Harry Kellar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Harry Kellar
Nome completo Heinrich Kellar (ou Keller[1])
Nascimento 11 de junho de 1849[1]
Erie, Pensilvânia, EUA
Morte 10 de março de 1922 (72 anos)
Los Angeles, Califórnia, EUA
Nacionalidade norte-americano
Ocupação ilusionista

Harry Kellar (Erie, 11 de julho de 1849Los Angeles, 10 de março de 1922) foi um mágico ilusionista estadunidense. Também conhecido como “decano da magia”, foi o primeiro mágico de naturalidade norte-americana com grande popularidade nos estados Unidos.[2]

Kellar foi o mágico sucessor de Robert Heller e o antecessor de Harry Houdini (que conheceu antes de aposentar-se). Por causa do estilo de suas mágicas, é sempre comparado com o mágico Chung Ling Soo. Ele viajou para vários países, como México, Brasil e Reino Unido.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Como muitos mágicos, teve influencias e estudou mágica desde a infância, quando aprendeu pequenos truques. Entre os 12 e 18 anos, foi assistente de IH Hughes e dos Irmãos Davenport, começando com as mágicas simples até chegar em mágicas complexas e a maior delas foi a famosa pegada de bala quando o mágico se posiciona e tenta segurar uma bala disparada de uma arma.

Somente na década de 1880 é que obteve completo sucesso passando a ser a apresentação principal dos shows.[2]

Harry Kellar se aposentou em 1907. Seu sucessor natural seria o mágico alemão Paul Valadon, seu ajudante nas últimas três temporadas. Contudo brigas internas entre a esposa de Harry, Eva, e Paul Valadon, culminou na demissão do jovem rapaz. Howard Thurston, um já aclamado artista e amigo pessoal de Harry, foi o escolhido para ser o sucessor natural de Kellar. A escolha foi especialmente inteligente porque, àquela altura, Howard Thurston já tinha um grande show montado.[3]

Referências

  1. a b «Harry Kellar (1849-1922)» (em inglês). all-about-magicians.com. Consultado em 13 de setembro de 2014 
  2. a b «Harry Kellar - AMERICAN MAGICIAN». Enciclopédia Britannica. Consultado em 8 de maio de 2018 
  3. Glass, Leonardo (21 de fevereiro de 2013). «A TRISTE HISTÓRIA DE PAUL VALADON». Água & Azeite. Consultado em 4 de outubro de 2018