Harvey Weinstein

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Harvey Weinstein
Nome nativo Harvey Weinstein
Nascimento 19 de março de 1952
Flushing
Cidadania Estados Unidos
Cônjuge Georgina Chapman
Alma mater Universidade de Buffalo, John Bowne High School
Ocupação produtor cinematográfico
Prêmios cavaleiro da Legião de Honra, Commander of the Order of the British Empire, Oscar de melhor filme, Ordem do Império Britânico, Legião de Honra, Óscar, BAFTA
Empregador The Weinstein Company

Harvey Weinstein (Nova Iorque, 19 de março de 1952) é um produtor cinematográfico norte-americano. Ele e seu irmão, Bob Weinstein, são co-presidentes da The Weinstein Company, sua empresa de produção cinematográfica, desde 2005.

Em 2013, Kyle Smith, crítica de cinema do jornal norte-americano The New York Post, apontou para o fato de Weinstein ter produzido inúmeros filmes anti-cristãos e anti-católicos em particular, entre os quais Prêtre (1994), Le Garçon boucher (1997), The Magdalene Sisters (2002) e Philomena (2013).[1].

Em 2015, ele é homenageado pelo centro Simon-Wiesenthal por suas iniciativas políticas, as quais fizeram dele, nas palavras de Jeffrey Katzenberg, «a really nice Jewish boy» (um garoto judeu legal").[2].

Em outubro de 2017, o produtor lida com uma série de acusações de assédio sexual e de estupro.

Escândalo sexual[editar | editar código-fonte]

Em 2017, foi acusado de assédio sexual por várias mulheres, incluindo Angelina Jolie, Gwyneth Paltrow[3], Mira Sorvino, Rosanna Arquette, Emma de Caunes, Judith Godrèche, Léa Seydoux, Cara Delevigne, Ashley Judd, Rose McGowan, Heather Graham, Zoe Brock, Lucia Stoller e Louisette Geiss[4]. Ao menos três mulheres o acusaram de estupro: a italiana Asia Argento, a atriz Lucia Evans e uma terceira, que continua anônima[5]. O escândalo repercutiu de tal forma que sua esposa, a estilista de moda inglesa Georgina Chapman, pediu divórcio do produtor, com quem estava casada há dez anos.[6] O caso também teve repercussões profissionais: os membros do conselho do Oscar votaram pela expulsão dele da organização[7] e ele também foi demitido da empresa que ele mesmo criou, a The Weinstein Company[8].

Referências

  1. Kyle Smith, « Harvey Weinstein’s ‘Philomena’ attack ad », New York Post,‎ 7 décembre 2013
  2. Scott Feinberg e Tina Daunt, « Harvey Weinstein Urges Jews to Take on Anti-Semites: "Kick These Guys in the Ass" », The Hollywood Reporter, 24 mars 2015
  3. «Home». BBC News. Consultado em 11 de outubro de 2017 
  4. «Quem são as atrizes que acusam Harvey Weinstein de assédio - e até estupro». BBC Brasil (em inglês). 12 de outubro de 2017 
  5. «Harvey Weinstein é alvo de investigações em Nova York e Londres por acusações de assédio». G1 
  6. «Harvey Weinstein's Wife Georgina Chapman Announces Separation, Calls His Actions 'Unforgivable'». Just Jared (em inglês) 
  7. «Conselho do Oscar expulsa o produtor Harvey Weinstein após acusações de assédio». BBC Brasil (em inglês). 14 de outubro de 2017 
  8. «O que há contra Harvey Weinstein, poderoso de Hollywood acusado de assédio». Nexo Jornal 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.