Hentai

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde maio de 2013).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Em japonês, hentai (変態 ou へんたい?) significa originalmente 'atitude estranha', 'comportamento fora do comum'. A palavra também é usada como uma abreviação da expressão hentai seiyoku (変態性欲?), que significa perversão sexual e, quando usada coloquialmente, expressa um ato sexual em condições extremas. No Japão, o termo também é empregado com referência a mangás e animês que tenham forte conteúdo sexual.

Sobre o termo[editar | editar código-fonte]

A palavra Hentai escrito em Kanji.

Atualmente há duas definições para hentai: a primeira é a original japonesa; a segunda é a definição dada à palavra, em inglês.

No Japão, o termo hentai se aplica a um material de conteúdo sexual bizarro, extremo ou mesmo criminoso, como, por exemplo, um estupro. Nos Estados Unidos, o termo é aplicado a qualquer animação, mangá ou cartoon com algum tipo de conteúdo sexual, seja erótico ou pornográfico, leve ou extremo. O conceito assumido erroneamente em inglês passou a definir um gênero que inclui todos os tipos de ilustrações com algum contéudo sexual e se popularizou mais que o conceito original japonês. Enquanto em japonês tanto 'H' (etchi) como ero (erótico) podem ser designar mangás ou animês de conteúdo sexual, hentai somente se aplica quando há situações inusitadas ou de perversão sexual ou mesmo ilícitas. Em síntese: no contexto japonês, quando se fala em hentai, trata-se de uma subdivisão de uma categoria muito mais ampla de mangá ero, enquanto que, em inglês, hentai designa o gênero de mangá erótico como um todo.[1]

Já o sentido em japonês, que seria o correto, apenas se refere a um material sexual de conteúdo bizarro, extremo, "perverso" ou "anormal". Vale lembrar que também para os japoneses, hentai, é uma subcategoria de publicações ero (eróticas). Este tipo de conteúdo no Japão é classificado como 18-kin (18禁?) que significa proibido para menores de 18 anos, ou, Seijin Manga (成人漫画?) que seria mangá adulto. [2]

Pornografia ou arte erótica?[editar | editar código-fonte]

Muitas pessoas confundem mangás e animes hentai com pornografia, porém isso é uma dúvida comum, já que a maioria das pessoas apenas conhece o conceito americano sobre hentai, enquanto outras desconhecem os valores de um hentai. Um mangá ou anime hentai não é pornografia, e sim arte arte erótica; expressam valores morais e sentimentos. [carece de fontes?]

História[editar | editar código-fonte]

Em uma loja, podemos ver diversos Hentais Mangás a venda.

Acredita-se que o hentai seja inspirado em formas de arte erótica que já existem no Japão desde o Período Edo (1603 -1868). Naquela época, eram comuns gravuras tradicionais, conhecidas como ukiyo-e, que versavam todos os temas, inclusive o sexo e a nudez. As gravuras eróticas do estilo ukiyo-e eram conhecidas como shunga,[3] e utilizadas como manual para instruir recém-casados ao sexo, ou como objeto para auxiliar a masturbação. Muitas vezes, coleções de shunga eram dadas como presente de casamento para serem usadas na lua-de-mel.

Com a Restauração Meiji, foi introduzida no Japão a cultura ocidental, que tinha na época grandes barreiras morais à nudez em público. Com isso, o shunga entrou em decadência, mas esse tipo de arte continuou a existir de forma mais escondida, pelos púbicos e genitálias masculinas foram proibidos, obrigando os artistas a não desenhá-los. Em 1986, Toshio Maeda começou a criar representações de relações sexuais, através da criação do sexo com tentáculos o que se tornou uma das características deste gênero no Japão . Em 1991, a proibição de pelos deixou de existir. Mesmo hoje em dia, a ausência de pelos é uma característica própria do hentai, mas há muitas obras em que os pelos são desenhados pois não são mais proibidos. Em 1983, a Nintendo lançou os primeiros jogos eroges para computador no Japão. Esses jogos empregavam a erótica, e não mulheres de verdade, para contornar as limitações gráficas dos computadores da época. O mercado de jogos eroges, a partir daí, alcançou um tamanho razoável em países do extremo oriente e publicou alguns títulos de pouca expressão no ocidente.

No final da década de 1980, o hentai ganhou um novo impulso com a popularização dos dōjinshis (o equivalente aos fanzines ocidentais). Estima-se que metade do mercado seja composto por artes eróticas, embora seja difícil calcular pois muitos desses trabalhos são divulgados pela internet.

Características, classificações e subgêneros[editar | editar código-fonte]

A maioria dos hentais compartilha algumas características em comum. O estilo de desenho pode ter variações como nos mangás normais, mas é quase universal que os pelos pubianos não são desenhados, o que acaba dando uma aparência mais jovem às personagens. Geralmente, dá-se preferência a personagens jovens. Também é comum que se retratem fetiches típicos dos japoneses, como o bukkake (ejaculação no rosto e corpo por vários homens) e mulheres com partes do corpo de animais, geralmente gatos, conhecidas como nekomimi.

O hentai pode ser dividido em vários subgêneros, de acordo com a temática das relações exploradas na obra. Muitos fãs têm o seu subgênero favorito, e alguns tipos de hentai podem ser considerados mais pervertidos do que outros. Os hentais em padrão são heterossexuais, porém há também classificações para as versões homossexuais, em relações sexuais entre mulheres é usado a classificação yuri, já em relações sexuais entre homens é usado a classificação yaoi.

  • Bara (Mens' Love ou ML, também chamado gei comi, para homens gays)
  • Futanari (Hermafroditas) - Este gênero apresenta garotas com o órgão sexual masculino que pode ter sido adquirido através de qualquer meio, seja ele médico, tecnológico ou até mesmo sobrenatural, as vezes elas são Hermafroditas ou Intersexuais, porém em algumas histórias a garota pode ser normal e ter conseguido o órgão sexual masculino através de alguns dos meios citados.
  • Toddlercon (Meninos e meninas - bebês ou crianças muito pequenas)
  • Loli-con (Meninas - crianças ou adolescentes)
  • Shota-con (Meninos - crianças ou adolescentes)
  • Kemono (Animais) (no ocidente também conhecido como Yiff)
  • Guro (grotesco, pode envolver violência e scat)
  • Netorare (寝取られ) (NTR) - É um gênero em que a intenção é causar uma emoção de inveja profunda ou angústia no leitor. Uma tradução direta dos resultados da palavra na definição: "tendo o seu amante tirado de você" ou "ter algo tirado de você enquanto você dorme". Isso é muitas vezes realizado por ter protagonista principal é amado um seduzido longe deles, com ou sem o seu conhecimento.

Referências

  1. "A Short History of 'Hentai - Introduction (3) '", por Mark McLelland. In Intersections: Gender, History and Culture in the Asian Context, edição 12, janeiro de 2006.
  2. McCarthy, Helen (27 de outubro de 1997). The Anime Movie Guide. Overlook Press. p. 1987
  3. «A origem do mangá na arte pictográfica japonesa». Editora Escala. Neo Tokyo (119): 38-41. Agosto de 2017. ISSN 1809-1784 


Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre mangá e anime é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.