Helen Gibson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Helen Gibson
Gibson em 1920
Nome completo Rose August Wenger
Nascimento 27 de agosto de 1892
Cleveland, Ohio
Nacionalidade Estados Unidos Norte-americana
Morte 10 de outubro de 1977 (85 anos)
Roseburg, Oregon
Ocupação Atriz, dublê, amazona, produtora de filmes
Atividade 1912-1962
Cônjuge Hoot Gibson (1913 — 1920)
Clifton Johnson (1935 — 1977)
IMDb: (inglês)

Helen Gibson (27 de agosto de 189210 de outubro de 1977) foi uma atriz de cinema estadunidense, da era do cinema mudo, que atuou em vaudeville, no rádio, na produção de filmes, além de fazer acrobacias de equitação e atuar em rodeios. Tem sido considerada como a primeira mulher dublê profissional do cinema.[1] Ela atuou em 181 filmes entre 1912 e 1962.

Rodeios[editar | editar código-fonte]

Nascida Rose August Wenger em Cleveland, Ohio, foi uma das cinco filhas dos suíço-germânicos Fred e Annie Wenger.[2] Seu pai queria um filho, e devido a isso a encorajou para ser um “garoto”. Helen viu seu primeiro show de “Wild West” em Cleveland, no verão de 1909, e respondeu a um anúncio do “Miller Brothers 101 Ranch” para garotas amazonas na revista Billboard. Eles lhe ensinaram a cavalgar, e atuou em seu primeiro show no “Miller Brothers 101 Ranch” em Saint Louis, em abril de 1910.

Helen diria: “Já estava praticando pegar um lenço do chão em pleno galope. Quando os cavaleiros veteranos disseram que eu poderia ser chutada na cabeça, eu paguei sem cuidado. Tais coisas podem acontecer aos outros, mas nunca poderiam acontecer comigo, eu acreditava. Nós “barnstormed”[3] por todos os EUA, e a temporada terminou cedo demais. Fiquei triste quando tive que ir para casa, e mal podia esperar para a nova abertura em Boston, na Primavera de 1911”.[4]

Cowboy extra[editar | editar código-fonte]

Quando o “Miller-Arlington Show” repentinamente fechou em 1911, deixou muitos artistas desempregados em Venice, Califórnia.[5] Thomas H. Ince, que trabalhava para a New York Motion Picture Company, contratou todo o elenco para o inverno e os artistas embarcaram em Venice, onde os cavalos estavam. Eles rodavam cinco milhas ao dia para trabalhar em Topanga Canyon, onde os filmes eram realizados. Em 1912, Helen fez $15 por semana com seu primeiro papel como irmã de Ruth Roland no Ranch Girls on a Rampage.[6]

Como muitos dos cowboys extras, Helen continuou apresentando-se em rodeios no intervalo das filmagens. No “Second Los Angeles Rodeo”, em 1913, ela foi destaque na corrida feminina em pé e um dos investidores ficou tão impressionado que se ofereceu para financiar uma turnê de rodeios para ela, pagando suas despesas e dividindo os lucros. Em seu rancho fora de Pendleton, Oregon, Helen treinou seus cavalos todos os dias e aprendeu novos truques de equitação. Foi em Pendleton, em junho de 1913, que ela conheceu Hoot Gibson (Edmund Richard), e começaram a trabalhar juntos. Em um rodeio em Salt Lake City, ela ganhou todos os prêmios – a corrida de revezamento, corrida feminina em pé, truques de equitação, e Hoot venceu a corrida de pônei; mas, não conseguiram receber um centavo do dinheiro de prêmio.[4]

Hoot Gibson[editar | editar código-fonte]

Panorama do “Pendleton Round-Up”, em 1911.

