Henrique Charles Morize

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Henrique Charles Morize
Engenharia
Nascimento 31 de dezembro de 1860
Local Beaune
Morte 19 de março de 1930 (69 anos)
Atividade
Campo(s) Engenharia

Henri Charles Morize ou Henrique Morize (Beaune, 31 de dezembro de 186019 de março de 1930) foi um engenheiro industrial, geógrafo e engenheiro civil francês, naturalizado brasileiro. Trabalhou também como astrônomo. Radicou-se no Brasil em 1874, tendo sido designado por Luiz Cruls para chefiar a turma que demarcou o vértice S.E. do Distrito Federal [1] . Foi o primeiro presidente da Academia Brasileira de Ciências (ABC) de 1916 a 1926 e diretor do Observatório Nacional (ON) entre 1908 e 1929. Era também Doutor em Ciências Físicas e Matemáticas e foi 2º Comissário da Comissão da República Argentina (1902-1904) do Ministério das Relações Exteriores.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Morize nasceu em Beaune (França) tendo se naturalizado brasileiro em 1884, quando passou a ser aluno-astrônomo no ON. Teve problemas de saúde o que o levou a completar o curso de engenheiro industrial somente em 1890. No ano seguinte, assumiu o cargo de astrônomo no ON, onde já desempenhava o cargo de 3º astrônomo. Foi também catedrático de física experimental na Escola Politécnica do Rio de Janeiro de 1898 a 1925.

Em 1908, assumiu a direção do ON, cargo que ocupou por 20 anos. Organizou e chefiou a missão brasileira que observou o eclipse em Sobral em 1919. Participou, em 1916, como membro fundador da Sociedade Brasileira de Ciências (mais tarde, Academia Brasileira de Ciências), da qual foi presidente até 1926, quando passou a ser membro benemérito.

Formação[editar | editar código-fonte]

  • Engenheiro Industrial - Escola Politécnica do Rio de Janeiro (1890)
  • Professor Catedrático de Física Experimental - Laboratório de Física Experimental - Escola Politécnica do Rio de Janeiro (1898)
  • Doutor em Ciências Físicas e Matemáticas - Escola Politécnica do Rio de Janeiro (1898)
  • Engenheiro Geógrafo - Escola Politécnica do Rio de Janeiro (1918)
  • Engenheiro Civil - Escola Politécnica da Universidade do Rio de Janeiro(1920)

Cargos[editar | editar código-fonte]

Academia Brasileira de Ciências[editar | editar código-fonte]

  • 1916/1917 - Primeiro Presidente
  • 1917/1920 - Presidente
  • 1920/1923 - Presidente
  • 1923/1926 - Presidente
  • 27/04/1926 - Presidente Honorário
  • 03/05/1926 - Membro Benemérito

Escola Politécnica do Rio de Janeiro / Escola Politécnica da Universidade do Rio de Janeiro[editar | editar código-fonte]

  • Professor Ordinário na Cátedra de Física Experimental e Meteorologia (1896-1918)
  • Lente Catedrático de Física Experimental (1898-1925)

Imperial Observatório do Rio de Janeiro / Observatório Nacional[editar | editar código-fonte]

  • Aluno-astrônomo (1884-1885)
  • 3º astrônomo (1885-1890)
  • Astrônomo titular (1890)
  • Astrônomo na Comissão Demarcadora da nova Capital da República (1892-1894)
  • Diretor Interino (1896, 1901, 1905, 1907-1908)
  • Diretor (1908-1929)

Ministério das Relações Exteriores[editar | editar código-fonte]

  • 2º Comissário da Comissão da República Argentina (1902-1904)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Planalto Central do Brasil-Coleção Documentos Brasileiros-Livraria José Olympio Editora-1957


Precedido por
-
Presidente da
Academia Brasileira de Ciências

1916 — 1926
Sucedido por
Juliano Moreira
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) engenheiro(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.