Haim Revivo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Revivo
Revivo
Informações pessoais
Nome completo Haim Michael Revivo
Data de nasc. 22 de Fevereiro de 1972 (42 anos)
Local de nasc. Ashdod,  Israel
Altura 1,71 m
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição Meia-atacante
Clubes de juventude
1984-1988
1988-1990
Hapoel Ashdod
Gadna Yehuda
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
1990–1993
1993-1994
1994-1996
1996-2000
2000-2002
2002-2003
2003-2004
Bnei Yehuda
Hapoel Tel Aviv
Maccabi Haifa
Celta de Vigo
Fenerbahçe
Galatasaray
Ashdod
76 (20)
36 (12)
57 (45)
99 (25)
68 (30)
12 0(5)
10 0(3)
Seleção nacional
1990
1992-1993
1992-2004
Flag of Israel.svg Israel Sub-18
Flag of Israel.svg Israel Sub-21
Flag of Israel.svg Israel
01 0(0)
09 0(5)
67 (15)

Haim Michael Revivo - em hebraico, חיים מיכאל רביבו (Ashdod, 22 de fevereiro de 1972) é um ex-futebolista israelense[1] . É considerado um dos melhores jogadores da história do estado judeu[2] .

Carreira[editar | editar código-fonte]

Famoso por seus precisos chutes de tiro livre e por comemorar de forma extravagante, Revivo começou sua carreira profissional em 1990, quando tinha apenas 18 anos, ao ser contratado pelo Bnei Yehuda. Jogou também pelos dois grandes times de Israel, o Hapoel Tel Aviv e o Maccabi Haifa[3] , onde jogou 57 partidas e marcou 45 gols. Estes números levaram o jovem meia-atacante a ser desejado por clubes da Europa, mas foi o Celta de Vigo, então um clube de pequena expressão da Espanha, quem levou Revivo.

Sendo um dos grandes destaques daquele que viria a ser o melhor time que o Celta já produziu (sendo apelidado de "EuroCelta" após enfrentar clubes de mais peso no futebol europeu), que tinha, além de Revivo, os russos Karpin e Mostovoy, os argentinos Cáceres e Gustavo López, o brasileiro Mazinho, o francês Claude Makélélé, o espanhol Míchel Salgado, o búlgaro Lyuboslav Penev, o bósnio Vladimir Gudelj e o equatoriano Iván Kaviedes, o israelense chegou a ser alvo do Barcelona, mas ele resolveu permanecer na equipe alviceleste.

Em quatro temporadas com a camisa do Celta, Revivo disputou 99 partidas e marcou 25 gols.

Nos rivais de Istambul[editar | editar código-fonte]

Após deixar o Celta, Revivo acertou com o Fenerbahçe, onde também logrou relativo sucesso, marcando 30 gols em 68 jogos. Em 2002, deixou o Fener para assinar com o maior rival, o Galatasaray, onde sua fama de goleador começou a cair: foram apenas cinco gols com a camisa amarela e vermelha.

Volta a Israel e fim de carreira[editar | editar código-fonte]

Depois do fraco desempenho com a camisa do Galatasaray, Revivo retornou a Israel, desta vez para jogar no Ashdod, onde parou de atuar como jogador no ano de 2004, aos 32 anos. Para variar, ele não saiu em branco: em 10 jogos, três gols.

Depois de sua aposentadoria, Revivo, que hoje é dono do Ashdod, marcou seu nome na história do futebol israelense, disputando, em 14 anos de carreira profissional, 358 partidas e marcou 140 gols.

Carreira internacional[editar | editar código-fonte]

Revivo estreou pela Seleção Israelense em 1992, quando tinha apenas vinte anos de idade, participando das Eliminatórias para as Copas de 1994, 1998 e 2002, mas Israel nunca teve sucesso nas três tentativas.

Uma das maiores partidas de Revivo com a camisa branca e azul foi um amistoso contra a Argentina, antes do Mundial de 1998. Desde 1985 que os Hermanos atuavam em solo israelense na preparação para as Copas do Mundo. O estado judeu venceu a Argentina por 2 a 1 (um dos gols foi de Revivo, em um tiro livre certeiro, sua marca registrada).

Referências

  1. Perfil de Revivo
  2. "ספורט ביום כיפור? היה דבר כזה", Yedioth Ahronoth, 8 de outubro de 2008. Página visitada em 10 de outubro de 2008. (em Hebraico)
  3. Haberman, Yitzhak. חיים רביבו (Perfil de Revivo no site do Maccabi Haifa) (em hebraico). Maccabi Haifa. Página visitada em 10 de outubro de 2008.
Bandeira de IsraelSoccer icon Este artigo sobre futebolistas israelitas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.