Naquele verão, a dupla Hoot e Helen Gibson atuou nos rodeios em Winnipeg, Canadá e Boise, Idaho, e chegou em Pendleton poucos dias antes do “Pendleton Round-Up” começar. No entanto, mediante o fato de os quartos serem quase impossíveis de se obter, eles decidiram “ficar juntos”, pois os casais recebiam a preferência, e consequentemente a dona da casa deu-lhes o seu próprio quarto. O casal ganhou dinheiro suficiente para voltar a Los Angeles, onde Hoot trabalhou como um cowboy extra e dublou Tom Mix na Selig Polyscope Company, em Edendale, Los Angeles, Califórnia (agora conhecido como Echo Park, em Los Angeles). Helen também trabalhou para a Selig e para a Kalem Company em Glendale, California.[4]

Dublê[editar | editar código-fonte]

The Capture of Red Stanley (1916)
The Hazards of Helen (1916)
To Save the Road (1916)
A Daughter of Daring (1917)
In the Path of Peril (1917)

Em abril de 1915, enquanto a Kalem Company a contratou para dublar Helen Holmes no seriado The Hazards of Helen, Helen Gibson apresentou o que se considera a sua cena mais perigosa: um salto do telhado de uma estação até o topo de um trem em movimento, no episódio A Girl’s Grit. A distância entre o telhado da estação e a parte superior do trem foi medida com precisão, e ela praticou o salto com o trem parado. O trem tinha que estar se movendo e sua velocidade acelerada foi programada para o segundo salto. Ela pulou sem hesitação e pousou corretamente, mas o movimento do trem a fez rolar até o final do carro. Ela pegou uma corrente de ar e ficou pendurada sobre a borda, para aumentar o efeito na tela, sofrendo algumas escoriações.

Arthur Wise, em Stunting In the Cinema (1973), refere que: “A dificuldade real do dublê não está no salto propriamente dito; desde então, ela tinha praticado isso com o trem estacionado e é claramente apresentado sem dificuldades, mas no momento. O que tais acrobacias exigem é uma consciência da velocidade do objeto em movimento. No decurso de um salto que se refere a um objeto em movimento, a relação espacial entre o ponto de descolagem e a aterragem muda. (...) Helen Gibson tinha essa sensibilidade para relações espaciais entre objetos em movimento, mas não é com certeza um presente compartilhado por todos os dublês”.[7]

Hazards of Helen[editar | editar código-fonte]

Considerado o mais longo seriado da história, The Hazards of Helen apresenta 119 capítulos com histórias independentes. O seriado iniciou com Helen Holmes no papel-título, nos primeiros 49 episódios, mas Helen Gibson teve a chance de substituir Holmes em dois capítulos, quando ela esteve doente, tendo atuado então em A Test of Courage e A Mile a Minute, a $35 por semana. O escritório da Kalem em Nova Iorque se impressionou com seu trabalho, e instruiu para que Helen Gibson ficasse no filme quando Holmes e seu marido, J. P. McGowan, deixassem a companhia.

Renomeada “Helen” pelo estúdio, ela provou ser uma atriz capaz, e depois de fazer vários filmes ela escreveu uma história para um curta metragem sobre um “golpe arriscado”: a fim de pegar um trem desgovernado, ela destacaria uma equipe de cavalos, os montaria em pé, pegaria uma corda pendurada de uma ponte e a usaria para balançar sobre os cavalos e sobre o trem quando ele viesse debaixo da ponte. A Kalem Company a recompensou pelo roteiro, elevando seu salário para $50 por semana.[4]

Gibson atuou em The Hazards of Helen por 69 episódios, até o fim do seriado, em fevereiro de 1917, quando a Kalem tentou produzir outro seriado para ela, The Daughter of Daring.[8] Uma de suas melhores acrobacias ocorreu nesse seriado: viajando a toda velocidade em uma motocicleta, perseguindo um trem desgovernado, Gibson cavalgou através de um portão de madeira, quebrando-o completamente, e através das portas abertas de um vagão de carga em um tapume, conduziu sua máquina através do ar, até desembarcar em uma passagem do trem. O truque foi executado com perfeito sincronismo com a câmera.[9]

A Kalem, produtora de filmes curtos, estava em declínio e ao invés de correr o risco de fracasso financeiro, com a produção de longa-metragens, cessou sua produção em 1917, e foi vendida para a Vitagraph Studios.[10] A Universal Pictures ofereceu a Helen um contrato de $125 por semana, até 1919. Entre os filmes então produzidos estavam os dois filmes de John Ford, Rustlers[11] e Gun Law.[12] Seu contrato com a Universal terminou no inverno de 1919, e assinou com a “Capital Film Company” por $300 por semana, mas a Capital já estava perdendo dinheiro e saiu do negócio de cinema em maio de 1920.

