Haroldo IV da Noruega

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Haroldo IV
Haroldo Gille imaginado pelo artista Wilhelm Wetlesen na edição de 1899 da Heimskringla.
Rei da Noruega
Reinado 1130 a 14 de dezembro de 1136
Predecessores Sigurdo I
Eystein I
Olavo Magnusson
Sucessores Sigurdo II
Ingo I
 
Esposa Ingrid Ragnvaldsdotter
Descendência Ingo I da Noruega
Sigurdo II da Noruega
Eystein II da Noruega
Magno Haraldsson da Noruega
Brígida Haraldsdotter
Casa Gille
Nome completo
Haraldr gillikristr
Nascimento cerca de 1102
  Irlanda ou Hébridas
Morte 14 de dezembro de 1136 (34 anos)
  Bergen
Religião cristão
Pai Magno III Berføtt

Haroldo Gille (em nórdico antigo: Haraldr gilli ou Haraldr gillikristr) (c. 1103 - 14 de dezembro de 1136) foi Rei da Noruega de 1130 até sua morte em 1136. Seu nome Gille vem provavelmente de Gilla Críst, ou seja, "servo de Cristo". Foi o fundador da Casa de Gille que governou a Noruega na Idade Média.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Haroldo nasceu em ca. de 1102 na Irlanda ou Hébridas. De acordo com as sagas, tornou-se familiarizado com a Noruega através de um conhecido com os comerciantes noruegueses incluindo Rögnvald Kali Kolsson, que viria a tornar-se Conde de Orkney. Por volta de 1127, Haroldo foi para a Noruega e declarou que ele era um filho ilegítimo do ex-rei Magno III Berføtt, que tinha visitado a Irlanda pouco antes de sua morte, em 1103. Na verdade, esta não é uma história implausível porque outros descendentes de Magno são relatados em fontes irlandesas e ele é conhecido por ter gostado de pelo menos uma mulher irlandesa.[1] Haroldo consequentemente alegou ser um meio-irmão do monarca reinante, Sigurdo. Haroldo parece ter sido enviado com sucesso para o prova de fogo. A suposta relação foi reconhecida por Sigurdo na condição de Haroldo não alegar qualquer participação no governo do reino durante a sua vida ou a de seu filho Magno. Vivendo em termos amigáveis com o rei, Haroldo manteve este acordo até a morte de Sigurdo em 1130.

Reinado[editar | editar código-fonte]

Haroldo estava em Tønsberg quando soube da morte do rei Sigurdo. Ele convocou uma reunião no Hauga (Haugathing do nórdico antigo haugr que significa colina ou túmulo). Ali, Haroldo foi escolhido rei de mais da metade do país. O rei Magno foi obrigado a dividir o reino com Haroldo em duas partes.[2]

A conformidade no reino foi tão dividida que cada um deles teve a metade do reino que Sigurdo possuía. Eles governaram o país por algum tempo em paz. Após quatro anos de inquietante paz, Magno começou a se preparar para a guerra abertamente sobre Haroldo. Em 9 de agosto de 1134, ele derrotou Haroldo em uma batalha decisiva em Färlev em Bohuslän e Haroldo fugiu para Dinamarca. Posteriormente Magnus dissolveu seu exército e viajou para Bergen para passar o inverno lá. Haroldo depois voltou para a Noruega com um novo exército e encontrou pouca oposição, alcançando Bergen antes do Natal. Como Magno tinha poucos homens, a cidade caiu facilmente para o exército de Haroldo em 7 de janeiro de 1135. Magno foi capturado e destronado. Seus olhos foram arrancados e foi castrado, sendo jogado na prisão. Haroldo agora governava o país até 1136, quando ele foi assassinado por Sigurd Slembedjakn, outro alegado filho ilegítimo de Magnus Berføtt.[3]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Haroldo foi casado com Ingrid Ragnvaldsdotter, filha de Ragnvald Ingesson, o filho e herdeiro do rei Ingo I da Suécia. Haroldo teve um filho, Ingo, com ela. De acordo com as sagas, Haroldo já havia sido casado com Bjadok. Mais tarde a tradição do clãs gaélicos faz dela uma filha de Gilledomnan mac Solam. Eles tiveram um filho, Eystein. O irmão de Bjadok, segundo as tradições, foi Gillebride do Clã MacInnes, o pai de Somerled, rei das Hébridas e Kintyre. Entre as concubinas de Haroldo teve Tora Guttormsdotter, filha de Guttorm Gråbarde, que era a mãe de Sigurdo. Ele também teve um filho Magnus, que morreu em 1145 aos 10 anos de idade. Todos os quatro filhos foram reis da Noruega.[4][5]

Contexto histórico[editar | editar código-fonte]

Próximo de sua ascensão ao trono, o período de guerras civis da história norueguesa começou, que durou de 1130 a 1217. Durante este período, houve vários conflitos de diferentes graus de escala e intensidade. O fundo para esses conflitos foram as leis de sucessão norueguesas não tão claras, as condições sociais e da luta entre a Igreja e o rei. Havia dois principais partidos, em primeiro lugar, conhecidos pela variação de nomes ou nenhum nome em tudo, mas, finalmente, condensada nos partidos de Bagler e Birkebeiner. O ponto de encontro foi regularmente um filho real, que foi criado como a figura do chefe do partido em questão, a opor-se ao partido do rei impugnante.

Referências

  1. Alexander Bugge (ed. & tr.), of Duald Mac Firbis, On the Fomorians and the Norsemen. Christiania: J. Chr. Gundersens Bogtrykkeri. 1905. See Bugge's introduction.
  2. Saga of Magnus the Blind and of Harald Gille (Heimskringla)
  3. Gilchrist Harald 4 Gille (Store norske leksikon)
  4. Ingerid Ragnvaldsdatter (Store norske leksikon)
  5. Somerled: Hammer of the Norse(Kathleen M. Macphee, author. Neil Wilson Publishing. 2004)

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Halvard Bjørvik: Folketap og sammenbrudd 1350-1520. In: Aschehougs Norges historie Bd. 3. Oslo 1996.
  • Nils Petter Thuesen: Norges historie i årstall Oslo 2004.
  • Byron J. Nordstrom Dictionary of Scandinavian History, Londres 1986, p.269-270, ISBN 0313228876.
  • Heimskringla de Snorri Sturluson
  • (em inglês) Sagas of the Norse Kings, Everyman's Library: Livre XIII « Magnus the Blind and Harald Gille », p.320-340.


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Haroldo IV da Noruega
Precedido por
Sigurdo I
Norwegian Royal Standard flag.png
Rei da Noruega

1130 - 1136
Em conjunto com Magno IV até 1135
Sucedido por
Sigurdo II
Ingo I