Henry Allingham

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Henry Allingham
Nascimento 6 de junho de 1896
Londres
Morte 18 de julho de 2009 (113 anos)
Brighton
Cidadania Reino Unido
Ocupação soldado, autobiógrafo
Empregador Ford Motor Company
Causa da morte doença

Henry William Allingham (Londres, Inglaterra, 6 de junho de 1896 - Brighton, 18 de julho de 2009[1]) foi um supercentenário britânico que, ao falecer aos 113 anos e 42 dias, era considerado o homem mais velho do mundo e, também, o mais longevo dos últimos veteranos da Primeira Guerra Mundial (1914-1918).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Henry Allingham na infância

Henry tinha apenas 14 meses quando seu pai faleceu. Foi criado por sua mãe e por seus avós.

A rainha Vitória (1819-1901) ainda era a soberana do Reino Unido quando ele tinha 4 anos e meio.

Allingham lembrava de ter visto um jogo de críquete entre 1903 e 1905.

Primeira Guerra Mundial[editar | editar código-fonte]

Henry Allingham em 1916

Allingham desejava unir-se ao exército em agosto de 1914, mas sua mãe o convenceu a permanecer em casa. Após a morte da mãe, alistou-se no RNAS (Serviço Aeronaval Real). Em 21 de setembro de 1915 foi elevado a Mecânico Aéreo de Segunda Classe, com o número RNAS F8317. Foi transferido do RNAS para a Royal Air Force (Força Aérea Real), quando o primeiro se uniu a RFC (Royal Flying Corps). Também recebeu um novo número: RNAS F208317.

Participou da Batalha da Jutlândia, a maior batalha naval do conflito.

Mais tarde, uniu-se a Ford Motor Company, onde permaneceria até seu regresso ao serviço militar.

Segunda Guerra Mundial[editar | editar código-fonte]

Durante a II Guerra Mundial, participou em numerosos projetos. Talvez o mais importante tenha sido a contagem e medida das minas magnéticas alemãs. No Natal de 1939, foi chamado para ajudar na elaboração de um plano que neutralizasse as minas e abrisse o porto de Harwich. Nove dias depois, essa missão foi concluída com sucesso.

Pós-Segunda Guerra Mundial e últimos anos[editar | editar código-fonte]

  • Em 6 de junho de 1996, Henry Allingham completou um centenário de vida.
  • Em 1 de novembro de 2007, após a morte de George Frederick Ives, tornou-se a pessoa mais velha que integrou as Forças Armadas Britânicas.
  • Em 13 de fevereiro de 2007 se tornou o homem e a segunda pessoa mais longeva nascida na Grã-Bretanha, (depois de Florrie Baldwin) após a morte de Aida Mason.
  • Em 11 de novembro de 2008, ao lado dos também veteranos Harry Patch e Bill Stone, participou em Londres da cerimônia de celebração de 90 anos do fim da Primeira Guerra Mundial.
  • Tornou-se o homem mais velho do mundo, após a morte de Tomoji Tanabe, em 19 de junho de 2009. Viveu os últimos dias da sua vida em Brighton, na Inglaterra.

Família[editar | editar código-fonte]

Henry Allingham se casou com Dorothy Cater em 1919, um ano depois do fim da Primeira Guerra Mundial. Com ela teve 2 filhas, Jean e Betty Allingham (ambas falecidas na década de 1980). Em 1972, após 53 anos de matrimônio, enviuvou. Allingham possuía 5 netos, 12 bisnetos, 14 trinetos (tataranetos) e 1 tetraneto (duas vezes tataraneto).

Prêmios, títulos e medalhas de Guerra[editar | editar código-fonte]

  • Liberdade da Cidade de Eastbourne
  • Liberdade da Cidade de Saint-Omer
  • Legião de Honra
  • Medalha de Guerra Britânica
  • Medalha da Vitória
  • Medalha Dourada de Saint-Omer
  • Doutor em Engenharia pela Universidade Southampton Solent

Reconhecimentos por sua idade[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Tomoji Tanabe
Homem mais velho do mundo
19 de Junho de 200918 de Julho de 2009
Sucedido por
Walter Breuning