas in November». The Daily Telegraph. Consultado em 11 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 5 de agosto de 2016 
  39. Amy Harris (27 de agosto de 2016). «Sydney is the movie capital of Australia». The Daily Telegraph. Consultado em 11 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 2 de setembro de 2016 
  40. Jason Chester (23 de setembro de 2016). «Mel Gibson begins work on World War II drama Hacksaw Ridge as uniform-clad actors film assault course scene in Sydney». Daily Mail. Consultado em 11 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 27 de março de 2016 
  41. Megan Pustetto (24 de novembro de 2015). «He means business: Mel Gibson shoots WWII drama Hacksaw Ridge in eerie Sydney graveyard... and is seen for the first time with Vince Vaughn and Andrew Garfield». Daily Mail. Consultado em 11 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 1 de janeiro de 2017 
  42. Vera Bertol (30 de outubro de 2015). «Movie set earmarked for residential development when filming done». The Daily Telegraph. Consultado em 11 de setembro de 2016 
  43. Alexandra Spring (30 de julho de 2015). «Mel Gibson war drama Hacksaw Ridge to begin filming in NSW in September». The Guardian. Consultado em 11 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 6 de setembro de 2016 
  44. Matt Grobar (15 de dezembro de 2016). «'Hacksaw Ridge' Sound Mixer Kevin O'Connell On Producing A PTSD-Triggering Soundscape». Deadline Hollywood. Consultado em 10 de novembro de 2017 
  45. Samuel Smith (1 de outubro de 2016). «Mel Gibson: 'Hacksaw Ridge' Is an 'Anti-War Movie'». The Christian Post. Consultado em 10 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 11 de dezembro de 2016 
  46. a b c «The True Story of Hacksaw Ridge and Desmond Doss: the Medal of Honor Winner Who Never Fired a Shot». People. 5 de novembro de 2016. Consultado em 14 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 18 de janeiro de 2017 
  47. «Hacksaw Ridge vs the True Story of Desmond Doss, Medal of Honor». historyvshollywood.com. Consultado em 14 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 28 de janeiro de 2017 
  48. Fred Topel (3 de novembro de 2016). «Hacksaw Ridge Interview: Luke Bracey on Smitty». Nerd Report. Consultado em 5 de dezembro de 2017 
  49. a b Richard Goldstein (25 de março de 2006). «Desmond T. Doss, 87, Heroic War Objector, Dies». New York Times. Consultado em 16 de junho de 2013. Cópia arquivada em 19 de junho de 2016 
  50. Mike Fleming Jr (15 de fevereiro de 2017). «Mel Gibson, Andrew Garfield And Bill Mechanic On The 15-Year Ordeal To Scale 'Hacksaw Ridge'». Deadline Hollywood. Consultado em 5 de dezembro de 2017 
  51. James Bowman (25 de novembro de 2016). «What Makes Mel Gibson's 'Hacksaw Ridge' an Excellent War Movie». The American Spectator. Consultado em 5 de dezembro de 2017 
  52. «The Medal of Honor». desmonddoss.com (em inglês). Consultado em 5 de dezembro de 2017 
  53. Bernhard H. Heidkamp (4 de novembro de 2016). «Soundtrack Review: Rupert Gregson-Williams – Hacksaw Ridge (2016)». BehindTheAudio.com. Consultado em 10 de novembro de 2017 
  54. Jonathan Broxton (1 de novembro de 2016). «HACKSAW RIDGE – Rupert Gregson-Williams». Movie Music UK. Consultado em 10 de novembro de 2017 
  55. «Five Questions w/Rupert Gregson Williams (HACKSAW RIDGE)». Varèse Sarabande. Consultado em 10 de novembro de 2017 
  56. Melinda Newman (26 de outubro de 2016). «'Hacksaw Ridge' Composer Rupert Gregson-Williams on Working With Mel Gibson; Hear Score». Billboard. Consultado em 27 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 27 de outubro de 2016 
  57. Tartaglione, Nancy (28 de julho de 2016). «Venice Film Festival: Lido To Launch Pics From Ford, Gibson, Malick & More As Awards Season Starts To Buzz – Full List». Deadline Hollywood. Consultado em 6 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 4 de setembro de 2016 
  58. Nancy Tartaglione (5 de setembro de 2016). «Mel Gibson's 'Hacksaw Ridge' Rivets With 10-Minute Ovation At World Premiere – Venice». Deadline Hollywood. Consultado em 11 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 9 de setembro de 2016 