Hoot Gibson, que se juntou ao exército, retornou durante o Natal de 1918 e a Universal lhe ofereceu um contrato para aparecer em dois Westerns. Ele percebeu que sua esposa havia se tornado uma estrela de cinema bem sucedida enquanto ele estava fora, e seu ego não poderia lidar com isso, sendo que o casal se separou em 1920. Registros do censo de 1920 indicam que eles estavam vivendo separadamente; Hoot Gibson listando-se como casado, e Helen listando-se como viúva.[13] Em 1922, Hoot casou com Helen Johnson, que muitas vezes tem sido confundida com Helen Gibson. Em 1923, Hoot e Helen Johnson Gibson tiveram um filho, Lois Charlotte Gibson, e divorciaram-se em 1930.

Produção[editar | editar código-fonte]

Em 1920, Gibson fundou a Helen Gibson Productions, para ter seus filmes lançados pela Associated Photoplays Corporation. Sua primeira e única produção[14] foi No Man's Woman,[15] um Western melodrama sobre uma hospedeira bondosa, dançarina de salão, que resgata um filho de fazendeiros. O dinheiro acabou antes da finalização do filme, e Gibson faliu.[16]

Um ano depois, o filme foi lançado por um outro estúdio com um novo título, Nine Points of the Law.[17] Em março de 1921, a Spencer Production Company contratou Gibson para protagonizar “The Wolverine”.[18] Eles ficaram tão satisfeitos com seu desempenho que lhe pagaram $450 por semana. No entanto, antes que ela iniciasse o segundo filme, foi hospitalizada com uma apendicite, e posterior peritonite, e o estúdio a substituiu.[6][19]

Truques de equitação[editar | editar código-fonte]

Após a recuperação da cirurgia, a popularidade de Gibson tinha diminuido. Em setembro de 1921, uma empresa independente contratou-a para um curta metragem. A equitação durante a filmagem colocou Gibson de volta no hospital, forçando-a a vender sua mobília, jóias e carros. Ela fez aparições para os filmes No Man's Woman e The Wolverine, além de visitas aos amigos do “Miller Brothers 101 Ranch”, em Ponca City, Oklahoma.

Na Primavera de 1924, Gibson trabalhou com truques de equitação no “Ringling Bros. and Barnum & Bailey Circus”, juntamente com outros cowboys, como Ken Maynard,[7] e atuou nesse show por dois anos e meio.[6] Em setembro de 1926, Gibson se juntou aos Hopis e trabalhou no “Keith Vaudeville Circuit”, fora de Boston.[4]

Retorno a Hollywood[editar | editar código-fonte]

Helen retornou a Hollywood em 1927 e começou dublando estrelas como Louise Fazenda, Irene Rich, Edna May Oliver, Marie Dressler, Marjorie Main, May Robson, Esther Dale e Ethel Barrymore. Além das dublagens, geralmente sem créditos nos filmes, trabalhou fazendo pequenas pontas,[6] tornando-se uma convidada em rodeios beneficentes e eventos como o “Annual Santa Barbara Horse Show”.[20]

Em 1935, Helen casou com Clifton Johnson[1] um eletricista de estúdio que tinha sido um artilheiro da Marinha. Em 1940, ele voltou à ativa, e enquanto estava servindo na Segunda Guerra Mundial, Helen continuou trabalhando como figurante e tornou-se tesoureira da organização fraternal de dublês femininas.[21]

Em Hollywood Story[22] filme feito pela Universal Pictures em 1951, ela foi escalada como uma ex-atriz de cinema mudo ao lado de Francis X. Bushman, William Farnum, Betty Blythe, e ganhou $55 para uma cena.

Tony Curtis, então desconhecido, foi designado para escoltar Gibson e Blythe para a première no Academy Award Theater, na Academy of Motion Picture Arts and Sciences, então na Melrose Avenue, em Hollywood, onde cada estrela da era silenciosa recebeu uma placa "por sua notável contribuição para a arte e a ciência de imagens em movimento, para o prazer que você trouxe a milhões de pessoas no mundo e por sua ajuda em fazer Hollywood a capital mundial do cinema”.[4][23]

Retiro[editar | editar código-fonte]

Gibson continuou atuando em pequenos papéis e extras até 1954, quando o casal se mudou para Lago Tahoe por razões de saúde. Depois compraram uma casa em Panorama City, no San Fernando Valley. Gibson sofreu um acidente vascular cerebral leve em 1957, mas isso não impediu seu trabalho como figurante no cinema e na televisão.

