Henrique, Príncipe Consorte da Dinamarca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta biografia de uma pessoa viva não cita as suas fontes ou referências, o que compromete sua credibilidade. (desde junho de 2012)
Ajude a melhorar este artigo providenciando fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Henrique
Príncipe Consorte da Dinamarca
Reinado 14 de janeiro de 1972
presente
Predecessora Ingrid da Suécia
Esposa Margarida II da Dinamarca
Descendência
Frederico, Príncipe Herdeiro
Joaquim da Dinamarca
Nome completo
Henrique Maria João André de Laborde de Monpezat
Casa Monpezat
Pai André de Laborde de Monpezat
Mãe Renée Yvonne Doursenot
Nascimento 11 de junho de 1934 (81 anos)
Talence, Gironda, França
Religião Igreja Nacional da Dinamarca
(anteriormente Catolicismo)

Henrique Maria João André de Laborde de Monpezat (Talence, 11 de junho de 1934) é o marido da rainha Margarida II e príncipe consorte da Dinamarca desde 1972. O casal tem dois filhos: Frederico, Príncipe Herdeiro, e Joaquim da Dinamarca.

Vida[editar | editar código-fonte]

Nascido em Talence, na periferia de Bordeaux, é filho do conde André de Laborde de Monpezat (1907-1998), jornalista e agricultor, e de sua esposa, nascida Renée Doursennot (1908-2001).

Passou os seus primeiros cinco anos no Vietname, então Indochina, onde o seu pai cuidava dos interesses da família nas empresas industriais fundadas por seu avô, na virada do século.

Em 1939, a família retorna à residência familiar Le Cayrou, em Cahors, onde permanece até 1950. Tendo recebido instrução em casa até 1947, no período 1948-1950, frequentou a escola secundária em Cahors.

Retorna a Hanói em 1950, e ali conclui os estudos secundários, em 1952. Entre 1952 e 1957, estuda direito e ciências políticas na Sorbonne, Paris e, simultaneamente, chinês e vietnamita na École nationale des langues orientales vivantes (Escola Nacional de Línguas Orientais Vivas). Também estudou línguas orientais em Hong Kong, em 1957, e em Saigon, em 1958. Depois de fazer o serviço militar na Argélia, de 1959 a 1962, trabalhou no Departamento da Ásia do Ministério dos Negócios Estrangeiros da França, em 1962, e foi secretário da embaixada da França em Londres, de 1963 a 1967.

Em junho de 1967, casou-se com a princesa Margrethe da Dinamarca, então princesa herdeira, e se torna Sua Alteza Real Príncipe Henrik da Danemark. A cerimónia do casamento teve lugar no Holmens Kirke (a igreja naval) e a festa do casamento foi realizado no Fredensborg Palace.

O príncipe presidente da associação Europa Nostra, que se ocupa da defesa do patrimônio arquitetônico europeu, da WWF da Dinamarca e da Cruz Vermelha dinamarquesa. Também se ocupa da produção vitícola da propriedade do casal em Caïx, na região de Cahors, na França.

Descendência[editar | editar código-fonte]

Publicações e traduções[editar | editar código-fonte]

Em 1981, sob o pseudônimo H.M. Vejerbjerg, ele e a rainha traduziram Tous les hommes sont mortels de Simone de Beauvoir para o dinamarquês. Para além destas, escreveu:

  • Chemin faisant, 1982, poemas
  • Destin oblige, 1996, memórias.
  • Ikke Altid Gåselever (Nem sempre 'foie gras'), 1999, receitas
  • Cantabile, 2000, poemas.
  • Les escargots de Marie Lanceline, 2003.

Em 2004, publicou Chateau de Caïx e Fotos fra Prins Henriks, também publicado em francês como Intimité royale. Em 2005, publicou uma coleção de poemas em francês, Murmures de vent (em dinamarquês Hviskende brise). Em 2005, publicou outro livro de receitas culinárias Til glæde para ganen - nye opskrifter til et kongeligt køkken.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Títulos e estilos[editar | editar código-fonte]

  • SE Conde Henrique de Laborde de Monpezat (1934-1967)
  • SAR Príncipe Henrique da Dinamarca (1967-1972)
  • SAR o Príncipe Consorte da Dinamarca (1972-presente)

Conde de Laborde de Monpezat[editar | editar código-fonte]

O título de Conde de Laborde de Monpezat concedido em 16 de agosto de 1648 por cartas patentes de enobrecimento foram emitidos pelo rei Luís XIV de França em 1655. O actual detentor do título nobre Henrique de Laborde de Monpezat Príncipe consorte da Dinamarca envolveu-se numa disputa que tinha por base direito nobiliárquico , concrectamente, regras tradicionais monárquicas. Segundo estas normas de direito nobiliárquico, através da adesão da sua família ao trono dinamarquês, Henrique de Laborde de Monpezat poria fim ao poder da Casa de Glücksburg na Dinamarca, e, supostamente, o seu título nobiliárquico daria origem a uma nova casa real dinamarquesa, ou, como alternativa, o seu título nobiliárquico deveria ser acrescentado ao nome dinástico Oldemburgo-Glücksburg. O príncipe Henrique mencionara essa possibilidade, já em 1996, no seu livro de memórias então publicado, onde afirmava: "Aquando da futura geração Regia, é possível, e provável, que o sobrenome 'Monpezat' receba aprovação para ser adicionado ao nome dinástico ‘’Oldenbourg-Glücksbourg'". Ao ser entrevistado pelo jornal francês Point de Vue, em Outubro de 2005, Henrique levantou a questão logo após o nascimento do primeiro filho, o Príncipe herdeiro Frederico, Príncipe Cristiano, que deve, segundo as normas de sucessão nobiliárquica, herdar a coroa dinamarquesa. A Princesa Isabella referiu recentemente em público: "E também o torna muito orgulhoso e feliz que 'Monpezat' seja um dia adicionado ao nome dinástico da casa real Dinamarquesa, estes meus pequenos netos como príncipes da Dinamarca. "É uma grande alegria para mim que as minhas raízes francesas também sejam lembradas e transmitidas à geração futura."

Em 30 de abril de 2008, o título de "Conde de Monpezat" (em Dinamarquês: greve af Monpezat), foi concedido pela Rainha Margarida II aos seus dois filhos (e por consequência hereditária à geração dos seus netos), um brasão de armas diferenciado das armas reais da Dinamarca, um escudo Laborde-Monpezat e uma coroa principesca, embora o príncipe herdeiro continue a ostentar as armas reais diferenciadas com a sua própria coroa.

Galeria[editar | editar código-fonte]