  59. Cogono, Luisa; Chronicle Camden, Macarthur (3 de agosto de 2016). «Mel Gibson's war movie Hacksaw Ridge filmed in Bringelly to open in cinemas in November». Daily Telegraph. Consultado em 6 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 5 de agosto de 2016 
  60. D'Alessandro, Anthony (5 de maio de 2016). «Mel Gibson WWII Movie 'Hacksaw Ridge' Jumps Into November Awards Season; 'The Shack' To Open In March 2017». Deadline Hollywood (em inglês). Consultado em 6 de maio de 2016. Cópia arquivada em 5 de maio de 2016 
  61. Patrick Brzeski (16 de maio de 2016). «China's Bliss Media Launches $150 Million Film and TV Fund». The Hollywood Reporter. Consultado em 11 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 12 de outubro de 2016 
  62. Patrick Frater (16 de maio de 2016). «China's Bliss Media Launches $150 Million Fund». Variety. Consultado em 11 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 21 de setembro de 2016 
  63. Phil De Semlyen (22 de setembro de 2016). «Exclusive: Mel Gibson talks Hacksaw Ridge». Empire. Consultado em 24 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 23 de setembro de 2016 
  64. «Hacksaw Ridge (2016) Official Trailer – "Believe" - Andrew Garfield». Lionsgate. 28 de julho de 2016. Consultado em 20 de abril de 2018 
  65. Hunter, M. Todd (1 de novembro de 2016). «Hacksaw Ridge partners with DAV». DAV. Consultado em 20 de abril de 2018 
  66. «Hero of Hacksaw Ridge Book Giveaway». Amazing Facts. Consultado em 20 de abril de 2018 
  67. «Hacksaw Ridge Promotion». Amazing Facts. 12 de novembro de 2016. Consultado em 20 de abril de 2018 
  68. «Hacksaw Ridge». SermonView. Consultado em 20 de abril de 2018 
  69. Bradshaw, John (16 de setembro de 2016). «Why 'Hacksaw Ridge' Matters to Adventists». Adventist Review. Consultado em 20 de abril de 2018 
  70. Voloshyn, Dmytro (24 de fevereiro de 2017). «HEROES & GENERALS HAS CROSS-PROMOTION WITH HACKSAW RIDGE». KeenGamer. Consultado em 20 de abril de 2018 
  71. Ryan Faughnder (1 de novembro de 2016). «'Doctor Strange' is expected to draw a massive audience for Disney's Marvel Studios». Los Angeles Times. Consultado em 2 de novembro de 2016. Cópia arquivada em 2 de novembro de 2016 
  72. Anthony D'Alessandro (1 de novembro de 2016). «'Doctor Strange' To Give Booster Shot To Sleepy Fall Box Office». Deadline Hollywood. Consultado em 2 de novembro de 2016. Cópia arquivada em 2 de novembro de 2016 
  73. a b D'Alessandro, Anthony (5 de novembro de 2016). «'Doctor Strange' Resuscitates Fall Box Office With $81M To $83M+ Opening – Saturday AM Update». Deadline Hollywood. Consultado em 5 de novembro de 2016. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2016 
  74. D'Alessandro, Anthony (13 de novembro de 2016). «Veterans Day Weekend Skyrockets At The B.O.: 'Doctor Strange' Pushes Disney To Record $2.3B; 'Arrival' Soars To $24M – Sunday AM Update». Deadline Hollywood. Consultado em 24 de abril de 2018 
  75. «'Doctor Strange' to Repeat at #1 as 'Arrival', 'Almost Christmas' & 'Shut In' Hit Theaters». Box Office Mojo. Cópia arquivada em 13 de novembro de 2016 
  76. «Hacksaw Ridge foreign gross». Box Office Mojo. 2016. Consultado em 8 de abril de 2018 
  77. «Hacksaw Ridge (2016)». Rotten Tomatoes. Fandango. Consultado em 23 de abril de 2018. Cópia arquivada em 2 de fevereiro de 2017 
  78. «Hacksaw Ridge Reviews». Metacritic. CBS Interactive. Consultado em 13 de novembro de 2016. Cópia arquivada em 14 de novembro de 2016 
  79. CinemaScore on Twitter (4 de novembro de 2016). «Hacksaw Ridge». Consultado em 12 de abril de 2017. Cópia arquivada em 22 de abril de 2017 
  80. Ed Symkus (2 de novembro de 2016). «MOVIE REVIEW: 'Hacksaw Ridge' is a masterpiece». Milford Daily News. Consultado em 27 de dezembro de 2016. Cópia arquivada em 27 de dezembro de 2016 
  81. Maggie Stancu (18 de novembro de 2016). «Why 'Hacksaw Ridge' Is One Of The Must-See Movies Of The Year». Movie Pilot. Consultado em 27 de dezembro de 2016. Arquivado do original em 27 de dezembro de 2016 
  82. Mick LaSalle (3 de novembro de 2016). «Amid much gore, Mel Gibson achieves an antiwar triumph». SFGate. Consultado em 27 de dezembro de 2016. Cópia arquivada em 27 de dezembro de 2016 
