Henryk Sienkiewicz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Henryk Sienkiewicz Medalha Nobel
Nome nativo Henryk Adam Aleksander Pius Oszyk-Sienkiewicz
Nascimento 5 de maio de 1846
Wola Okrzejska
Morte 15 de novembro de 1916 (70 anos)
Vevey
Nacionalidade polonês
Cidadania Império Russo, Polônia
Etnia poloneses
Alma mater Universidade de Varsóvia
Ocupação romancista, roteirista, jornalista, escritor
Prêmios Nobel prize medal.svg Nobel de Literatura (1905)
Empregador Academia Russa de Ciências
Magnum opus Quo vadis? : narrativa histórica dos tempos de Nero
Religião Igreja Católica
Causa da morte doença cardiovascular
Assinatura
Signature of Henryk Sienkiewicz.jpg
Campo(s) Romance

Henryk Adam Aleksander Pius Oszyk-Sienkiewicz (Wola Okrzejska, Polónia, 5 de maio de 1846Vevey, Suíça, 15 de novembro de 1916) foi um escritor polaco.

Foi galardoado com o Nobel de Literatura de 1905. É considerado um dos mais brilhantes escritores da segunda metade do século XIX. Foi um dos sócios correspondentes da Academia Brasileira de Letras.

A sua obra mais conhecida é o clássico da literatura também adaptado ao cinema Quo Vadis.

Obras Selecionadas[editar | editar código-fonte]

Romances[editar | editar código-fonte]

  • Trylogia (Trilogia):
    • Ogniem i mieczem (A ferro e fogo, 1884) retrata a Revolta de Khmelnitski no século XVII dos cossacos da Ucrânia contra a Polónia; o romance serviu de base a um filme dirigido por Jerzy Hoffman que foi estreado em 1999 com o mesmo título;[1]
    • Potop (O Dilúvio, 1886) retrata a invasão da Polónia pela Suécia no século XVII; o romance serviu de base a um filme com o mesmo título dirigido por Jerzy Hoffman e que foi estreiado em 1974;[2]
    • Pan Wołodyjowski (Senhor Wołodyjowski, 1888) retrata a luta da Polónia contra o Império Otomano que invadiu a Polónia em 1668 – 72; o romance serviu de base a um filme, Coronel Wołodyjowski dirigido por Jerzy Hoffman e que foi estreado em 1969.[3]
  • Bez dogmatu (Sem dogma, 1891).
  • Rodzina Połanieckich (A Família Polaniecki, 1894).
  • Quo Vadis (1895): uma história de S. Pedro em Roma no reinado do imperador Nero.
  • Krzyżacy (Os Cruzados, 1900) refere-se à Batalha de Grunwald; o romance serviu de base a um filme de 1960 com o título The Knights of The Teutonic Order, dirigido por Aleksander Ford[4].
  • Na polu chwały (No campo de glória, 1906): uma historia do rei João III da Polônia e da Batalha de Viena.
  • Wiry (Turbilhões, 1910).
  • W pustyni i w puszczy (No deserto e na selva, 1912): As aventuras de um rapaz polaco, Staś, e de uma rapariga inglesa, Nell, em África durante a rebelião mahdista de 1881–99.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Frédéric Mistral e José Echegaray
Nobel de Literatura
1905
Sucedido por
Giosuè Carducci


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.