Henry Purcell

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Henry Purcell
Nascimento 10 de setembro de 1659
Westminster
Morte 21 de novembro de 1695 (36 anos)
Westminster
Sepultamento Abadia de Westminster
Cidadania Reino da Inglaterra
Irmão(s) Daniel Purcell
Alma mater Westminster School
Ocupação compositor, organista, musicólogo, teórico musical, músico, autor
Obras destacadas Dido and Aeneas, The Fairy Queen
Movimento estético Música barroca
Causa da morte tuberculose

Henry Purcell (Londres, 10 de setembro de 165921 de novembro de 1695) foi um compositor inglês. Apesar de uma vida relativamente breve, Henry Purcell permanece um dos mais importantes compositores ingleses. Sua facilidade em compor para todos os gêneros e públicos, sua popularidade na corte durante reinados de três monarcas e sua vasta produção de odes cortesãs, música cênica, anthems sacros, canções e catches seculares, música de câmara e voluntaries para órgão são uma prova clara de seu prodigioso talento.

Compôs a ópera Dido and Aeneas (1689) e as semi-óperas Dioclesian (1690), King Arthur (1691), The Fairy Queen (1692), Timon of Athens (1694), The Indian Queen (1695) e The Tempest (1695). São famosas suas Lições para cravo, suas Odes, Hinos, composições religiosas, bem como sonatas e fantasias para viola.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Purcell nasceu em St Ann's Lane, Old Pye Street, Westminster, provavelmente filho de Henry Purcell (†1664) que era cantor na Capela Real. Outros músicos de sobrenome Purcell são parentes não confirmados: Thomas Purcell (†1682, provável tio e irmão do Henry Purcell falecido em 1664), que era também cantor, e Daniel Purcell (ca. 1664–1717, possivelmente irmão ou primo), que foi organista e compositor, inclusive escrevendo um número final ("Hymeneal masque") para a semi-ópera The Indian Queen após a morte de Henry Purcell. Além desses, Henry Purcell teve certamente parentes músicos: Edward Purcell (1689–1740, filho), organista e compositor, tendo contribuído para a fundação (1739) da Royal Society of Musicians; Edward Henry Purcell (†1765, neto), cantor e organista.

Após a morte do seu provável pai em 1664, teria ficado aos cuidados do provável tio (Thomas), que era igualmente membro do coro da Capela Real, e teria influenciado na admissão de Henry, ainda criança. Henry possivelmente estudou com o capitão Henry Cooke, que era mestre de crianças na Capela Real, e posteriormente com Pelham Humfrey (1647/8–1674), que sucedeu a Cooke. Com a mudança de sua voz em 1673, foi nomeado assistente de John Hingeston (ca. 1606–1683), a quem sucedeu como guardião dos instrumentos musicais do rei, em 1683. Em 1676 serviu como afinador de órgão da Abadia de Westminster, tornando-se organista em 1679, cargo que ocupou até o final da vida, sucedendo seu professor John Blow.

Nos tempos que se seguiram, dedicou-se quase totalmente à composição de música sacra, cortando as suas ligações com o teatro. Contudo, imediatamente antes de assumir a sua nova posição, tinha composto dois importantes trabalhos para o teatro: a música para Theodosius de Nathaniel Lee, e a Virtuous Wife de Thomas D'Urfey. Em 1682, e com a morte de Edward Lowe foi nomeado organista da Capela Real, função que ocupou em simultâneo com a posição idêntica em Westminster.

Suas nomeações foram renovadas por James II em 1685 e por Guilherme III em 1689, e cada vez tinha o dever de tocar um segundo órgão na coroação. As peças para o funeral da rainha Maria II (apresentadas em 1695 — a rainha havia falecido em dez. 1694) estão entre as últimas utilizadas em festividades reais.[1]

Purcell morreu a 21 de novembro de 1695 e foi sepultado em Westminster em 26 de novembro.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  1. Obras de Henry Purcell no International Music Score Library Project
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) compositor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.