Henry Rawlinson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Henry Rawlinson
Nascimento 5 de abril de 1810
Chadlington
Morte 5 de março de 1895 (84 anos)
Londres
Sepultamento Cemitério de Brookwood
Cidadania Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda
Irmão(s) George Rawlinson
Alma mater Universidade de Middlesex
Ocupação linguista, arqueólogo, antropólogo, político, militar, diplomata, assiriólogo
Prêmios membro da Royal Society, Cavaleiro Grã-cruz da Ordem do Banho, Ordem do Mérito para as Artes e Ciência, Medalha do Fundador, Ordem do Banho
Empregador Ministério das Relações Exteriores
Título baronete
Causa da morte Gripe
Henry Rawlinson.

Henry Creswicke Rawlinson (Chadlington, Oxfordshire, Inglaterra, 5 de abril de 1810Londres, 5 de março de 1895) foi um soldado e orientalista britânico.

De 1826 a 1833 serviu no exército da Companhia anglo-indiana, tendo sido mandado a Pérsia, onde trabalhou na reorganização do exército do . Exerceu o cargo de agente político da Inglaterra em Kandahar (1840) e na Arábia (1843) e em 1844 foi nomeado cônsul-geral em Bagdá.

Deve-se a Rawlinson a decifração da inscrição de Behistun, a qual copiou com risco de morte, pendurando-se no penhasco. Foi um dos pioneiros na decifração dos caracteres cuneiformes, tendo sido o primeiro a ensinar o seu carater polifōnico.

Regressou a Inglaterra em 1856; foi nomeado membro do Parlamento e do conselho das Índias, recebendo em 1859 o posto de general-de-divisão. Partiu para Teeran como embaixador, onde ficou um ano. De volta a Londres, foi reeleito para o Parlamento (1865-1868).

Pode ser considerado, juntamente com Julius Oppert e Edward Hincks, um dos fundadores da assiriologia.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.