Henrik Wergeland

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Henrik Wergeland
Henrik Wergeland.
Nascimento 17 de junho de 1808
Kristiansand, Noruega
Morte 12 de julho de 1845 (37 anos)
Christiania (atual Oslo), Noruega
Nacionalidade norueguês
Ocupação Escritor, poeta e orador
Movimento literário Romantismo
Carreira musical
Período musical 1829-1845

Henrik Arnold Wergeland (Kristiansand, 17 de junho de 1808 – Christiania, 12 de julho de 1845) foi um escritor, poeta e orador norueguês, cuja colossal personalidade dominou totalmente a literatura norueguesa na sua época. É celebrado atualmente pela poesia mas também foi um prolífico dramaturgo, ativista, historiador, arquivista, jornalista e linguista, descrito como pioneiro no desenvolvimento de uma literatura norueguesa e da cultura moderna do país.[1]

Estudou na Katedralskole e cursou teologia na Universidade. Seu pai, Nicolai Wergeland, foi membro da assembleia criadora da Constituição norueguesa (1814). A primeira metade do século XIX constituiu para a Noruega o período de formação do país moderno e independente em todos os sentidos que seria no futuro. Wergeland, homem de ação, e de espírito revolucionário, patriota e profeta, viveu nesse período histórico, adequadíssimo à sua personalidade. Wergeland era simultaneamente racionalista e romântico, poeta político e lírico, individualista e liberal acérrimo. Queria reformas democráticas, elevar em todos os sentidos o nível das classes inferiores, incrementar a cultura e colaborar com outros países, embora sempre salvaguardando os interesses de Noruega. Wergeland e os seus patriotas tiveram um principal opositor: Welhaven e a Intelligentsia.

Em Wergeland poesia e drama são fiel reflexo da sua personalidade e atividade. Como poeta foi o mais indisciplinado e atrevido; autodidata, o que mais o molestava era que diminuíssem a sua originalidade. Os seus primeiros poemas, Digte, Forste Ring (Poemas, ciclo primeiro, 1829), apesar dos seus defeitos, encontram-se cheios de atração devido ao seu génio, vida e brilhantes imagens. Quando Wergeland criava poesia, passava a um estado de êxtase que explica o carácter visionário, imaginativo e intenso dos seus poemas. Em 1830 publicou a sua monumental Skabelsen, Mennesket og Messias (Criação, Homem e Messias, intitulada apenas Mennesket, O homem, em 1845), com ideias racionalistas e plano romântico. A partir de 1830 Wergeland foi-se aperfeiçoando constantemente (Digte, anden Ring, 1833; Poesier, 1838) até chegar a ser no período 1840-45 o artista prolífico consumado. Spaniolen (O espanhol, 1832) é uma magnífica obra em verso, difícil e simbólica, na qual narra a atitude de um espanhol liberal, no reinado de Fernando VII, que se refugia na Noruega.

Wergeland, poeta da natureza, deixou uma obra social, política e cultural prodigiosa; a base das suas ideias pode estar no humanismo clássico, platonismo ou liberalismo europeu. Porém, a sua mais profunda inspiração na vida e obra foi o cristianismo.

Faleceu aos 37 anos em Oslo (então chamada Christiania). Está sepultado no Cemitério Vår Frelsers.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • H. WERGELAND, Samlede skrifter (Obras completas), 23 vol., 0510 1918-40
  • H. BEYER, H. Wergelands vigtigste arbeider, 0510 1947
  • A. KABELL, Henrik Wergeland, 0510 1957

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Henrik Wergeland