Henri-Marie Husson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Henri Husson
Henri-Marie Husson
Nome completo Henri Marie Husson
Nascimento 25 de maio de 1772
Reims, Campanha-Ardenas, França
Morte 11 de abril de 1853 (80 anos)
Paris, França
Nacionalidade francês
Etnia francesa
Treinamento Homeopatia, Magnetismo animal
Principais trabalhos Criar com Bichat a Société médicale d'émulation, Presidente da Academia de Medicina (1839), implantar o Mesmerismo e a Homeopatia do Hospital Hotel Dieu
Gênero literário Mesmerismo
Movimento literário Vacinação, Magnetista e homeopata
Título Legião de Honra , recebido em maio de 1811

Henri-Marie Husson (Reims, Campanha-Ardenas, França, 25 de Maio de 1772 - Paris, França, 11 de abril de 1853, foi médico de Elisa Bonaparte chefe do Hospital Hotel Dieu, acupunturista, vacina dor e apoiador principal do magnetismo animal, além de amigo pessoal, coordenador do magnetizador Barão du Potet.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Henri-Marie Husson, tornou-se doutor em medicina no ano de 1799. Ele foi um bibliotecário-assistente da Biblioteca da Faculdade de Medicina da França[1]. Doctor amigo de Bichat se reuniram e organizaram em 1800 o Comitê de Vacinas[1], praticado no Hotel-Dieu em Paris juntamente com a Société médicale d'émulation, neste comitê tornou-se secretário, a pedido de Thouret.[2]

Família Real e a luta contra a Varíola[editar | editar código-fonte]

Ele se torna o médico de Elisa Bonaparte na Itália[2]. Em maio de 1811 o Rei de Roma, Napoleão II de França, herdeiro imperial, foi vacinado contra a varíola[1]. Esta vacinação foi tão esperada que Napoleão fez-se tornar um evento científico, histórico e político considerável. Onde o vacinador, Henri-Marie Husson, foi imediatamente premiado com a condecoração Legião de Honra[3], posteriormente, tornou-se médico chefe no Hotel-Dieu[1], mas não antes de dizer:

Isto desencadeou a mobilização do Estado napoleônico para a vacinação que foi eficaz. Desde o início, no século, na França, a mortalidade pela varíola teve um colapso de 10% para 1%. Husson, foi quem a isso sucedeu, começando a prever ainda um século e meio antes da última epidemia de varíola francesa que ocorreu em Vannes, em 1954 e fez 16 mortes de 73 casos. Globalmente, a varíola foi erradicada declarou 26 de outubro de 1977.[4]

Repercussão na atualidade[editar | editar código-fonte]

O Comitê Central da Vacina Francesa para monitorar a campanha de saúde contra a varíola iniciada por Husson, estudou o livro do Dr Jean-Sébastien Vaume, Os perigos de vacinação comprovada, e respondeu que ele estava citando como crianças vacinadas que não haviam sido ou onde a vacina não tinha inoculado a doença se trasmutava em "graves e extraordinária afeição as circunstâncias mais simples que surgiram durante o ciclo de vacinação". É em vão que Vaume apelou para anglofobia conciliar as autoridades[5].

Reconhecimento e apoio ao Mesmerismo[editar | editar código-fonte]

Ele vacinou na cidade de Paris durante os 20 anos subsequentes, durante este período inúmeros relatórios de vacina foi assinado por ele[1].

Em 1821 ele foi eleito para a Academia Real de Medicina presidiu em 1839[6].

Ainda em 1821, Henri-Marie Husson coordena juntamente com Alexandre Bertrand (1795-1831) as experiências relacionadas ao magnetismo desenvolvidas pelo magnetizador Barão du Potet e Thierry Robouam, sob a orientação do médico Joseph-Claude-Anthelme Récamier (1774-1852), na presença de trinta outros médicos[7].

No ano de 1837 enquanto, Husson era chefe de serviço no Hotel Dieu enquanto esperava legitimar o estudo do sonambulismo provocado desenvolveu um tratado embasado nas teses de Didier-Jules Berna [8] que no final após já ser aceita a defesa foi descreditada sem justificativa plausível.[9]

Acupuntura[editar | editar código-fonte]

O reumatismo foi tratado através da acupuntura no Hotel-Dieu, reuniram-se em serviço e sob os olhos do Sr. Husson, o Sr. Dr. J-C. Lacroix, e o Sr. Antoine Laurent Bayle, consta uma ata da reunião do dia 28 de fevereiro de 1825 na Academia Real de Medicina tratando o tema referente a acupuntura[10], com três casos de oftalmia crônica curado, relatado por Cloquet, Husson e Nacquart[11]

Autor de vários livros, Husson, publicou um ensaio sobre uma nova doutrina sobre temperamentos em 1799, e cria uma biografia de Bichat, após sua morte e um Tratado de membrana em 1802 além de Pesquisas de história médica sobre a vacina em 1803[2][6].

Obras[editar | editar código-fonte]

Artigos científicos[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e BIU Visitado em 16/02/2015
  2. a b c IDREF.FR Visitado em 16/02/2015.
  3. a b «Cópia arquivada». Consultado em 17 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2015 
  4. larecherche Arquivado em 17 de fevereiro de 2015, no Wayback Machine., Visitado em 14/02/2015
  5. P. Darmon, La Longue Traque de la variole, Perrin, 2001
  6. a b BIU2, Visitado em 15/02/2015
  7. Henri-Marie Husson et le magnétisme animal, Olivier Husson (médecin.),1984. Visitado em 14/02/2015.
  8. Husson, Henri-Marie, Opinion prononcée par m. Husson, a l'académie de médecine sur le rapport de m. Dubois, d'amiens , relatif au magnétisme animal sessão de 22 de agosto de 1837 texto na integra em PDF visitado em 11/11/2015. Husson, Henri-Marie, Opinion prononcée par m. Husson, a l'académie de médecine sur le rapport de m. Dubois, d'amiens , relatif au magnétisme animal sessão de 22 de agosto de 1837 texto na integra em PDF visitado em 11/11/2015.
  9. Google Books Visitado em 15/02/2015
  10. Boletim de Ciências Médicas da Academia Real de Medicina. 1825 Vol5: pag.70-71.
  11. Notice