Helena Carreiras

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Helena Carreiras
Ministra da Defesa Nacional da
República Portuguesa
Período 30 de março de 2022 até a atualidade
Governo XXIII Governo Constitucional
Antecessor(a) João Gomes Cravinho
Dados pessoais
Nascimento 26 de setembro de 1965 (57 anos)
Portalegre, Portugal
Alma mater ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa
Instituto Universitário Europeu
Partido Partido Socialista (PS)
Profissão Socióloga, professora universitária

Maria Helena Chaves Carreiras,[1] geralmente conhecida como Helena Carreiras (Portalegre, 26 de setembro de 1965), é uma socióloga portuguesa, atual ministra da Defesa Nacional de Portugal, sendo a primeira mulher a ocupar a pasta.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Licenciou-se em 1987 pelo ISCTE. Em 2004, doutorou-se em Ciências Sociais e Políticas pelo Instituto Universitário Europeu de Florença, defendendo uma tese sobre políticas de integração de género nas Forças Armadas dos países da NATO. É professora associada no ISCTE, nas áreas da Sociologia, Políticas Públicas e Metodologia de Pesquisa Social, sendo investigadora do Centro de Investigação e Estudos de Sociologia. A sua carreira académica tem vindo a centrar-se na investigação das questões de género no seio das instituições militares, a integração das mulheres no meio militar, as relações entre a sociedade civil e as Forças Armadas e as políticas públicas de segurança e defesa.[2]

Entre 2010 e 2012 foi subdiretora do Instituto de Defesa Nacional (IDN), em 2015 do CIES - Centro de Investigação e Estudos de Sociologia, e entre 2018 e 2019 do IPPS - Instituto para as Políticas Públicas e Sociais. En 2019 foi nomeada diretora do IDN.[2][3]

A 30 de março de 2022 tornou-se a primeira mulher a liderar o Ministério da Defesa, integrando o XXIII Governo Constitucional liderado por António Costa e tendo sucedido a João Gomes Cravinho. É a terceira figura na hierarquia do executivo.[2][3]

Carreiras reconhece o reforço da NATO na sequência da invasão da Ucrânia pela Rússia e defende que a União Europeia deve aumentar o investimento na defesa em colaboração com a NATO.[2]

Obra publicada[editar | editar código-fonte]

É autora de 13 livros, 44 capítulos de livro e 26 artigos em revistas especializadas. Entre as suas publicações destacam-se "Mulheres nas Forças Armadas Portuguesas" (Cosmos, 1997), "Mulheres em Armas. A Participação Militar Feminina na Europa do Sul" (Cosmos e IDN, 2002), "Gender and the Military. Women in the Armed Forces of Western Democracies" (Routledge, 2006), "Women in the Military and in Armed Conflict" (Vs Verlag, 2008), "Qualitative Methods in Military Studies" (Routledge, 2013), "Researching the Military" (Routledge, 2016) e "Understanding the Impact of Social Research on the Military" (Routledge, 2022).[2][4]

Referências

  1. «Conheça os nomes de todos os ministros do novo Governo». TSF Rádio Notícias. 23 de março de 2022. Consultado em 23 de março de 2022 
  2. a b c d e «Quem é Helena Carreiras, a primeira mulher a assumir a pasta da Defesa». www.jn.pt. Consultado em 23 de março de 2022 
  3. a b «Helena Carreiras vai ser a primeira mulher no cargo de ministra da Defesa». TSF Rádio Notícias. 23 de março de 2022. Consultado em 23 de março de 2022 
  4. «Obras de Helena Carreiras presentes no catalogo da Biblioteca Nacional de Portugal». catalogo.bnportugal.gov.pt. Consultado em 23 de março de 2022 

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
João Gomes Cravinho
Ministra da Defesa Nacional
XXIII Governo Constitucional
2022 – presente
Sucedido por
Incumbente