Hecatompilo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde junho de 2012)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.

Hecatompilo (em grego: Ἑκατόμπυλος) ou Saddarvazeh (em persa: سددروازه ou صددروازه, Sad Darvāzeh) foi uma antiga cidade no oeste da região do Coração (Khurasan), no atual Irã, capital da dinastia arsácida dos partas, por volta de 200 a.C.. O nome grego Hekatompylos significa "cem portas", e o termo persa tem o mesmo significado. O título era dado normalmente a cidades que tinham mais do que as tradicionais quatro portas em suas muralhas; pode ser melhor compreendida, numa tradução livre, como "de muitas portas".

Alexandre, o Grande fez uma parada ali no verão de 330 a.C., e ela passou a fazer parte do Império Selêucida após a sua morte. A tribo dos parnos a conquistou por volta de 238 d.C., e fez dela uma as primeiras capitais de seu Império Parta. Foi mencionada como cidade real dos partas por diversos autores clássicos, entre eles Estrabão, Plínio e Ptolemeu, a despeito dos partas terem utilizado diversas cidades como sua "capital", em diferentes períodos de suahistória.

Estima-se que tivesse uma área de 28 quilômetros quadrados, em sua maior extensão, o que indicaria uma população de dezenas de milhares.

O local da cidade antiga é conhecido atualmente como Shahr-e Qumis, entre as cidades de Semnan e Damqan, na província de Semnan.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Hecatompylos».
  • De Quincey, Thomas (1821). Confessions of an English Opium-Eater. Penguin Books. 1979.
  • Frye, Richard N. (1962). The Heritage of Persia. Toronto. Mentor Books. 1966.
  • Hansman, J. (1968). "The Problems of Qūmis". Journal of the Royal Asiatic Society (1968), p. 111–139.
  • Hansman, John and Stronach, David (1974). "Excavations at Shahr-i Qūmis, 1971". Journal of the Royal Asiatic Society (1974), pp. 8–22.
  • Hirth, Friedrich (1875). China and the Roman Orient. Shanghai and Hong Kong. Unchanged reprint. Chicago, Ares Publishers, 1975.
  • Tarn, William Woodthorpe (1984). The Greeks in Bactria and India. 1ª edição, 1938; 2ª edição atualizada, 1951. 3ª edição, atualizada com um prefácio e uma nova bibliografia de Frank Lee Holt. Ares Publishers, Inc., Chicago. 1984.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia do Irão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


35° 57′ N 54° 02′ E