Henry Sidgwick

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Henry Sidgwick
filosofia do século XIX
Retrato de Henry Sidgwick
Nome completo Henry Sidgwick
Escola/Tradição: Utilitarismo
Data de nascimento: 31 de maio de 1838
Local: Skipton, Yorkshire
Morte 28 de agosto de 1900 (62 anos)
Local: Cambridge, Cambridgeshire
Principais interesses: Ética, política
Influências: Jeremy Bentham, David Hume, John Stuart Mill
Influenciados: R M Hare, Mordecai Kaplan, John Rawls, Alfred Marshall, Peter Singer, Derek Parfit, J. J. C. Smart, Hastings Rashdall

Henry Sidgwick (31 de maio 1838 – 28 de agosto 1900) foi um economista e filósofo do Reino Unido, ligado ao Utilitarismo. Nasceu em Skipton no Yorkshire e obteve a sua formação em Rugby e Trinity College, Cambridge. Aqui tornou-se membro dos Apóstolos de Cambridge.

Eleito para uma bolsa de estudo para o Trinity College, em 1859, rapidamente se tornou aí professor de estudos clássicos, lugar que veio a ocupar durante dez anos. Em 1869 transitou para a docência de filosofia moral. Acabou por resignar em virtude de ter aderido à Igreja de Inglaterra. Em 1874 publicou The Methods of Etics, o qual mereceu de John Rawls as seguintes considerações: “o primeiro trabalho moderno em teoria moral verdadeiramente académico”. Em 1875 foi nomeado prelector em filosofia moral e política no Trinity College. Em 1883, foi eleito Knightbridge Professor de Filosofia.

Para além da docência e trabalho literário na área da filosofia política e economia, desempenhou actividade no âmbito da gestão da Universidade, assim como participou em muitas iniciativas de carácter social e filantrópico. Foi um dos fundadores e primeiro presidente da Society for Psychical Research, e membro da Metaphysical Society. Promoveu ao mais alto nível a educação feminina.

Filosoficamente foi um utilitarista, na linha de Stuart Mill e Jeremy Bentham. Politicamente foi um liberal tendo feito parte do partido Liberal Unionista, que mais tarde migrou para o Partido Conservador Britânico. Religiosamente foi um teísta, independentemente de ser contrário à religião estabelecida. Eticamente foi considerado um hedonista.[1]

Trabalhos[editar | editar código-fonte]

Arthur & Eleanor Mildred Sidgwick, Henry Sidgwick, 1906

Referências

  1. Schultz, Barton (2020). Zalta, Edward N., ed. «Henry Sidgwick». Metaphysics Research Lab, Stanford University. Consultado em 30 de maio de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]