  83. Samar Khan. «Mel Gibson makes his triumphant return with the fantastic Hacksaw Ridge». The Film Lawyers. Consultado em 27 de dezembro de 2016. Cópia arquivada em 27 de dezembro de 2016 
  84. Robbie Collin (4 de novembro de 2016). «Hacksaw Ridge review: Mel Gibson goes to war with a bruising, fantastically moving comeback». The Telegraph. Consultado em 25 de dezembro de 2016. Cópia arquivada em 25 de dezembro de 2016 
  85. Andrew Pulver (4 de setembro de 2016). «Hacksaw Ridge review – Mel Gibson finds a conscience in gruesome war story». The Guardian. Consultado em 25 de dezembro de 2016. Cópia arquivada em 25 de dezembro de 2016 
  86. David Stratton (5 de novembro de 2016). «Film reviews: Mel Gibson's Hacksaw Ridge; The Light Between Oceans». The Australian. Consultado em 25 de dezembro de 2016. Cópia arquivada em 7 de novembro de 2016 
  87. Rex Reed (2 de novembro de 2016). «Mel Gibson's 'Hacksaw Ridge' Is the Best War Film Since 'Saving Private Ryan'». Observer. Consultado em 25 de dezembro de 2016. Cópia arquivada em 25 de dezembro de 2016 
  88. Michael Smith (2 de novembro de 2016). «Movie review: 'Hacksaw Ridge' is moving character study and brutal». Tulsa World. Consultado em 25 de dezembro de 2016 
  89. Welch, Alex (2 de novembro de 2016). «Hacksaw Ridge Review: A brutal and effective filmmaking return for Mel Gibson». IGN. Consultado em 7 de novembro de 2016. Cópia arquivada em 7 de novembro de 2016 
  90. Ryan, Mike (1 de novembro de 2016). «Mel Gibson's 'Hacksaw Ridge' Is The Most Intense Depiction Of War Since 'Saving Private Ryan'». Uproxx. Consultado em 7 de novembro de 2016. Cópia arquivada em 7 de novembro de 2016 
  91. Travers, Peter (2 de novembro de 2016). «'Hacksaw Ridge' Review: Mel Gibson Returns With a War Movie About Peace». Rolling Stone. Consultado em 7 de novembro de 2016. Cópia arquivada em 7 de novembro de 2016 
  92. Nordyke, Kimberly (24 de janeiro de 2017). «Oscars: 'La La Land' Ties Record With 14 Nominations». The Hollywood Reporter. Consultado em 24 de janeiro de 2017 [ligação inativa] Predefinição:Cbignore
  93. Ritman, Alex (9 de janeiro de 2017). «BAFTA Awards: 'La La Land' Leads Nominations». The Hollywood Reporter. Consultado em 10 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 10 de janeiro de 2017 
  94. «La La Land Leads with 12 Nominations for the 22nd Annual Critics' Choice Awards». Critics' Choice. 1 de dezembro de 2016. Consultado em 1 de dezembro de 2016. Cópia arquivada em 30 de novembro de 2016 
  95. Kilday, Gregg (29 de novembro de 2016). «Satellite Awards Nominees Revealed». The Hollywood Reporter. Consultado em 29 de novembro de 2016. Cópia arquivada em 25 de dezembro de 2016 
  96. «6th AACTA Awards Winners and Nominees presented by Foxtel». AACTA Awards. Consultado em 27 de outubro de 2016 
  97. Maddox, Garry (27 de outubro de 2016). «Teresa Palmer celebrates as Hacksaw Ridge lead AACTA 2016 nominations». The Sydney Morning Herald. Consultado em 27 de outubro de 2016 
  98. «Camerimage 2016 Main Competition Line-up!». Camerimage. 24 de outubro de 2016. Consultado em 11 de novembro de 2016. Arquivado do original em 29 de outubro de 2016 
  99. «La La Land Leads with 12 Nominations for the 22nd Annual Critics' Choice Awards». Critics' Choice. 1 de dezembro de 2016. Consultado em 1 de dezembro de 2016 
  100. «Mel Gibson to be Honored with Hollywood Director Award». Hollywood Film Awards. 24 de outubro de 2016. Consultado em 2 de novembro de 2016 
  101. «Justin Timberlake & Alexandre Desplat Among Winners At Hollywood Music In Media Awards». Deadline. 18 de novembro de 2016. Consultado em 18 de novembro de 2016 
  102. McNary, Dave (2 de novembro de 2016). «'La La Land' Scores Three Hollywood Music in Media Nominations». Variety. Consultado em 3 de novembro de 2016 
  103. «National Board of Review Announces 2016 Award Winners». National Board of Review. 29 de novembro de 2016. Consultado em 29 de novembro de 2016 
  104. «Oscar 2017». Oscars.org (em inglês). 1 de março de 2017 
  105. Kilday, Gregg (29 de novembro de 2016). «Satellite Awards Nominees Revealed». The Hollywood Reporter. Consultado em 29 de novembro de 2016 
  106. «The 2016 WAFCA Awards Nominations». 3 de dezembro de 2016. Consultado em 4 de dezembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]