Hamza bin Laden

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Hamza bin Laden
Nascimento 1989
Jidá, Arábia Saudita
Morte 2019 (30 anos)
Pashtunistão
Cidadania Arábia Saudita, apátrida
Progenitores Pai:Osama bin Laden
Ocupação terrorista
Serviço militar
Lealdade Al-Qaeda
Tempo de serviço Década de 2010
Batalhas/Guerras Guerra ao Terror

Hamza bin Osama bin Mohammed bin Awad bin Laden (em árabe: حمزة بن أسامة بن محمد بن عوض بن لادن), mais conhecido como Hamza bin Laden ou simplesmente Hamza Laden, foi um dos filhos de Osama bin Laden. Seu irmão Khalid foi morto no ataque de 2011 que também matou seu pai.[1]

Foi um dos sobreviventes da operação que vitimou de seu pai, Osama Bin Laden[2][3] e foi acusado de participar de um atentado contra Benazir Bhutto.[4]

Hamza era filho de Khairiah Sabar da Arábia Saudita, uma das três esposas de Bin Laden que viviam na Abbottabad.[5]

Em um vídeo divulgado no ano de 2016, Hamza prometeu vingar a morte do pai Osama Bin Landen.[6] As ameaças foram reiteradas em áudios que vieram à tona em 2017.[7]

Foi declarado morto em julho de 2019.[8]

Referências

  1. Harris, Paul. «Obama's Bin Laden coup risks becoming PR defeat». London: The Guardian. Consultado em 5 de março de 2011 
  2. «Osama bin Laden's son hiding in Pakistan?». Zee News 
  3. «Osama's son may be hiding in Pakistan». The News International, Pakistan. 7 de maio de 2012 
  4. «Hamza bin Laden wants to keep his father's family business of terror going - The Daily Hatch». The Daily Hatch 
  5. Chuck Bennett (11 de maio de 2011). «Osama's youngest son escaped capture». New York Post 
  6. «Filho de Osama bin Laden promete vingança contra EUA pela morte do pai». Veja. 11 de julho de 2016. Consultado em 1 de agosto de 2019 
  7. «Filho de Osama bin Laden promete vingar morte do pai». Expresso. 15 de maio de 2017. Consultado em 1 de agosto de 2019 
  8. «Hamza bin Laden, filho de Osama, está morto, diz imprensa dos EUA». G1. 31 de julho de 2019. Consultado em 31 de julho de 2019 

Ver também[editar | editar código-fonte]