Hans Goldschmidt

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hans Goldschmidt
Química
Nacionalidade Alemanha Alemão
Nascimento 18 de janeiro de 1861
Local Berlim
Morte 21 de maio de 1923 (62 anos)
Local Baden-Baden
Atividade
Campo(s) Química
Alma mater Universidade de Berlim
Orientador(es) Robert Bunsen
Prêmio(s) Medalha Elliott Cresson (1904)[1]

Hand Goldschmidt (Berlim, 18 de janeiro de 1861Baden-Baden, 21 de maio de 1923), de seu nome completo Johannes (Hans) Wilhelm Goldschmidt, foi um químico e metalurgista, inventor da termite.[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Hand Goldschmidt nasceu em Berlim, filho de Theodor Goldschmidt, fundador e director da empresa de química industrial Chemische Fabrik Th. Goldschmidt (que daria origem ao actual conglomerado Degussa). Como o seu irmão mais velho Karl Goldschmidt, estudou química na Universidade de Berlim, tendo como mestre Robert Bunsen.

Em 1888 assumiu, com o seu irmão, a direcção da empresa paterna, a Chemische Fabrik Th. Goldschmidt.,[3] e iniciou uma carreira em metalurgia que o levaria, e à sua firma, ao desenvolvimento de diversas ligas e tecnologias de preparação de metais. Entre as suas invenções ganharam notoriedade a co-descoberta da amálgama de sódio e o desenvolvimento da metodologia de produção e uso da termite.

A reacção da termite é uma reacção aluminotérmica produzida quando o alumínio na forma metálica é oxidado pelo óxido de outro metal, em geral um óxido de ferro. A reacção, extremamente exotérmica, é usada para soldadura de metais de elevado ponto de fusão e para a construção e engenhos incendiários e de munições destinadas a penetrar armadura, em particular para destruir super-estruturas navais em alumínio e aviões. A reacção aluminotérmica é por vezes denominada Reacção de Goldschmidt ou Processo de Goldschmidt por ter sido por ele inventado em 1893, patenteado em 1895 e descrito cientificamente num artigo publicado em 1898.[4] A técnica da termite mantém-se ainda como a forma padrão de soldadura de elevada resistência, sendo usada extensamente na construção de ferrovias.

Sepultado nos Friedhöfe vor dem Halleschen Tor em Berlim.

Referências

  1. «Laureates» (em inglês). The Franklin Institute. Cópia arquivada desde o original (pdf) em 1 de julho de 2015. Consultado em 1 de julho de 2015 
  2. Walter Däbritz, Barbara Gerstein: Goldschmidt, Hans. In: Neue Deutsche Biographie (NDB). Volume 6. Duncker & Humblot, Berlin 1964, p. 609.
  3. «Obituary: Hans Goldschmidt»: A77 – A79. 1923. doi:10.1002/cber.19230560867 
  4. Goldschmidt, Hans (1898). : 19–28. doi:10.1002/jlac.18983010103  Texto " Ueber ein neues Verfahren zur Darstellung von Metallen und Legirungen mittelst Aluminiums " ignorado (ajuda); Em falta ou vazio |title= (ajuda)

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Walter Däbritz, Barbara Gerstein: Goldschmidt, Hans. In: Neue Deutsche Biographie (NDB). Vol. 6. Duncker & Humblot, Berlin 1964, p. 609.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]