Hellmann's

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde junho de 2015). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Hellmann's foi inicialmente uma linha de emulsão do tipo maionese criada em 1912, pelo alemão Richard Hellman nos Estados Unidos. Atualmente é uma marca de condimentos alimentares diversos, que incluem além da maioneses: ketchups, mostarda e molhos para salada.

Etmologia[editar | editar código-fonte]

A marca Hellmann's foi criado a partir do sobrenome de Richard Hellmann, da família alemã Hellmann, que significa "homem de luz".[carece de fontes?]

História[editar | editar código-fonte]

Em 1905, o imigrante alemão Richard Hellmann chegou em Nova Iorque (Estados Unidos),[1][2] onde iniciou o aperfeiçoamento da maionese e, também conhecera sua esposa Margaret, filha de donos de um pequeno mercado.

Em Nova Iorque, Richard e Margaret Hellmann inauguraram uma delicatesse (local especializado em comidas exóticas) na Avenida Columbus, onde vendiam produtos artesanais e saladas acompanhada da maionese (receita, criada na França em 1756).[1][2] Ao fim do expediente, faziam experimentos para melhorar a textura e o sabor da emulsão.

A emulsão ficou tão popular, que começou a ser comercializado separadamente das saladas, em potes de vidro.[2] O casal comercializava dois tipos de maioneses, para diferenciá-las uma delas recebeu no pote um laço de fita azul.[2]

Em 1912, como a receita do pote com laço era a mais vendida, o casal patenteou esta receita criando a marca "Maionese do Laço Azul" Hellmann's.[1][2][3] O sucesso do molho caseiro aumentou, o negócio expandiu e neste mesmo ano fundaram a primeira fábrica da Hellmann’s, transformando de caseira à industrial.[4]

propaganda da maionese Hellmann's em 1922.

Hellmann’s cresceu na Costa Leste dos Estados Unidos, enquanto a Bestfoods dominava no Oeste.

Em 1932, a Hellmann’s (subsidiária da Postum Company) uniu com a Bestfoods (subsidiária da Gold Dust),[2][5] empresa estadunidense que também comercializava vários produtos alimentares. Criando a Bestfoods-Hellmann. Chegando ao Brasil em 1962.[1][3]

Bestfoods-Hellmann são comercializados basicamente da mesma maneira. Ambas têm logotipos e websites semelhantes, e possuem o mesmo slogan em inglês: "Bring out the best." (em espanhol é "Haz una cara...Hellmann's!", no Brasil é "Hellmann's, a verdadeira maionese").[carece de fontes?]

Em 2000, o grupo anglo-holandês Unilever, comprou a Best Foods,[5] que produzia a maionese Hellmann's.[6] Criando assim em termos de vendas, a maior empresa mundial do setor alimentício, superando a suíça Nestlé.[6] A compra da Bestfoods foi motivada por dois motivos:[7] permite a união de marcas líderes no setor de alimentação e produtos pessoais, e; geograficamente o mercado desta era complementar ao da Unilever, sendo a empresa americana de alimentos com maior presença internacional.[7]

Atualmente é uma empresa de condimentos alimentares diversos, que incluem além da maioneses outros molhos como: ketchup, mostarda e molhos para salada.[3]

Lista de produtos[editar | editar código-fonte]

Os produtos contêm gorduras boas, devido a produção ser feita com óleos vegetais.[3]

Produtos no Brasil[editar | editar código-fonte]

  • Maionese Hellmann's — maionese original.
  • Maionese Hellmann's Mais Limão — maionese com suco de limão.
  • Maionese Peru e Sardinha 0% Colesterol
  • Maionese Hellmann's 0% Colesterol — maionese sem colesterol.
  • Hellmann's Alho — maionese com alho.
  • Hellmann's Atum — maionese com atum.
  • Hellmann's Azeite — maionese com azeite.
  • Hellmann's Azeitona — maionese com azeitonas.
  • Hellmann's Hot — maionese com pimenta
  • Hellmann's Fresh — maionese com ervas, alho e suco de limão
  • Hellmann's Tártaro — maionese com cenouras, pepinos e cebolas
  • Hellmann's Deleite — maionese à base de leite
  • Ketchup Hellmann's — nas versões original e picante.
  • Molho de mostarda Hellmann's

Polêmica[editar | editar código-fonte]

A empresa Unilever, diz que a emulsão sem ovos na receita não pode ser chamada de maionese.[8] Assim, processou a startup Hampton Creek, de propaganda enganosa, pois produziu uma pasta com sabor de maionese, substituindo na receita os ovos por ervilhas amarelas no produto chamado de Just Mayo.[8]

A Unilever alega no processo que a Hampton Creek está interferindo nas vendas de seus produtos de maionese, chamados de Hellman’s na costa leste dos Estados Unidos e, chamados de Best Foods na costa oeste do país.[8] Também alega uma violação da lei federal de marcas registradas e publicidade, pois no rótulo do produto Just Mayo exibe um ovo sendo rachado por uma ervilha, dando aos consumidores a enganosa impressão de que o produto contém ovos.[8]

Inicialmente o nome da marca foi compreendido incorretamente com o significando pejorativo "homem do inferno" (tradução direta do inglês "hell man").

Referências

  1. a b c d «A história da maionese e da marca Hellmanns». Clique a Gosto. Rede Record. Consultado em 26 de abril de 2018. 
  2. a b c d e f Reis Junior, Dalmir. «História da Marca: Maionese Hellmann's». Propagandas Históricas. História da Marca. Consultado em 26 de abril de 2018. 
  3. a b c d «Hellmann's». Unilever Brasil. Veja nossas marcas. Consultado em 26 de abril de 2018. 
  4. «Descubra de onde veio a maionese». Organizações Globo. Revista Casa e Jardim. Consultado em 26 de abril de 2018. 
  5. a b «History of Bestfoods» [História da Bestfoods]. Funding Universe (em inglês). Consultado em 26 de abril de 2018. 
  6. a b «Bestfoods é vendida por US$ 24,3 bilhões». Grupo Folha da Manhã. Folha de São Paulo. 7 de junho de 2000. Consultado em 26 de abril de 2018. 
  7. a b «Unilever - Grandes Marcas - Sobre Administração». Sobre Administração. Consultado em 26 de abril de 2018. 
  8. a b c d «Unilever processa startup que faz maionese sem ovos». Grupo Estado. Radar Econômico. Consultado em 26 de abril de 2018. 

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]