Seu último papel foi em 1961, no filme de John Ford The Man Who Shot Liberty Valance, aos 69 anos. Ela se retirou em janeiro de 1962 com uma pensão do Motion Picture Industry Pension de $200 ao mês.[6] O casal mudou-se para Roseburg, Oregon, onde passou seus últimos anos pescando e dando entrevistas ocasionais. Helen Gibson morreu de insuficiência cardíaca após uma apoplexia em 1977, aos 85 anos.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem Companhia produtora
1912 Ranch Girls on a Rampage Irmã de Ruth Roland Selig Polyscope Company
1913 A Girl of the Range
Old Moddingington's Daughters Filha de Moddington Vitagraph Studios
1914–15 The Hazards of Helen (vários episódios) dublê Kalem Company
1915 Man of God Lubin Manufacturing Company
1915–17 The Hazards of Helen 63 episódios Helen Kalem Company
1917 Daughter of Daring 11 episódios Helen Kalem Company
The Wrong Man Bison Motion Pictures
Ghost of Canyon Diablo
Border Watch Dogs Universal Pictures
A Perilous Leap Universal Pictures
The Dynamite Special Bison Motion Pictures
The Little Outlaw Pathe Exchange (dist)
The Girl of Gopher City
Trail Divided Pathe Exchange (dist)
Saving the Fast Mail Bison Motion Pictures
The End of the Run Universal Pictures
Fighting Mad Mary Lambert Universal Pictures
1918 Play Straight or Fight Universal Pictures
The Midnight Flyer Universal Pictures
The Branded Man Universal Pictures
The Pay Roll Express Universal Pictures
Bawled Out Century Films
Danger Ahead Universal Pictures
Under False Pretenses Universal Pictures
The Fast Mail Universal Pictures
The Dead Shot Universal Pictures
The Silent Sentinel Universal Pictures
Captured Alive Universal Pictures
The Robber Universal Pictures
Wolves of the Range Universal Pictures
1919 The Secret Peril Universal Pictures
The Black Horse Bandit Universal Pictures
The Canyon Mystery Universal Pictures
Riding Wild Universal Pictures
Ace High Universal Pictures
The Rustlers Nell Wyndham Universal Pictures
Gun Law Letty Universal Pictures
Down But Not Out Universal Pictures
Loot Arrumadeira Universal Pictures
1921 No Man's Woman A garota Helen Gibson productions
The Wolverine Billy Louise Spencer Productions
1922 Nine Points of the Law Cherie Du Bois Rainbow Film Company
Thorobred Helen
1927 Heroes of the Wild Julia Mascot Pictures
1928 The Chinatown Mystery Trem Carr Pictures
The Vanishing West Ep. 10 The End of the Trail Mrs. Kincaid Mascot Pictures
1931 The Cheyenne Cyclone (não-creditada) Mulher na cidade Willis Kent Productions
The Lightning Warrior Cap. 1 The Drums of Doom Mulher pioneira & dublê: Georgia Hale Mascot Pictures
1932 Human Targets (não-creditada) Mrs. Dale Big 4 Film
The Silver Lining Dorothy Dent Alan Crosland Productions
Law and Lawless Mrs. Kelley/Molly? Majestic Pictures
1933 King of the Arena (não-creditada) Cowgirl do circo Universal Pictures
1934 Wheels of Destiny (não-creditada) Esposa de Settler Ken Maynard Productions
Rocky Rhodes (não-creditada) Mulher da cidade Buck Jones Productions
The Way of the West Mulher da cidade Empire Films
365 Nights in Hollywood (não-creditada) Atriz estudante Fox Film
1935 Cyclone of the Saddle Mrs. Carter Weiss Productions
The Drunkard Betty Weiss Productions
Bride of Frankenstein (não-creditada) Aldeã Universal Pictures
Fighting Caballero
1936 Custer's Last Stand Caps. 4–7, 10 Jane Calamidade Weiss Productions
Lady of Secrets (não-creditada) Enfermeira Columbia Pictures
Last of the Warrens (não-creditada) Mrs. Burns Supreme Pictures
1937 Jungle Jim (não-creditada) Mrs. Raymond Universal Pictures
High, Wide, and Handsome (não-creditada) Paramount Pictures
Danger Valley Nana Temple Monogram Pictures
1938 Condemned Women (não-creditada) - dublê RKO Pictures
Flaming Frontiers Cap. 9 Toll Of The Torrent (não-creditada) Mulher da cidade Universal Pictures
1939 Stagecoach (não-creditada) Moça no Saloon Walter Wanger Productions
The Oregon Trail Cap. 6 Indian Vengeance (não-creditada) Pioneira Universal Pictures
1940 Covered Wagon Trails (não-creditada) Mulher no trem Monogram Pictures
Deadwood Dick (não-creditada) Mulher na cidade Columbia Pictures
1940 Sheriff of Tombstone (não-creditada) Liza Starr Republic Pictures
1942 The Valley of Vanishing Men (não-creditada) Helen Columbia Pictures
1944 The Climax (não-creditada) Universal Pictures
1946 The Scarlet Horseman (não-creditada) Mulher na cidade Universal Pictures
1949 Cheyenne Cowboy (não-creditada) Universal Pictures
1950 Crooked River Mãe Lippert Pictures
Fast on the Draw (não-creditada) Mrs. Ellison Lippert Pictures
Kansas Raiders (não-creditada) Universal Pictures
1951 Hollywood Story Ela mesma–estrela antiga Universal Pictures
1952 The Treasure of Lost Canyon (não-creditada) Mãe Universal Pictures
1953 City That Never Sleeps (uncredited) Woman Republic Pictures
The Man from the Alamo (não-creditada) Mulher no trem Universal Pictures
1954 Ma and Pa Kettle at Home (não-creditada) Esposa do Ranch Universal Pictures
1962 The Man Who Shot Liberty Valance (não-creditada) John Ford Productions

