Heitor Martinho de Souza

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ratinho
Informações pessoais
Nome completo Heitor Martinho de Souza
Data de nasc. 3 de março de 1942
Local de nasc. São Francisco do Sul (SC),  Brasil
Nacionalidade brasileira
Falecido em 11 de fevereiro de 2001 (58 anos)
Apelido Ratinho
Informações profissionais
Posição atacante
Clubes de juventude
1958-1962 Brasil Fluminense de Joinville
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1962-1966
1966-1972
1973-1975
1976-1978
Brasil Marcílio Dias
Brasil Portuguesa
Brasil São Paulo
Brasil Joinville

Heitor Martinho de Souza, mais conhecido como Ratinho (São Francisco do Sul, 3 de março de 1942Araquari, 11 de fevereiro de 2001), foi um futebolista brasileiro, que atuava como atacante.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Iniciou a carreira no time amador do Fluminense do bairro Itaum, de Joinville. Profissionalizou-se em 1962, ao ser contratado pelo Clube Náutico Marcílio Dias, de Itajaí.

Marcílio Dias[editar | editar código-fonte]

Defendeu as cores do Marcílio Dias entre 1962 e 1966. Neste período, conquistou o título do Campeonato Catarinense de 1963, além de sagrar-se bicampeão da Liga Itajaiense de 1962 e 1963. De acordo com o livro Torneio Luiza Mello - Marcílio Dias Campeão Catarinense de 1963, Ratinho atuou em 16 jogos e marcou três gols no certame estadual vencido pelo Marinheiro.

Portuguesa[editar | editar código-fonte]

Em 1966, Ratinho foi transferido para a Associação Portuguesa de Desportos, onde permaneceu até 1972. Participou da inauguração do Canindé, em 9 de janeiro de 1972, num amistoso da Lusa contra o Benfica de Portugal.[1] Suas boas atuações com o manto rubro-verde lhe renderam convocações para a Seleção Paulista. Chegou a fazer parte da lista de 40 pré-convocados para a Copa do Mundo de 1970, mas não foi incluído na convocação final.

São Paulo[editar | editar código-fonte]

Ratinho fez sua estreia no São Paulo Futebol Clube em 25 de janeiro de 1973, num amistoso contra o Independiente, da Argentina, no Morumbi, vencido pelo time argentino por 1 a 0. Pelo Tricolor, foi vice-campeão brasileiro de 1973 e vice-campeão da Copa Libertadores de 1974. Em sua passagem como atleta são-paulino, disputou 31 jogos e anotou três gols.[2]

Joinville[editar | editar código-fonte]

Após quase dez anos no futebol paulista, Ratinho retornou ao futebol catarinense para defender as cores do recém-fundado Joinville Esporte Clube, no ano de 1976. Com o JEC, conquistou o campeonato catarinense de 1976 e 1978. Ao pendurar as chuteiras, estabeleceu-se na cidade de Joinville, onde foi proprietário de uma loja de materiais esportivos, além de se envolver em projetos de escolinhas de futebol.

Morte[editar | editar código-fonte]

Ratinho morreu tragicamente no dia 11 de fevereiro de 2001, aos 58 anos, num acidente automobilístico na Rodovia SC-495, no município de Araquari, em Santa Catarina. No mesmo acidente, faleceram sua esposa, nora e três netas.[3]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • ALÉCIO, Fernando. Torneio Luiza Mello - Marcílio Dias Campeão Catarinense de 1963. Itajaí: Editora Ipêamarelo, 2014

Referências

  1. Acervo da Bola: Inauguração do Canindé. Acesso em 27 de novembro de 2016.
  2. Raul Snell Jr. e José Renato S. Santiago Jr., Almanaque do São Paulo, 2014.
  3. Seis pessoas morrem em colisão no Norte (A Notícia, 12/02/2001) Arquivado em 28 de novembro de 2016, no Wayback Machine.. Acesso em 27 de novembro de 2016.
Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.