Herman Gorter

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Herman Gorter
Nascimento 26 de novembro de 1864
Wormerveer
Morte 15 de setembro de 1927 (62 anos)
Bruxelas
Residência Zaanstad
Cidadania Reino dos Países Baixos
Ocupação poeta, escritor, crítico literário, político
Causa da morte ataque cardíaco

Herman Gorter (Wormerveer, Países Baixos, 26 de novembro de 1864Bruxelas, 15 de setembro de 1927) foi um poeta e comunista conselhista neerlandês. Foi o membro principal dos Tachtigers, um influente grupo de escritores neerlandeses que trabalharam conjuntamente em Amesterdão na década de 1880 arredor do jornal literário De Nieuwe Gids (O novo guia).

Poeta[editar | editar código-fonte]

O primeiro livro publicado por Gorter continha um longo poema épico de quatro mil versos intitulado Mei (Maio), que marcou a sua reputação de grande escritor desde a sua publicação em 1889 e que é hoje considerado como a obra fundamental da literatura impressionista holandesa. Em 1890 publicou uma segunda obra, intitulada Verzen (Versos), que continha uma coleção de pequenos poemas líricos e que também foi considerada uma obra essencial.

Político[editar | editar código-fonte]

Como o resto dos Tachtigers, Gorter mantinha um interesse certo pela política de esquerda, tornando-se o membro mais politicamente comprometido do grupo por meio dos seus escritos de teoria socialista. Em 1897, aderiu ao Partido Social-Democrata dos Trabalhadores (SDAP) e em 1909 participou na cisão do SDAP que deu origem ao Partido Social-Democrata (SDP) neerlandês. Em 1912 escreveu um novo poema épico intitulado Pan que descrevia como depois da Primeira Guerra Mundial tinha lugar uma revolução socialista global. Em 1917, recebeu a Revolução russa como o início daquela revolução socialista global, apesar do qual ele rapidamente se revelou como opositor às práticas de Lenin. Em 1919, Gorter abandonou o SPD, que desde 1918 tinha mudado o seu nome pelo de Partido Comunista dos Países Baixos (CPN) e viajou a Alemanha. Lá, integrou-se no Partido Comunista da Alemanha (KPD) até 1920, quando dirigiu uma cisão conselhista de 50.000 militantes que se opunham ao centralismo democrático aplicado na União Soviética por Lenin e que imediatamente fundaram o Partido Comunista Operário da Alemanha (KAPD). Quando o KAPD sofreu a sua cisão interna entre o grupo de Berlim e o de Essen, Gorter aderiu ao último junto com líderes destacados como Arthur Goldstein, Bernhard Reichenbach e Karl Schröder, e liderou a integração da fação de Essen na Internacional Comunista Operária.

Gorter morreu em Bruxelas em 1927.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]