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b Truitt, 1984.
  2. 1900 United States Census for Cleveland, Ohio
  3. Barnstorming era uma forma popular de entretenimento nos EUA na década de 1920, em que pilotos realizavam truques com aviões, individualmente ou em grupos chamados circos voadores.
  4. a b c d e f Gibson and Kornick, 1968.
  5. Roach, Joyce Gibson, 1990.
  6. a b c d e Gibson, Helen. unpublished letter December 24, 1966
  7. a b Wise, 1973.
  8. Acker, 1991.
  9. Lahue. 1964.
  10. Singer, 2001.
  11. Rustlers (1919) no IMDB
  12. Gun Law (1919) no IMDB
  13. 1920 United States Census for Los Angeles, California, Sheets No. 19A and 10B
  14. Helen Gibson Production no IMDB
  15. No Man's Woman no IMDB
  16. MAHAR, Kren Ward. Women Filmmakers in Early Hollywood. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 2006.
  17. Nine Points of the Law no IMDB
  18. The Wolverine (1921) no IMDB
  19. Lowe, 2005.
  20. L.A. Times, July 22, 1931.
  21. Baxter. 1974.
  22. Hollywood Story no IMDB
  23. Em inglês: “for your outstanding contribution to the art and science of motion pictures, for the pleasure you have brought to millions over the world, and for your help in making Hollywood the film capital of the world

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Acker, Ally (1991). Reel Women: Pioneers of the Cinema 1896 to the Present. London: Batsford. ISBN 0-7134-6960-9 
  • Baxter, John O. (1974). Stunt; the story of the great movie stunt men. Garden City, N.Y: Doubleday. ISBN 0-385-06520-5 
  • Gibson, Helen; Mike Kornick (janeiro de 1968). «In Very Early Days, Screen Acting Was Often a Matter of Guts». Films in Review - January 1968 
  • «Horse Show Promising». L.A.Times. 22 de julho de 1931 
  • Lahue, Kalton C. (1964). Continued Next Week : A History of the Moving Picture Serial. Norman: University of Oklahoma Press 
  • Lowe, Denise (2005). An encyclopedic dictionary of women in early American films, 1895-1930. New York: Haworth Press. ISBN 0-7890-1843-8 
  • Roach, Joyce Gibson (1990). The Cowgirls. Denton, Tex: University of North Texas Press. ISBN 0-929398-15-7 
  • Singer, Ben (2001). Melodrama and Modernity: early sensational cinema and its contexts. New York: Columbia University Press. ISBN 0-231-11329-3 
  • Truitt, Evelyn Mack (1984). Who was who on screen. New York: Bowker. ISBN 0-8352-1906-2 
  • Ware, Derek; Wise, Arthur (1973). Stunting in the Cinema. London: Constable. ISBN 0-09-459090-7 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Helen Gibson